"Ecologia Alimentar E Estudo Do Comportamento De Termorregulação De Preguiça Comum, Bradypus Variegatus, Schinz, 1825, No Parque Estadual Fontes Do Ipiranga, São Paulo"

"Ecologia Alimentar E Estudo Do Comportamento De Termorregulação De Preguiça Comum, Bradypus Variegatus, Schinz, 1825, No Parque Estadual Fontes Do Ipiranga, São Paulo"

Author Moraes, Amanda Alves De Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Nunes, Fabiana Rodrigues Costa Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Ecologia E Evolução
Abstract ABSTRACT The brown-throated sloth (Bradypus variegatus) is a widely distributed mammal in the forests of Central and South America. Although listed as not threatened, recent studies point to the need for a better understanding of the ecological, genetic and demographic aspects of the Atlantic Forest population, considering the low levels of genetic diversity, the isolation due to habitat fragmentation and the strong anthropogenic influence. About behavior, for example, some authors have already studied the food preference of the brown-throated sloth, but there are no articles regarding possible seasonality in the choice of food items. The Parque Estadual Fontes do Ipiranga (PEFI), the third largest Atlantic Forest fragment of São Paulo, houses a population of this species. The objective of this study was to verify if the consumption of arboreal itens by B. variegatus in this area is influenced by the availability of such resources, and if the postural behavior, solar exposure and position of the species in the canopy is related to the climate as behavioral strategies for thermoregulation. Based on previous studies five hypotheses were formulated: 1 - there is variation of food availability throughout the year, considering arboreal items; 2- the consumption of arboreal items by sloths is heterogeneous throughout the year; 3- the consumption of these items is related to their availability; 4 - in periods of young leaves scarcity there is an increase in the locomotion behavior; 5- The body postures, sun exposure and position in the canopy are related to climatic variables. For feeding behaviour study 45 individuals from a tree community were observed during 11 months, and during 24 months 24 specimens of Bradypus variegatus were observed, which comprised 210 field hours and 477 records of food intake. For the thermoregulation behavior study nine individuals were observed over 12 months comprising 212 records and 215 hours of observation. The results do not corroborated the hypotheses of differential availability of arboreal items throughout the year, thus indicating kind of phenological asynchrony among the species of the community here tested, but corroborated the differential consumption of these items throughout the year by sloths, with a preference in the cold season for reproductive structures over leaves. However, this differential consumption could not be related to fluctuations in availability and seems to be more related to the preference for seasonal items. Regarding thermoregulation behavior, it seems to be more advantageous for sloths to move around the canopy searching for sunny spots than to adopt certain postures, although such results may have been biased by the presence of many pregnant or lactating females in the sample. However, this sampling generated pertinent discussion regarding the thermoregulatory behavior of the species, mainly for the reproductive condition found. Data from this study may help in the understanding on how such specialized animals interact with the environment, thus generating subsidies for future research, management and conservation of the species, as well as comparisons with this and other groups of mammals, specially those endangered ones.

RESUMO A preguiça comum (Bradypus variegatus) é um mamífero de ampla distribuição nas florestas da América Central e do Sul. Apesar de listada como não ameaçada, estudos recentes apontam a necessidade de melhor compreensão dos aspectos ecológicos, genéticos e demográficos na população da Mata Atlântica dados os baixos níveis de diversidade genética, o isolamento por fragmentação de habitat e a forte influência antrópica. Com relação ao comportamento, por exemplo, alguns autores já estudaram a preferência alimentar de preguiça comum, mas não há publicações sobre possível sazonalidade na escolha dos itens alimentares. O Parque Estadual Fontes do Ipiranga (PEFI), terceiro maior fragmento de Mata Atlântica da capital paulista, abriga uma população desta espécie. Este trabalho objetivou estudar se o consumo de itens arbóreos por B. variegatus na área seria influenciado pela disponibilidade de tais recursos, e se o clima apresenta relação com o comportamento postural, exposição solar e posição na copa da espécie neste parque, indicando serem estratégias comportamentais de termorregulação. Com base em estudos anteriores e observações prévias foram formuladas cinco hipóteses: 1- há variação de disponibilidade de alimento ao longo do ano, considerando-se os itens arbóreos; 2- o consumo dos itens arbóreos pelas preguiças ocorre de maneira heterogênea ao longo do ano; 3- o consumo dos itens está relacionado à disponibilidade dos mesmos; 4- em épocas de escassez de folhas jovens há maior ocorrência do comportamento de locomoção; 5- as posturas corporais, exposição ao sol e posição na copa estão relacionadas a variáveis climáticas. Para o estudo do comportamento alimentar foram observados, ao longo de 11 meses, 45 indivíduos de uma comunidade arbórea e, ao longo de 12 meses, 24 espécimes de Bradypus variegatus, resultando em 210 horas de campo e 477 registros de consumo de dieta. Para o estudo de comportamento de termorregulação foram observados nove indivíduos ao longo de 12 meses, resultando em 212 registros e 215 horas de observação. Os resultados não corroboraram a hipótese de disponibilidade diferencial dos itens arbóreos ao longo do ano, indicando dada assincronia fenológica entre as espécies da comunidade testada, mas corroboraram o consumo diferencial dos itens ao longo do ano pelas preguiças, com maior preferência na época fria por estruturas reprodutivas, em detrimento de folhas. No entanto, este consumo diferencial não pôde ser relacionado às flutuações de disponibilidade e parece ter mais ligação com a preferência por itens sazonais. Com relação ao comportamento de termorregulação, aparentemente para as preguiças é mais vantajoso locomover-se pela copa para buscar locais ensolarados do que adotar certas posturas, embora tais resultados possam ter sido enviesados pela presença de muitas fêmeas gestantes ou lactantes na amostra. No entanto, esta amostragem gerou discussão pertinente a respeito do comportamento termorregulatório da espécie, principalmente para a condição reprodutiva encontrada. Os dados deste estudo poderão auxiliar na compreensão de como animais tão especializados interagem com o ambiente, gerando subsídios para pesquisas, manejo e conservação da espécie, bem como para comparações futuras com este e outros grupos de mamíferos, principalmente ameaçados. Palavras-chave: Preguiças, ecologia comportamental, comportamento postural, fenologia, forrageamento ótimo.
Keywords Sloths
Behavioral Ecology
Postural Behavior
Phenology
Optimal Foraging
Preguiças
Ecologia Comportamental
Comportamento Postural
Fenologia
Forrageamento Ótimo
Language Portuguese
Date 2017-04-28
Research area Padrões E Processos Ecológicos
Knowledge area Ecologia E Evolução
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 26p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5058612
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50299

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account