Fatores associados ao consumo de ultraprocessados em adultos

Show simple item record

dc.contributor.advisor Zangirolani, Lia Thieme Oikawa [UNIFESP]
dc.contributor.author Pereira, Mayara Gonçalves [UNIFESP]
dc.coverage.spatial Instituto de Saúde e Sociedade (ISS) pt_BR
dc.date.accessioned 2019-03-01T19:00:27Z
dc.date.available 2024-03-01
dc.date.available 2019-03-01T19:00:27Z
dc.date.issued 2018-12-10
dc.identifier.citation PEREIRA, Mayara Gonçalves. Fatores associados ao consumo de ultraprocessados em adultos. 2018. 8 p. Trabalho de conclusão de curso (Graduação - Nutrição) -- Instituto Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo, Santos, 2018. pt
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/49786
dc.description.abstract As prevalências de obesidade e Doenças Crônicas não Transmissíveis aumentaram nos últimos anos, impulsionadas por mudanças nos hábitos alimentares, incluindo o crescimento do consumo de alimentos ultraprocessados, que são nutricionalmente desfavoráveis e impactam negativamente a qualidade da alimentação. O objetivo do estudo foi avaliar o consumo de alimentos ultraprocessados e sua associação com fatores sociodemográficos, de comportamentos de vida e Índice de Massa Corporal - IMC. Trata-se de um estudo transversal de base populacional, em que foram analisados dados do Inquérito de Saúde do município de Campinas (ISACamp 2008-2009). O consumo alimentar foi estimado por recordatório alimentar de 24h, e os alimentos foram classificados em quatro grupos: alimentos in natura ou minimamente processados, ingredientes culinários processados, alimentos processados e ultraprocessados. As análises estatísticas foram feitas no software Stata 12.0. Foram calculadas as contribuições energéticas dos grupos alimentares e utilizou-se regressão linear simples, com intervalo de confiança de 95%, para avaliar a associação entre o consumo de alimentos ultraprocessados e as variáveis. Os resultados revelam que 54,1% calorias diárias eram provenientes de alimentos in natura ou minimamente processados e 24,1% de alimentos ultraprocessados. O consumo de alimentos ultraprocessados mostrou-se maior entre as mulheres, nos mais jovens e nos indivíduos com maiores níveis de renda e escolaridade. Os resultados confirmam a participação expressiva dos ultraprocessados no perfil alimentar da população, sinalizando a importância de políticas públicas de alimentação e nutrição integradas ao setor saúde pt
dc.format.extent 08 p. pt_BR
dc.language por pt_BR
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt_BR
dc.rights Acesso restrito pt_BR
dc.subject Consumo Alimentar pt_BR
dc.subject Alimentos Ultraprocessados pt_BR
dc.subject Inquéritos Epidemiológicos pt_BR
dc.title Fatores associados ao consumo de ultraprocessados em adultos pt_BR
dc.type Trabalho de conclusão de curso de graduação pt_BR
unifesp.campus Instituto de Saúde e Sociedade (ISS) pt_BR
unifesp.knowledgeArea Nutrição pt_BR
dc.contributor.authorLattes http://lattes.cnpq.br/8873509287830026 pt_BR
dc.contributor.advisorLattes http://lattes.cnpq.br/6450285456968682 pt_BR
unifesp.departamento Departamento de Políticas Públicas e Saúde Coletiva pt_BR
unifesp.graduacao Nutrição pt_BR



File

Name: MayaraGoncalves ResumoExpandido 2018.pdf
Size: 153.0Kb
Format: PDF
Description: Resumo Expandido TCC
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account