Papel das células t “natural killer” na modulação da inflamação renal aguda

Papel das células t “natural killer” na modulação da inflamação renal aguda

Autor Khaled, Nathalia Amato Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Keller, Alexandre de Castro Keller Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Microbiologia e Imunologia
Resumo O sistema imunológico desempenha um papel importante tanto na fisiologia quanto na patologia de diferentes doenças renais, porém o papel das células T “Natural Killer” (NKT) nesse processo ainda é negligenciado. Essas células constituem uma subpopulação de linfócitos T, cuja principal característica é a seletividade por antígenos lipídicos apresentados pela molécula CD1d. Nesse sentido, nossa hipótese era de que o processo inflamatório renal levaria à expressão de glicolipídeos endógenos, os quais ativariam as células NKT, modulando dessa forma a lesão renal. Utilizando um modelo de insuficiência renal aguda induzida por cisplatina, mostramos que animais Jα18-/-, deficientes em células NKT invariantes (iNKT), e CD1d- /-, deficientes em células iNKT e NKT-tipo II desenvolvem uma doença mais grave em comparação aos camundongos selvagens (wild-type, WT), corroborando a ideia de que as células NKT participam de maneira importante na modulação da doença. Como a reconstituição de animais Jα18 -/- com células iNKT, ao contrário do observado nos animais CD1d/-, reverteu a doença a níveis próximos aos dos animais WT, nossos dados estão de acordo com a hipótese de que a lesão aguda renal induz a expressão, pela molécula CD1d, de antígenos endógenos com atividade antigênica sobre as células NKT. Esses dados são reforçados pelo aumento, no tecido renal, na expressão de transcritos associados à síntese de GD3, GM3 e iGb3, glicolipídeos já descritos como possíveis antígenos endógenos para as células iNKT. Vimos também que esses mesmos transcritos estão aumentados, de forma recoce, no modelo de glomerulonefrite anti-membrana basal glomerular (GNaMBG), o qual representa as manifestações clínicas contradas na doença autoimune humana que leva esse nome. Nesse modelo, novamente, a ausência das células NKT está associada com uma maior severidade da doença em comparação aos animais controle, in dicando a importância dessas células na modulação da inflamação renal crônica. Utilizando um modelo de ativação de células NKT in vitro, mostramos que a presença, no tecido renal, da molécula CD1d é indispensável para a ativação dessas células em resposta à lesão induzida pelo depósito de anticorpos anti-MBG. Portanto, esses dados reforçam o papel das células NKT na modulação da lesão renal e, que a presença de ligantes endógenos expressos pela molécula CD1d desempenham papel importante nesse processo. Concluindo, nossos dados corroboram a ideia de que o processo inflamatório envolvido no desenvolvimento da lesão renal induz a síntese de glicolipídeos endógenos, que de forma ainda desconhecida, modulam a severidade da doença pela ativação de células NKT, de forma CD1d-dependente.
Assunto insuficiência renal aguda
cisplatina
nkt
Idioma Português
Data 2014-10-29
Publicado em KHALED, Nathalia Amato. Papel das células t “natural killer” na modulação da inflamação renal aguda. 2014. 64 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Linha de pesquisa Microbiologia
Área de concentração Ciências biológicas
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 64 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1316547
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48627

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)