Paralisia facial associada à otite média aguda

Paralisia facial associada à otite média aguda

Título alternativo Facial paralysis associated with acute otitis media
Autor Yonamine, Fernando Kaoru Autor UNIFESP Google Scholar
Tuma, Juliane Autor UNIFESP Google Scholar
Silva, Rogério Fernandes Nunes da Autor UNIFESP Google Scholar
Soares, Maria Claudia Mattos Autor UNIFESP Google Scholar
Testa, Jose Ricardo Gurgel Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Acute otitis media with facial paralysis is not a very frequent association. AIM: the goal of the present investigation was to asses the evolution of facial paralysis caused by acute otitis media. STUDY FORMAT: clinical-retrospective. MATERIALS AND METHODS: we studied 40 patients with this association, from a total of 2758 cases of facial paralysis seen during this time in the department of facial nerve disorders. All the patients were clinically assessed and had epidemiological data, prognostics and evolution. RESULTS AND CONCLUSION: the paralysis was of sudden onset in 95% of the cases. Recovery was of 85% for grade I (House-Brackman) and 15% for grade II (House-Brackman). Treatment was clinical, with antibiotics and steroids - yielding good results. In those patients with electrical bad prognosis, facial nerve decompression turned their evolution into a favorable one.

A otite média aguda com paralisia facial não é uma associação muito freqüente. OBJETIVO: O objetivo deste trabalho foi avaliar a evolução da paralisia facial decorrente de otite média aguda. FORMA DE ESTUDO: Clínico retrospectivo. MATERIAL E MÉTODO: Foram estudados 40 pacientes com esta associação de patologias, num total de 2758 casos de paralisa facial atendidos neste período no setor de distúrbios do nervo facial. Todos os pacientes foram avaliados clinicamente com dados epidemiológicos, prognósticos e evolutivos. RESULTADOS E CONCLUSÃO: A paralisia foi súbita em 95% dos casos. A recuperação foi de 85% para o grau I (House-Brackman) e 15% para o grau II (House-Brackman). O tratamento foi clínico com antibiótico e corticoterapia com bons resultados. Nos pacientes com mau prognóstico elétrico a descompressão do nervo facial fez com que a evolução fosse favorável.
Palavra-chave otitis media
facial paralysis
otite média
paralisia facial
Idioma Português
Data de publicação 2009-04-01
Publicado em Revista Brasileira de Otorrinolaringologia. ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial, v. 75, n. 2, p. 228-230, 2009.
ISSN 0034-7299 (Sherpa/Romeo)
Publicador ABORL-CCF Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial
Extensão 228-230
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-72992009000200011
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-72992009000200011 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/5002

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0034-72992009000200011.pdf
Tamanho: 180.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta