Percepção do suporte familiar de funcionários de unidades básicas de saúde

Percepção do suporte familiar de funcionários de unidades básicas de saúde

Autor Caldeira, Nicole Hannes Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Horta, Ana Lucia de Moraes Horta Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Enfermagem
Resumo A Estratégia de Saúde da Família (ESF) foi criada a fim de proporcionar práticas com foco na promoção da qualidade de vida da população, cuja atuação se concentra na comunidade e na família. A equipe da ESF atuará diretamente com famílias de diferentes perfis sociais, econômicos e culturais, os quais podem ser conflitantes com os perfis das famílias dos próprios profissionais, criando situações de estresse. Um dos recursos que os profissionais de saúde podem ter para lidar com o estresse é o próprio suporte familiar, ou o suprimento de necessidades emocionais e fisiológicas do indivíduo, ofertado pela família. Objetivo: Identificar o suporte familiar dos profissionais que atuam na ESF no município de Diadema e conhecer como estes profissionais percebem a relação entre o próprio suporte familiar e a atuação com famílias atendidas Método: Optou-se pelo estudo de abordagem mista, uma vez que, assim, há maior compreensão da realidade e do tema em questão. Os dados quantitativos foram coletados por meio do Inventário de Percepção de Suporte Familiar (IPSF). Já os dados qualitativos foram coletados pelo desenvolvimento de grupos focais (GF) que seguiram a questão norteadora: ?Como vocês percebem a relação entre o suporte familiar que têm nas próprias famílias e a forma como trabalham com as famílias da ESF??. Setenta e quatro profissionais participaram da parte quantitativa e 14, da parte qualitativa. O nível de significância adotado para a análise dos dados quantitativos foi 0,05, e o programa de análise estatística usado para as inferências foi o SPSS versão 22. Já os discursos obtidos nos GF foram analisados por meio de análise temática. Resultados: No que se refere à percepção do suporte familiar, 17,6% dos participantes consideram ter baixo suporte familiar, 23% declaram ter suporte médio-baixo, 14,9% o percebem como médio-alto, e 44,6% acreditam ter suporte familiar alto. O conteúdo dos discursos dos profissionais que associaram o próprio suporte familiar com o atendimento às famílias na ESF foi representado pelas categorias: ?Reconhecendo o próprio suporte familiar?; ?Modelos de comunicação vividos em família como estratégia de suporte à população atendida?, a qual é composta por três subcategorias: ?O verbal e o não verbal no atendimento às famílias?, ?a empatia como instrumento para compreender a família? e ?Acolhimento e apoio emocional como forma de suporte?; e ?Compartilhando saberes?, a qual, para melhor compreensão, foi dividida em duas subcategorias: ?Transmitindo valores familiares para a prática profissional? e ?O trabalho na ESF contribuindo para a ampliação do suporte familiar dos profissionais?. Discussão: A maioria dos participantes considerara ter um suporte familiar alto; as mulheres apresentam maior suporte familiar do que os homens, mas não há evidências na literatura que comprove este dado. O suporte familiar foi entendido como carinho, atenção, empatia e proteção, o que é discutido em diversos estudos. Quanto à relação entre suporte familiar e o trabalho na ESF, os profissionais indicam que as estratégias de comunicação são a forma de suporte que mais usam. Eles utilizam a empatia e a comunicação não verbal para se aproximarem do outro, tanto nas relações familiares quanto nas profissionais. Porém, algumas formas de se comunicar com o outro, aprendidas com família, podem comprometer o vínculo com a comunidade, causando frustração e, possivelmente, provocando o adoecimento do profissional de saúde. Considerações finais: Mesmo que o profissional de saúde que atua na ESF considere ter um bom suporte familiar e consiga usar partes deste suporte com as famílias atendidas, é importante oferecer-lhes suporte emocional e aprimoramento profissional a fim de evitar frustrações e proporcionar melhor atendimento à comunidade.
Assunto estratégia de saúde da família
suporte familiar
comunicação
Idioma Português
Data 2015-06-30
Publicado em CALDEIRA, Nicole Hannes. Percepção do suporte familiar de funcionários de unidades básicas de saúde. 2015. 74 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.
Linha de pesquisa Enfermagem
Área de concentração Ciências da saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 74 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3324537
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48460

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)