Caracterização E Vias De Sinalização Intracelular Dos Receptores Estrogênicos Em Células De Câncer Prostático Independentes De Andrógenos Du-145

Caracterização E Vias De Sinalização Intracelular Dos Receptores Estrogênicos Em Células De Câncer Prostático Independentes De Andrógenos Du-145

Author Souza, Deborah Simao De Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Porto, Catarina Segreti Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Farmacologia
Abstract Andrógenos, estrógenos e as interações parácrinas entre o estroma e o epitélio estão envolvidos no desenvolvimento do câncer prostático. O câncer prostático inicialmente responde bem à terapia de ablação androgênica, mas em muitos casos o tumor progride para um fenótipo independente de andrógeno ou também denominado resistente à castração (CRPC, castration resistant prostate cancer). Os estrógenos atuando nos clássicos receptores estrogênicos ESR1 (ERα) e ESR2 (ERβ) poderiam ter uma função importante neste mecanismo. Assim, o objetivo deste estudo foi verificar a expressão, a localização e a sinalização intracelular dos receptores estrogênicos em linhagem celular de câncer prostático independente de andrógenos DU-145 (células de metástase cerebral de carcinoma prostático), usada in vitro como um modelo de CRPC. Células epiteliais de próstata (PNT1A), obtida de um homem pós-puberdade, foram usadas como controle em alguns experimentos. Além disso, foi avaliada a contribuição de ESR1 e ESR2 na ativação das vias de sinalização intracelular ERK1/2 (extracelular signal-regulated protein kinases) e da serino/treonina quinase AKT. Foi mostrado que: 1. Os clássicos receptores estrogênicos (ESR1 e ESR2) estão localizados próximo à membrana plasmática e no citoplasma (compartimento extranuclear) das células DU-145. Estes resultados foram confirmados por ensaios de Western blot. A localização predominantemente extracelular de ambos os receptores nas células DU-145 difere da localização nuclear observada na maioria das células-alvo do estrógeno e sugere que estes receptores possam desempenhar uma função na sinalização rápida dos estrógenos nas células de câncer prostático independentes de andrógenos DU-145. 2. Na presença do inibidor de CRM1 (exportina1, proteína que transporta macromoléculas do núcleo para o citoplasma) leptomicina B, imunomarcações para o ESR1 e o ESR2 estão presentes no núcleo das células DU-145, sugerindo o envolvimento da CRM1 na localização preferencialmente extranuclear dos ERs nestas células. 3. O tratamento das células DU-145 com E2 levou à rápida fosforilação da ERK1/2 aos 5 minutos. Este efeito foi parcialmente bloqueado pelos antagonistas seletivos do ESR1 (MPP) ou do ESR2 (PHTPP). Os agonistas seletivos do ESR1 (PPT) e do ESR2 (DPN) também levaram ao aumento da fosforilação da ERK1/2. Estes efeitos foram bloqueados pelos respectivos antagonistas seletivos. A ativação da ERK1/2 pelo E2 foi bloqueada totalmente pela pré-incubação simultânea com os antagonistas seletivos do ESR1 (MPP) e do ESR2 (PHTPP). Estes resultados, em conjunto, sugerem que a heterodimerização destes receptores possa ser importante para a ativação das vias de sinalização rápida, como por exemplo, a fosforilação da ERK1/2. 4. Nas células DU-145, a expressão da AKT total foi detectada, mas não a da AKT fosforilada. O tratamento com E2 não alterou a expressão da AKT nem induziu fosforilação da AKT nestas células. 5. A isoforma ESR1-36 e o receptor acoplado à proteína G (GPER) estão presentes próximos à membrana plasmática e no citoplasma das células PNT1A e DU-145, sugerindo que alguma via de sinalização rápida poderia ser ativada por estes receptores. Em resumo, neste estudo foi detectada a presença dos receptores estrogênicos ESR1 e ESR2, preferencialmente próximo à membrana plasmática e no citoplasma (compartimento extranuclear) das células DU-145. A exportina CRM1 está envolvida na translocação destes receptores do núcleo para o citoplasma e para a superfície celular. A localização preferencialmente extranuclear destes receptores sugere que vias de sinalizações rápidas, mediadas pelos estrógenos, estão preferencialmente ativas nas células DU-145. De fato, a ativação de ESR1 e ESR2 leva à fosforilação da ERK1/2, mas não da AKT nestas células. Além disso, detectamos também a presença da isoforma ESR1-36 e do GPER, sendo o primeiro estudo a reportar a presença do ESR1-36 em linhagens de células prostáticas normais PNT1A e cancerígenas DU-145. A presença destes receptores evidencia o processo multifatorial da sinalização estrogênica nestas células. O entendimento da regulação, de outras vias de sinalização e das funções destes receptores, pode levar à melhor compreensão dos mecanismos envolvidos no câncer prostático resistente à castração.

