Estudo da relação entre nível sérico de vitamina d, grau de fibrose hepática e resposta virológica ao tratamento com interferon peguilado e ribavirina em pacientes com hepatite c crônica

Estudo da relação entre nível sérico de vitamina d, grau de fibrose hepática e resposta virológica ao tratamento com interferon peguilado e ribavirina em pacientes com hepatite c crônica

Author Almeida, Patricia Souza de Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Parise, Edison Roberto Parise Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Gastroenterologia
Abstract Introdução: A deficiência de 25 hidroxivitamina D3 [25(OH)D] tem sido identificada em portadores crônicos do vírus da hepatite C (HCV), particularmente em pacientes com doença avançada. Ainda é tema controverso se a deficiência de 25(OH)D estaria relacionada à menor chance de resposta virológica sustentada (RVS) após terapia antiviral com interferon peguilado (PegINF) e ribavirina (RIBA). Objetivo: Avaliar a prevalência da deficiência de 25(OH)D em portadores do HCV e relacionar seus níveis com as lesões histológicas da doença e com a resposta virológica ao tratamento com PegIFN + RIBA. Métodos: Foram analisados dados coletados de prontuários padronizados de portadores do HCV genótipo 1 tratados com PegINF+RBV entre 2001 e 2011, excluídos os portadores de cirrose descompensada; carcinoma hepatocelular; outra doença hepática concomitante (exceto DHGNA); co-infecção com vírus B e HIV; consumo de álcool > 20 g/dia, doença renal crônica, hiperparatireoidismo e uso de medicações que interferem no metabolismo da vitamina D. O nível sérico de 25(OH)D foi determinado por método de quimioluminescência a partir de soros estocados a -20°C e categorizado em níveis < 10 ng/dL (deficiência), entre 10 e 30 ng/dL (insuficiência) e > 30 ng/dL (suficiência). Resultados: Dos 201 indivíduos incluídos, 53% eram homens, 70% caucasóides, com média de idade de 46 anos. Subtipo 1b foi identificado em 48% e 57% possuíam carga viral > 800.000 UI/mL. Fibrose avançada (E3/E4) foi encontrada em 29%, e 40% dos pacientes apresentavam grau mais intensos de atividade inflamatória (APP3/ APP4). RVS foi observada em 47% dos pacientes. Níveis insuficientes ou deficientes de 25(OH)D foram observados em 69% dos pacientes e não se associaram à atividade inflamatória (p = 0,105) nem ao estadiamento (p = 0,895). Também não houve associação entre nível de 25(OH)D e a taxa de RVS (níveis baixos: 49%; níveis normais: 42%; p = 0,359). Apenas níveis mais baixos de albumina (p = 0,006), o gênero feminino (p = 0,002) e a idade (p = 0,001) apresentaram associação com o nível sérico de 25(OH)D deficiente ou insuficiente. Conclusão: A deficiência de vitamina D não esteve associada à maior gravidade histológica em portadores do HCV. Da mesma forma, a probabilidade de obter RVS não foi influenciada pelos níveis basais de vitamina D.
Keywords hepatite c crônica
fibrose hepática
interferon peguilado
ribavirina
resposta virológica
vitamina d
adultos
Language Portuguese
Date 2014-03-19
Published in ALMEIDA, Patricia Souza de. Estudo da relação entre nível sérico de vitamina d, grau de fibrose hepática e resposta virológica ao tratamento com interferon peguilado e ribavirina em pacientes com hepatite c crônica. 2014. 82 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 82 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1884204
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48548

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account