Associação entre expressão gênica e função precoce do enxerto renal: potenciais biomarcadores

Associação entre expressão gênica e função precoce do enxerto renal: potenciais biomarcadores

Autor Mourao, Tuila Bittencourt Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lima, Maria Gerbase de Lima Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Microbiologia e Imunologia
Resumo No transplante renal (Tx) a qualidade do órgão no momento da implantação influencia a ocorrência de função retardada do enxerto (DGF, Delayed Graft Function), assim como a função renal e a sobrevida do enxerto em longo prazo. Ferramentas confiáveis que avaliem a qualidade do rim a ser transplantado e que sejam capazes de quantificar o risco de complicações pós-Tx ainda não estão disponíveis. Os objetivos do presente trabalho foram: (1) validar os resultados obtidos em estudo anterior de microarray sobre a relação entre expressão de determinados genes e ocorrência de DGF (genes ACSL4, CUBN, DEFB1, FABP3 e GK) e pior função renal aos 12 meses pós-Tx (genes HLADQB1 e MGP); (2)investigar se a expressão dos mesmos genes selecionados no estudo de microarray estariam também associados aos desfechos quando avaliados em células mononucleares (CMN) do sangue periférico coletado no primeiro dia pós-Tx. Métodos. Todos os pacientes incluídos receberam enxerto renal de doador falecido. DGF foi definida como a necessidade de tratamento dialítico na primeiro semana pós-Tx e, DGF prolongada (pDGF), como a necessidade de 14 ou mais dias para queda, independentemente de diálise, de 20% nos níveis de creatinina sérica em relação ao maior nível pós-Tx; a função renal aos 12 meses pós-Tx foi avaliada através da depuração da creatinina, estimada pela fórmula de Cockcroft e Gault. A expressão gênica foi avaliada por PCR em tempo real de material retirado de 60 biópsias renais pré-implantação fixadas em formalina e embebidas em parafina (FFPE) e de 73 amostras de células mononucleares do sangue periférico(CMN). Resultados. Nas biópsias, observamos menores níveis de expressão dos genes DEFB1, FABP3 e GK em casos que desenvolveram DGF quando comparados com aqueles que não desenvolveram DGF (nDGF) e não observamos associação entre a expressão dos genes ACSL4 e CUBN e DGF. Quanto aos genes HLADQB1 e MGP, não observamos relação entre os níveis de expressão e a função renal aos 12 meses pós-Tx. Nas CMN analisamos os genes ACSL4 e DEFB1, em relação a DGF e a pDGF e os genes HLADQB1 e MGP, em relação à função renal aos 12 meses pós-Tx. Não observamos associação entre os níveis de expressão dos genes ACSL4 e DEFB1 com DGF. Entretanto, receptores com pDGF apresentaram menor expressão de ACSL4 e uma maior expresão de DEFB1, comparados com o grupo nDGF. Também não observamos relação entre os níveis de expressão dos genes.
Assunto genes acsl4
cubn
defb1
fabp3 e gk
Idioma Português
Data 2014-09-30
Publicado em MOURAO, Tuila Bittencourt. Associação entre expressão gênica e função precoce do enxerto renal: potenciais biomarcadores. 2014. 80 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Linha de pesquisa Microbiologia
Área de concentração Ciências biológicas
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 80 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1476834
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48527

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)