Uso de estratégia multimodal para promover adesão à higienização das mãos em unidade de cuidados intensivos pediátricos

Uso de estratégia multimodal para promover adesão à higienização das mãos em unidade de cuidados intensivos pediátricos

Título alternativo Multimodal strategy to promote hand hygiene compliance in a pediatric intensive care unit
Autor Belela, Aline Santa Cruz Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Pedreira, Mavilde da Luz Goncalves Pedreira Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Enfermagem
Resumo Title: Multimodal strategy to promote hand hygiene compliance in a pediatric intensive care unit Introduction: Hand hygiene (HH) compliance has been regarded as unacceptably poor and the mean reported adherence rate is about 40%. Objectives: to verify Pediatric Intensive Care Unit (PICU) healthcare workers (HCW) previous knowledge about HH practices; to identify predictors of intention to perform the behavior HH during patient care in the PICU; to compare compliance to HH practices before and after interventions to promote adherence. Method: Quasi-experimental study that involved manipulation of the variable HH through the implementation of infrastructure and educational interventions. Descriptive method was adopted for knowledge and behavior intention studies. The research was carried out with 60 HCW of a PICU in a teaching hospital of São Paulo. Direct observation of a previous calculated sample, which consisted on 1261 HH opportunities, was conduct in three phases: Preintervention Phase (direct observation of HCW s HH compliance before intervention; 410 HH opportunities), Phase 1 - postintervention (preceded by infrastructure intervention, focused on knowledge verification; 405 HH opportunities), Phase 2 - postintervention (preceded by evaluation of predictors of HH intention behavior; 446 HH opportunities). Variables related to HH, HCW, knowledge about HH (measured by a validated instrument containing 10 care scenarios; HH knowledge being established in seven correct answers) and HH behavior (measured by a differential semantic scale validated by specialists, based on the Theory of Planned Behavior, studying the constructs intention, attitude, perceived social pressure and perceived behavior control) were also investigated. Descriptive and inferential data analysis were conducted (p<0.005). Results: The intervention promoted significant (p=0.010) improvement of the HH compliance rate ( Preintervention Phase 27.3%, Phase 1 - postintervention 33.1%, Phase 2 - postintervention 37.0%). It was verified a significant (p<0,001) increase in use of the alcoholic solution, without significant raise in handwashing, the most frequent HH procedure observed during the study. The indication after patient contact was related to the highest global HH rate (49.8%) and to higher levels of compliance in all the three study phases (p=0.005). Significant HH adherence increase was also observed to the indication after touching patient surroundings (p=0.005), without intervention influence on the other HH indications studied. Significant raise (p <0.001) in HH compliance was identified only among nursing technicians. 'Contact precautions' and 'g

Introdução: Estudos apontam que a adesão às práticas de higienização das mãos (HM) é insatisfatória em todo o mundo e evidenciam taxas de adesão em torno de 40%. Objetivos: Verificar conhecimento prévio dos profissionais de uma Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos (UCIP) sobre práticas de HM; identificar fatores determinantes da intenção dos profissionais em realizar o comportamento “HM durante o cuidado do paciente em uma UCIP”; comparar a taxa de adesão dos profissionais às práticas de HM antes e após implementação de intervenções de melhoria. Material e Método: Estudo quase experimental que envolveu a manipulação da variável HM, a partir do estabelecimento de intervenções de infraestrutura e educacionais. Para o estudo do conhecimento e de fatores determinantes da intenção do comportamento de HM foram delineados estudos descritivos. Foi desenvolvido com 60 profissionais de uma UCIP de um hospital universitário do município de São Paulo. Realizou-se observação direta de amostra previamente calculada composta por 1261 oportunidades de HM, em três fases: ‘Fase pré-intervenção’(avaliação da adesão à HM antes da intervenção, 410 oportunidades de HM), ‘Fase 1 - pós-intervenção’(precedida da intervenção de infraestrutura, enfoque na avaliação prévia de conhecimento, 405 oportunidades de HM) e ‘Fase 2 - pós-intervenção’ (precedida pela avaliação de determinantes do comportamento, 446 oportunidades de HM). Abrangeu estudo de variáveis relacionadas à HM, aos profissionais, ao conhecimento sobre HM (medido por instrumento validado, composto por dez cenários assistenciais; fixado em sete acertos o conhecimento sobre HM) e ao comportamento (medido por escala diferencial semântica validada por especialistas, fundamentada na Teoria do Comportamento Planejado, estudando-se os construtos intenção, atitude, pressão social percebida e controle comportamental percebido). A análise dos dados deu-se por meio de análise descritiva e inferencial (p&#8804;0,05). Resultados: A intervenção promoveu aumento significativo (p=0,010) da taxa de adesão às práticas de HM (‘Fase pré-intervenção’ 27,3%; ‘Fase 1 - pós-intervenção’ 33,1%; ‘Fase 2 - pós-intervenção’ 37,0%). Verificou-se aumento (p<0,001) do uso da preparação alcoólica, sem aumento significativo da lavagem de mãos, mais frequente em todas as fases de estudo. A indicação ‘após contato com o paciente’ associou-se à maior frequência global de HM (49,8%) e às maiores médias de adesão nas três fases (p=0,005). Aumento da HM também foi verificado na indicação ‘após contato com áreas próximas ao paciente’ (p=0,005), não havendo influência das intervenções nas outras três indicações estudadas. Aumento significante (p<0,001) da adesão ocorreu apenas entre os técnicos de enfermagem. As variáveis ‘precaução de contato’ e ‘uso de luvas’ não influenciaram a HM. Dentre os quatro tipos de atividades estudadas, associaram-se a aumento significante da adesão ‘manipulação direta do paciente’ (p=0,016) e ‘manipulação de equipamentos e mobiliário’ (p<0,001). Quanto ao conhecimento prévio sobre HM, obteve-se média de acertos de 3,9; o conhecimento foi insuficiente para 95% dos profissionais. A análise multivariada evidenciou que a ‘pressão social percebida’ representou fator determinante (p=0,026) da intenção relacionada ao comportamento de HM, em amostra de 38 profissionais. Conclusão: Houve aumento significativo da adesão às práticas de HM na UCIP, embora as taxas sejam consideradas baixas. O conhecimento prévio sobre HM da maioria dos profissionais era insuficiente e a “pressão social percebida” representou fator determinante da intenção em realizar o comportamento de HM.
Assunto desinfecção das mãos
unidades de terapia intensiva pediátrica
segurança do paciente
enfermagem pediátrica
Idioma Português
Data 2013-12-20
Publicado em BELELA, Aline Santa Cruz. Uso de estratégia multimodal para promover adesão à higienização das mãos em unidade de cuidados intensivos pediátricos. 2013. 176 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Linha de pesquisa Enfermagem
Área de concentração Ciências da saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 176 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=345135
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Tese de doutorado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48331

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)