Andrógenos, estrógenos e as interações parácrinas entre o estroma e o epitélio estão envolvidos no desenvolvimento do câncer prostático. O câncer prostático inicialmente responde bem à terapia de ablação androgênica, mas em muitos casos o tumor progride para um fenótipo independente de andrógeno ou também denominado resistente à castração (CRPC, castration resistant prostate cancer). Os estrógenos atuando nos clássicos receptores estrogênicos ESR1 (ERα) e ESR2 (ERβ) poderiam ter uma função importante neste mecanismo. Assim, o objetivo deste estudo foi verificar a expressão, a localização e a sinalização intracelular dos receptores estrogênicos em linhagem celular de câncer prostático independente de andrógenos DU-145 (células de metástase cerebral de carcinoma prostático), usada in vitro como um modelo de CRPC. Células epiteliais de próstata (PNT1A), obtida de um homem pós-puberdade, foram usadas como controle em alguns experimentos. Além disso, foi avaliada a contribuição de ESR1 e ESR2 na ativação das vias de sinalização intracelular ERK1/2 (extracelular signal-regulated protein kinases) e da serino/treonina quinase AKT. Foi mostrado que: 1. Os clássicos receptores estrogênicos (ESR1 e ESR2) estão localizados próximo à membrana plasmática e no citoplasma (compartimento extranuclear) das células DU-145. Estes resultados foram confirmados por ensaios de Western blot. A localização predominantemente extracelular de ambos os receptores nas células DU-145 difere da localização nuclear observada na maioria das células-alvo do estrógeno e sugere que estes receptores possam desempenhar uma função na sinalização rápida dos estrógenos nas células de câncer prostático independentes de andrógenos DU-145. 2. Na presença do inibidor de CRM1 (exportina1, proteína que transporta macromoléculas do núcleo para o citoplasma) leptomicina B, imunomarcações para o ESR1 e o ESR2 estão presentes no núcleo das células DU-145, sugerindo o envolvimento da CRM1 na localização preferencialmente extranuclear dos ERs nestas células. 3. O tratamento das células DU-145 com E2 levou à rápida fosforilação da ERK1/2 aos 5 minutos. Este efeito foi parcialmente bloqueado pelos antagonistas seletivos do ESR1 (MPP) ou do ESR2 (PHTPP). Os agonistas seletivos do ESR1 (PPT) e do ESR2 (DPN) também levaram ao aumento da fosforilação da ERK1/2. Estes efeitos foram bloqueados pelos respectivos antagonistas seletivos. A ativação da ERK1/2 pelo E2 foi bloqueada totalmente pela pré-incubação simultânea com os antagonistas seletivos do ESR1 (MPP) e do ESR2 (PHTPP). Estes resultados, em conjunto, sugerem que a heterodimerização destes receptores possa ser importante para a ativação das vias de sinalização rápida, como por exemplo, a fosforilação da ERK1/2. 4. Nas células DU-145, a expressão da AKT total foi detectada, mas não a da AKT fosforilada. O tratamento com E2 não alterou a expressão da AKT nem induziu fosforilação da AKT nestas células. 5. A isoforma ESR1-36 e o receptor acoplado à proteína G (GPER) estão presentes próximos à membrana plasmática e no citoplasma das células PNT1A e DU-145, sugerindo que alguma via de sinalização rápida poderia ser ativada por estes receptores. Em resumo, neste estudo foi detectada a presença dos receptores estrogênicos ESR1 e ESR2, preferencialmente próximo à membrana plasmática e no citoplasma (compartimento extranuclear) das células DU-145. A exportina CRM1 está envolvida na translocação destes receptores do núcleo para o citoplasma e para a superfície celular. A localização preferencialmente extranuclear destes receptores sugere que vias de sinalizações rápidas, mediadas pelos estrógenos, estão preferencialmente ativas nas células DU-145. De fato, a ativação de ESR1 e ESR2 leva à fosforilação da ERK1/2, mas não da AKT nestas células. Além disso, detectamos também a presença da isoforma ESR1-36 e do GPER, sendo o primeiro estudo a reportar a presença do ESR1-36 em linhagens de células prostáticas normais PNT1A e cancerígenas DU-145. A presença destes receptores evidencia o processo multifatorial da sinalização estrogênica nestas células. O entendimento da regulação, de outras vias de sinalização e das funções destes receptores, pode levar à melhor compreensão dos mecanismos envolvidos no câncer prostático resistente à castração.
Keywords Cancer
Cancer Prostático
Receptores Estrogênicos
Esr36 E Gper
Erk1
2
Akt
Language Portuguese
Date 2017-09-28
Research area Farmacologia E Fisiologia Celular E Molecular
Knowledge area Fisiologia E Farmacologia
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 0p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=5062215
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/50054

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account