A iodúria de pacientes portadores de tireopatias autoimunes em Santo andré, SP, é comparável à dos indivíduos normais e estável nos últimos dez anos

A iodúria de pacientes portadores de tireopatias autoimunes em Santo andré, SP, é comparável à dos indivíduos normais e estável nos últimos dez anos

Título alternativo Urinary iodine in patients with auto-immune thyroid disorders in Santo andré, SP, is comparable to normal controls and has been steady for the last 10 years
Autor Marino, Maria Angela Zaccarelli Google Scholar
Martins, Lourdes Conceição Google Scholar
Esteves, Roberto Z. Autor UNIFESP Google Scholar
Kasamatsu, Teresa S. Autor UNIFESP Google Scholar
Maciel, Rui Monteiro de Barros Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade de São Paulo (USP)
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: Evaluate whether the increase of iodine in the diet would be the triggering factor for auto-immune thyropathies in the city of Santo André, SP. METHODS: Urinary iodine was determined in samples isolated from 58 patients, divided in 4 Groups, and in 13 normal individuals (controls). RESULTS: Urinary Iodine: Group 1 - hyperthyroidism = 203.5±152.71 µg/ L(mean±sd); Group 2 - hypothyroidism = 258.31±148,2 µg/L; Group 3 - chronic auto-immune thyroiditis = 244.29±191.6 µg/L; group 4 (Amiodarone) = 1157.5±261.8 µg/L; Group 5 - Controls = 262.31±146.2 µg/L. On comparing the means of urinary iodine among the groups, the means for groups 1, 2, 3, and 5 did not present significant differences (p>0.05), and all differed from group 4 (p<0.05). Urinary iodine obtained in groups 1, 2, 3 and 5, obtained in 2002-03, is not different from the values determined in students in 1994 in Santo André. CONCLUSION: This study shows evidence that iodine should not be considered as the responsible agent for auto-immune thyropathies in Santo André, and other environmental factors should be investigated.

OBJETIVO: Avaliar se o aumento de iodo na dieta seria o fator desencadeante de tireopatias autoimunes na cidade de Santo André, SP. MÉTODOS: Determinou-se a iodúria em amostra isolada de 58 pacientes, divididos em quatro grupos e de 13 indivíduos normais (controles). RESULTADOS: Iodúria: grupo 1 - hipertireoidismo = 203,5 ± 152,71 µg/L (média ± DP); grupo 2 hipotireoidismo = 258,31 ± 148,2 µg/L; grupo 3 - tireodite crônica autoimune = 244,29 ± 191,6 µg/L; grupo 4 - amiodarona = 1.157,5 ± 261,8 µg/L; grupo 5 - controles = 262,31 ± 146,2 µg/L. Comparadas as médias da iodúria entre os cinco grupos, dos grupos 1, 2, 3 e 5 não apresentaram diferenças significantes (p > 0,05) e todos diferiram do grupo 4 (p < 0,05). A iodúria dos grupos 1, 2, 3 e 5, obtida em 2002 e 2003, não diferiram dos valores determinados em 1994 em escolares em Santo André. CONCLUSÃO: Este estudo evidencia que o iodo não deve ser considerado o agente responsável pelas tireopatias autoimunes em Santo André, e outros fatores ambientais devem ser investigados.
Palavra-chave Urinary iodine
chronic auto-immune thyroiditis
amiodarone
hypothyroidism
hyperthyroidism
Iodúria
tireoidite crônica autoimune
amiodarona
hipotireoidismo
hipertireoidismo
Idioma Português
Financiador Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP)
Data de publicação 2009-02-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, v. 53, n. 1, p. 55-63, 2009.
ISSN 0004-2730 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Extensão 55-63
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302009000100009
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000264063700009
SciELO S0004-27302009000100009 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4887

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27302009000100009.pdf
Tamanho: 178.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta