Processamento auditivo em crianças com migrânea

Processamento auditivo em crianças com migrânea

Author Agessi, Larissa Mendonca Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Pereira, Liliane Desgualdo Pereira Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Distúrbios da Comunicação Humana (Fonoaudiologia)
Abstract Objetivo: Caracterizar o processamento auditivo através das habilidades de figurafundo, resolução e ordenação temporal em crianças com migrânea e comparar com crianças sem cefaleia. Tipo de Estudo: corte transversal comparativo prospectivo Métodos: participaram 28 crianças, de 8 a 12 anos. Grupo migrânea: 14 com diagnóstico de migrânea, classificados de acordo com a ?International Headache Society (ICHD-III beta, 2013)?, sendo 10 crianças do sexo feminino e 4 do sexo masculino, idade média de 10,64 anos, frequência média de 3.57 dias de cefaleia/mês, e tempo médio de doença de 3.36 anos. Grupo controle: 14 crianças, sendo 9 do sexo feminino e 5 do sexo masculino, com idade média de 10,50 anos. Os critérios de exclusão para ambos os grupos foram: doenças psiquiátricas ou outras doenças neurológicas, trauma craniano, perda auditiva, uso de medicamentos ototóxicos, migrânea crônica e uso de medicação preventiva para migrânea ou que afetem o sistema nervoso central. Os procedimentos realizados foram: anamnese, avaliação da função auditiva periférica, avaliação da resolução temporal com o Teste Gaps-in-noise (GIN), avaliação da ordenação temporal com o Teste Padrão de Duração, avaliação da habilidade de figura- fundo para sons verbais com o Teste Identificação de sentenças sintéticas com mensagem competitiva ipsilateral, ou SSI, e para a habilidade de figura- fundo para sons não verbais utilizou-se o Teste Dicótico Não Verbal. Resultados: Não existiu diferença entre os grupos para a variável idade (p-valor:0.785) e anos de escolaridade (p-valor: 0.153). Os voluntários mostraram limiares de audibilidade dentro da normalidade. O desempenho das crianças em relação às orelhas, gênero, escolaridade e faixa-etária foram similares. No teste GIN, as médias dos grupos migrânea e controle estão dentro da normalidade e são similares (p-valor=0.09). No teste padrão de duração houve diferença estatisticamente significante entre o desempenho dos grupos com migrânea e controle (p-valor=0.001). No teste dicótico não verbal, não houve diferenças nos acertos para as etapas de atenção livre e atenção direcionada à esquerda (p=0.79 e p=0.382, respectivamente) e houve diferença para etapa de atenção direcionada à direita (p=0.01). No teste de identificação de sentenças sintéticas com mensagem competitiva ipsilateral houve diferença estatisticamente significante entre as respostas na comparação entre os grupos (p?0.001). Conclusões: Este é o primeiro estudo controlado que compara as habilidades auditivas de figura-fundo, ordenação temporal e resolução temporal em crianças com migrânea, e demonstrou que crianças com migrânea apresentaram maior dificuldade em relação à figura-fundo e ordenação temporal, quando comparados a controles sem cefaleia.
Keywords audição
percepção auditiva
testes auditivos e migrânea
Language Portuguese
Date 2014-11-26
Published in AGESSI, Larissa Mendonca. Processamento auditivo em crianças com migrânea. 2014. 85 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2014.
Research area Fonoaudiologia
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 85 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1774265
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48171

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account