Genotoxicidade e mutagenicidade induzida pelo crack em múltiplos órgãos de camundongos c57bl/6j

Genotoxicidade e mutagenicidade induzida pelo crack em múltiplos órgãos de camundongos c57bl/6j

Author Yujra, Veronica Quispe Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Ribeiro, Daniel Araki Ribeiro Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Patologia
Abstract Sabe-se que substâncias presentes no meio ambiente e também para o uso e consumo podem ser genotóxicas e/ou mutagênicas. Atualmente um grande número de pessoas tem contato com drogas ilícitas entre elas o crack. No Brasil, existem poucos estudos experimentais sobre ação toxicogenêtica desta droga, seja no primeiro uso ou no uso crônico. Isto decorre das implicações legais, da dificuldade de se isolar o efeito em poliusuários e da não existência de modelos animais estabelecidos para esse estudo. Objetivo: Avaliar a genotoxicidade e mutagenicidade, induzida em sangue, cérebro, fígado e rim de camundongos, pela aplicação única (intraperitoneal) de 4,5; 9 e 18 mg de crack/kg, sugerindo um modelo de estudo e avaliando possíveis correlações dose-dependentes. Materiais e Métodos: Foram utilizados 20 camundongos BL57/6J com 90 dias de idade, divididos em 3 grupos tratados (CRACK 4.5; CRACK 9 e CRACK 18) e 1 Controle (n=5). O crack utilizado com permissão judicial (Ordem 1122/2013) foi caracterizado pelo método de espectrofotometria de massa pela UNESP Câmpus Litoral, evidenciando o pico de cocaína. 24h depois da injeção intraperitoneal do crack ou de solução fisiológica os animais experimentais foram eutanasiados tendo seus tecidos: sangue, cérebro, fígado e rim, submetidos ao Ensaio do Cometa, técnica de eletroforese que determina os níveis de instabilidade genômica conforme protocolo de Tice et al. (2000). Além disso, amostras de medula óssea e fígado foram processadas e submetidas à quantificação de danos celulares permanentes pela contagem de micronúcleos conforme protocolos de Alves e Lima (2003) para eritroblatos e Almeida et al (2005) para hepatócitos. Foi realizada avaliação histopatológica do fígado na busca de alterações morfológicas. Os resultados foram analisados por meio do programa Graph Pad Prism 5.0 utilizando-se teste Kruskal-Wallis e comparações de Dunn, quando necessário (n.s. 95%) com p<0,05). Resultados: O Ensaio do Cometa mostrou alterações genotóxicas nos valores do Momento de Cauda do grupo CRACK 18 quando comparado ao grupo Controle, nas amostras de sangue e cérebro (p<0,05), o fígado e o rim apesar de também apresentarem alterações, estas não foram significativas. A contagem de micronúcleos não evidenciou diferenças significativas em nenhuma das doses administradas, assim como na análise histológica do fígado. Conclusões: Na dose de 18mg/kg o Crack é um agente genotóxico, sendo o cérebro e o sangue os tecidos mais sensíveis à exposição aguda; entretanto nenhuma das doses exerceu efeito mutagênico em células de sangue ou fígado.
Keywords crack
danos ao dna
toxicologia experimental
Language Portuguese
Date 2015-10-14
Published in YUJRA, Veronica Quispe. Genotoxicidade e mutagenicidade induzida pelo crack em múltiplos órgãos de camundongos c57bl/6j. 2015. 67 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 67 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=2994039
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48308

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account