Caracterização Dos Efeitos De Um Inibidor Da Eca Sobre Comportamentos Associados À Esquizofrenia Em Um Modelo De Animal: A Linhagem Shr (Spontaneously Hypertensive Rats)

Caracterização Dos Efeitos De Um Inibidor Da Eca Sobre Comportamentos Associados À Esquizofrenia Em Um Modelo De Animal: A Linhagem Shr (Spontaneously Hypertensive Rats)

Author Justi, Veronica Vilela De Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Abilio, Vanessa Costhek Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Psiquiatria E Psicologia Médica
Abstract Schizophrenia is one of the most severe and disabling psychiatric disorder and affects around 1% of world population. It is characterized by positive symptoms, such as delusions and hallucinations; negative symptoms like blunted affect e alogia; and cognitive dysfunction. In parallel, it is reported an association between schizophrenia and hypertension and involvement of the renin-angiotensin system (RAS) with the physiopathology of the disease. Indeed, the affected people present changes in this system as well as other cardiovascular alterations, however, the relation between hypertension and schizophrenia is not entirely established. In this context, it was performed the assessment of the effects of an anti- hypertensive drug class – angiotensin-converting enzyme (ACE) inhibitors – on blood pressure (BP) and behaviors of locomotion, social interaction and contextual fear conditioning (CFC) in Wistar and SHR strains in two chronic treatment (homogeneous and heterogenous housing) and an acute treatment in heterogenous housing. Regarding the arterial pressure, in both chronic treatments, the treated groups of both strains presented reduced BP in relation to vehicle groups of the same strain. In the acute treatment, however, the SHR strain presented increased BP when compared to Wistar strain. Wistar groups treated with enalapril had decreased BP in relation to Wistar vehicle group. In regard to behavioral assessment in the treatment in homogeneous housing, enalapril led to increased total locomotion only in SHR strain. Besides, tread SHR group presented a mitigation in memory deficit. The other behaviors (central locomotion, anxiety index and social interaction) were not altered by the treatment, but significantly differences between strains were observed. In the treatment in heterogenous housing, Wistar and SHR groups treated with enalapril presented increase in central locomotion. Treated Wistar group presented diminished anxiety index and also reduced social interaction. Regarding the CFC, no statistic differences were observed between strains and the treatment did not alter this behavior. In the acute treatment in heterogenous housing, the enalapril had effect only on social interaction and led to an increase of this parameter in SHR group treated with enalapril at the dose of 30 mg/kg. The other behaviors (total and central locomotion, anxiety index and CFC) presented significant differences between strains and the treatment did not modify these parameters. Enalapril was a drug capable of modifying behaviors. However, modifications were controversial. The increase in animals’ locomotion may suggest increased dopamine levels in striatum and the hyperlocomotion is associated to positive symptom of schizophrenia. Nevertheless, this same drug was capable of mitigating SHR memory deficit, which mimics cognitive dysfunction in the disorder. Together, this data encourages future neurochemical investigation to better understanding of the relation

A esquizofrenia é um dos mais graves e incapacitantes transtornos psiquiátricos e afeta em torno de 1% da população mundial. Caracteriza-se por sintomas positivos, como delírios e alucinações; sintomas negativos, como embotamento afetivo e alogia; e déficits cognitivos. Paralelamente, uma associação entre esquizofrenia e hipertensão é relatada, e sugere-se um envolvimento do sistema renina-angiotensina (SRA) com a fisiopatologia da doença. De fato, sabe-se que os portadores apresentam alterações nesse sistema bem como outras alterações cardiovasculares e, no entanto, a relação entre hipertensão e esquizofrenia ainda não está completamente estabelecida. Nesse contexto, foram realizadas avaliações dos efeitos de uma classe de anti-hipertensivo - inibidor da ECA - sobre a pressão arterial (PA) e comportamentos de locomoção, interação social e medo condicionado ao contexto (MCC) nas linhagens Wistar e SHR em dois tratamentos crônicos (caixa homogênea e caixa heterogênea) e um tratamento agudo em caixa heterogênea. Com relação a pressão arterial, em ambos os tratamentos crônicos, os grupos tratados de ambas as linhagens apresentaram diminuição deste parâmetro em relação aos grupos veículos. Já o tratamento agudo, a linhagem SHR apresentou um aumento da PA em relação à linhagem Wistar. Os grupos da linhagem Wistar tratados com enalapril apresentaram diminuição da PA em relação ao veículo da mesma linhagem, na linhagem SHR, apenas a dose de 5 mg/kg diminuiu este parâmetro em relação ao grupo veículo. Com relação à avaliação comportamental no tratamento em caixas homogêneas, o enalapril levou a um aumento da locomoção total apenas na linhagem SHR. Além disso, o grupo tratado desta mesma linhagem apresentou uma atenuação no déficit de memória. Os demais comportamentos (locomoção central, índice de ansiedade e interação social) não foram alterados pelo tratamento, mas as linhagens apresentaram diferença significativa. No tratamento em caixas heterogêneas, os grupos Wistar e SHR tratados com enalapril apresentaram aumento da atividade locomotora central. O grupo Wistar tratado apresentou uma diminuição no índice de ansiedade, bem como uma diminuição da interação social. Com relação ao MCC, não houve diferença estatística entre as linhagem e o tratamento não alterou este comportamento. Com relação ao tratamento agudo em caixa heterogênea, o enalapril modificou apenas a interação social, levando a um aumento deste parâmetro no grupo SHR tratado com enalapril na dose de 30 mg/kg. Os demais comportamentos (locomoção, locomoção central, índice de ansiedade e MCC) apresentaram diferença significativa entra as linhagens e o tratamento não modificou os parâmetros. O enalapril se mostrou uma droga capaz de modificar comportamentos. Contudo, as modificações foram controversas. O aumento da locomoção dos animais pode indicar um aumento da dopamina no estriado e a hiperlocomoção está associada aos sintomas positivos da esquizofrenia. Entretanto, esta mesma droga foi capaz de atenuar o déficit de memória na linhagem SHR, que mimetiza déficits cognitivos no transtorno. Esses dados reforçam a necessidade de uma investigação neuroquímica para melhor compreensão desta relação.
Keywords Schizophrenia
Hypertension
Animal Models
Enalapril
Prevention
Esquizofrenia
Hipertensão
Modelos Animais
Enalapril
Prevenção
Language Portuguese
Date 2017-08-31
Research area Psicopatologia E Psiquiatria Clínica
Knowledge area Psiquiatria
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 0p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5046876
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50078

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account