Avaliação das causas de recusa familiar para a doação de órgãos e tecidos

Avaliação das causas de recusa familiar para a doação de órgãos e tecidos

Autor Erbs, Joao Luis Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Roza, Bartira de Aguiar Roza Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Enfermagem
Resumo The process of organ and tissue donation in Brazil has been showing improvement in an increasing number of donor organs and tissues, however the potential to improve these numbers is higher than observed today. Among the causes of loss of execution of the donation of organs and tissues highlight the family refusal, that since the beginning of 2009 is the primary cause the non execution of the donation. The research identifies what are the causes that led the families of potential organ and tissue donors to refuse donation, in the region of Organ Procurement Organization of the Federal University of São Paulo / Escola Paulista de Medicina (OPO / EPM) year 2009 and 2010. This period 901 cases were reported by the OPO / EPM, these 266 became effective donors. After screening the medical records obtained from 2009 and 2010 were identified refusals family that totaled 182 cases. This is an exploratory retrospective transversal study that was structured from a quasi-experimental design. The data were obtained from an interview conducted with family members who refused to donate. For data analysis we used chi-square and Student's t. The survey highlighted that the main reasons for refusal are related: not understanding the diagnosis of brain death (21%), religion (19%), lack of technical competence of staff (19%), long process (10%), deceased was not donor (9%), fear of mutilation (5.2%), interred as he came into the world (3.4%), quality of care (3.4%), decision of a single family member (3, 4%), impossibility of know the recipients (1.7%), negative experience at another donation process (1.7%), transfer of the body (1.7%), fear of the reaction of family members (1.7 %). The majority of interviewees almost 70% changed their minds, and today would donate the organs of the family, and there was statistical significance of this variable with the group origin of the southeast and the group who knew the will of the potential donor brain death.

O processo de doação de órgãos e tecidos no Brasil vem apresentando uma crescente melhora nos números de doadores de órgãos e tecidos, contudo o potencial para melhorar tais números é muito maior do que o observado atualmente. Dentre as causas de perda da efetivação da doação de órgãos e tecidos destaca-se a recusa familiar, que desde o início de 2009 é a principal causa da não efetivação da doação de potenciais doadores. Mediante isso, a pesquisa identifica quais são as causas que levaram os familiares de potenciais doadores de órgãos e tecidos a recusarem a doação na região de atuação da Organização de Procura de Órgãos da Universidade Federal de São Paulo/Escola Paulista de Medicina (OPO/EPM) no ano de 2009 e 2010. Neste período foram notificados 901 casos pela OPO/EPM, destes 266 tornaram-se doadores efetivos. Após uma triagem dos prontuários obtidos a partir de 2009 e 2010 foram identificados os casos de recusa familiar que totalizaram 182 casos. Trata-se de um estudo transversal exploratório retrospectivo que foi estruturado a partir de um desenho semi-experimental. Os dados foram obtidos a partir de uma entrevista realizada com os familiares que recusaram a doação. Para análise dos dados foi utilizado o teste Qui-Quadrado e o t-Student. A pesquisa destacou que os principais motivos de recusa relacionados são: não compreensão do diagnóstico de morte encefálica (21%), religiosidade (19%), falta de competência técnica da equipe (19%), tempo longo processo (10%), falecido não era doador (9%), medo da mutilação (5,2%), enterrado como veio ao mundo (3,4%), qualidade do atendimento (3,4%), decisão de um único membro da família (3,4%), não possibilidade de conhecer os receptores (1,7%), experiência negativa em outro processo de doação (1,7%), transferência do corpo (1,7%), medo da reação dos familiares (1,7%). A grande maioria dos entrevistados quase 70% mudou de opinião, e hoje doaria os órgãos do familiar, sendo que houve relevância estatística desta variável com o grupo de procedência do sudeste e com o grupo que conhecia a vontade do potencial doador em morte encefálica.
Assunto doação de órgãos e tecidos
Idioma Português
Data 2013-03-27
Publicado em ERBS, Joao Luis. Avaliação das causas de recusa familiar para a doação de órgãos e tecidos. 2013. 80 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Linha de pesquisa Enfermagem
Área de concentração Ciências da saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 80 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=565338
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48356

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)