The mental health of Korean immigrants in São Paulo, Brazil

The mental health of Korean immigrants in São Paulo, Brazil

Título alternativo Saúde mental dos imigrantes coreanos em São Paulo, Brasil
Autor Kang, Sam Autor UNIFESP Google Scholar
Razzouk, Denise Autor UNIFESP Google Scholar
Mari, Jair de Jesus Autor UNIFESP Google Scholar
Shirakawa, Itiro Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo This study investigated the frequency of lifetime mental disorders among Korean immigrants in the city of São Paulo, Brazil. Snowball sampling with multiple focuses was used to recruit Korean immigrants older than 18 years and living in São Paulo. A total of 324 Korean immigrants were selected and their mental status was evaluated using a structured interview, namely the Portuguese or the Korean version of the Composite International Diagnostic Interview 2.1. The diagnoses of mental disorders were made according to the ICD-10. The frequency of any lifetime psychiatric disorder was 41.9%. The frequencies of main disorders were: anxiety disorder, 13% (post-traumatic stress disorder, 9.6%); mood disorder, 8.6%; somatoform disorders, 7.4%; dissociative disorder, 4.9%; psychotic disorder, 4.3%; eating disorder, 0.6%; any substance (tobacco, alcohol, drugs) use disorder, 23.1%. The frequency of any psychiatric disorder except alcohol and tobacco use disorders was 26.2%. Korean immigrants have more psychiatric disorders than the Korean population in Korea, particularly post-traumatic stress disorder, and almost the same rate as the Brazilian population. Mental health authorities should promote a healthier integration and the development of culturally sensitive mental health programs for Korean immigrants.

Este estudo verificou a freqüência de transtornos psiquiátricos em uma comunidade de imigrantes coreanos na cidade de São Paulo, Brasil. A amostragem snowball com vários focos foi utilizada para contatar os imigrantes coreanos, acima de 18 anos e residentes em São Paulo. Foram selecionados 324 sujeitos, cuja saúde mental foi avaliada por meio de uma entrevista estruturada, Composite International Diagnostic Interview 2.1, nas versões em português e coreano. Foi utilizado o critério de diagnóstico CID-10. A freqüência de algum diagnóstico psiquiátrico na vida foi de 41,9%. As freqüências de principais diagnósticos na vida foram: transtornos de ansiedade, 13% (transtorno de estresse pós-traumático, 9,6%); transtornos do humor, 8,6%; transtornos somatoformes, 7,4%; transtornos dissociativos, 4,9%; transtornos psicóticos, 4,3%; transtornos alimentares, 0,6%; transtornos decorrentes de substâncias (álcool, tabaco ou drogas), 23,1%. A freqüência de diagnósticos psiquiátricos na vida, excluindo-se os decorrentes de álcool e tabaco, foi de 26,2%. Os imigrantes coreanos apresentam mais transtornos psiquiátricos do que a população coreana na Coréia, especialmente transtorno de estresse pós-traumático, e uma taxa semelhante à encontrada na população brasileira. As autoridades de saúde mental devem promover uma integração mais saudável por meio de programas culturalmente sensíveis aos imigrantes coreanos.
Palavra-chave Mental Disorders
Mental Health
Imigrants
Transtornos Mentais
Saúde Mental
Imigrantes
Idioma Inglês
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data de publicação 2009-04-01
Publicado em Cadernos de Saúde Pública. Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, v. 25, n. 4, p. 819-826, 2009.
ISSN 0102-311X (Sherpa/Romeo)
Publicador Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz
Extensão 819-826
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2009000400013
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0102-311X2009000400013 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4981

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-311X2009000400013.pdf
Tamanho: 92.31KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta