Interações entre esquizofrenia e dependência química: um estudo pré-clínico

Interações entre esquizofrenia e dependência química: um estudo pré-clínico

Author Borcoi, Aline Ribeiro Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Frussa Filho, Roberto Frussa Filho Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Farmacologia
Abstract A exposição a adversidade durante o período pré-natal e na infância afeta o neurodesenvolvimento e aumenta o risco para o desenvolvimento de esquizofrenia. De importância, indivíduos com esquizofrenia apresentam um aumento na comorbidade com a dependência química. Nesse aspecto, o isolamento social no período pós-desmame e a ativação imunológica pré-natal em animais de laboratório é capaz de provocar alterações neuroquímicas e comportamentais consistentes com a esquizofrenia. Considerando a vulnerabilidade do abuso de drogas em pacientes com esquizofrenia como um critério de validação de face de um modelo animal para o estudo esquizofrenia, avaliamos as interações entre o isolamento social ou a administração pré-natal do agente ativador imunológico ácido poli-inosínico poli-citidílico (POLI:IC) (modelos animais potenciais de esquizofrenia) com modelos animais de dependência química. Para tanto, camundongos Swiss machos recém-desmamados, foram privados do contato social por (no mínimo) 60 dias ou foram submetidos à administração pré-natal de 5 mg/Kg de POLI:IC no 9º dia de prenhez. Aos 90 dias de idade, os animais foram submetidos à sensibilização comportamental à anfetamina e a sensibilização comportamental cruzada anfetamina-cocaína ou à preferência condicionada por lugar (modelos animais de dependência química) induzidas por 2,5 mg/kg de anfetamina. O comportamento estereotipado, induzido xi por essa dose de anfetamina, também foi avaliado para verificar a possível participação do fenômeno de competição comportamental nos resultados obtidos no modelo de sensibilização comportamental. Verificamos que o isolamento social foi capaz de potencializar a reatividade à novidade, mas diminuiu o efeito estimulante agudo da anfetamina, provavelmente em decorrência de uma competição comportamental com um aumento da estereotipia induzida pela administração aguda dessa droga. De uma forma geral, não modificou os efeitos estimulantes da anfetamina nos modelos animais de dependência química. Por outro lado, a administração pré-natal de POLI:IC foi capaz de potencializar tanto a sensibilização comportamental quanto a preferência condicionada por lugar induzidas pela anfetamina. Considerando a vulnerabilidade à dependência química como critério de validação de face para um modelo animal de esquizofrenia, nossos resultados sugerem que a administração pré-natal de POLI:IC, mas não o isolamento social, satisfazem esse critério.
Keywords esquizofrenia
isolamento social
poli:ic
anfetamina
dependência química
camundongos
Language Portuguese
Date 2013-05-29
Published in BORCOI, Aline Ribeiro. Interações entre esquizofrenia e dependência química: um estudo pré-clínico. 2013. 89 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Research area Farmacologia
Knowledge area Ciências biológicas
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 89 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=112597
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48449

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account