Avaliação do perfil do paciente na adesão ao tratamento ambulatorial especializado em dependência química

Avaliação do perfil do paciente na adesão ao tratamento ambulatorial especializado em dependência química

Autor Marinho, Juliana de Almeida Castro Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Araujo Filho, Gerardo Maria de Araujo Filho Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Psiquiatria e Psicologia Médica
Resumo O abandono do tratamento é o um problema a ser enfrentado nos casos de uso de substâncias psicoativas. A população adolescente e jovem adulta é mais vulnerável ao desenvolvimento da dependência química e problemas relacionados, necessitando de uma atenção especial quanto a sua adesão ao tratamento. Objetivo: avaliar questionários utilizados para identificar o perfil de adesão dos pacientes atendidos no programa ambulatorial especializado em álcool e drogas. Método: Esta dissertação foi organizada em formato de artigo. A metodologia empregada foi observacional e descritiva. O tipo do estudo foi retrospectivo (artigo 1) e retrospectivo e prospectivo (artigo 2), por meio de análise de corte-transversal, e a pesquisa mista: qualitativa e quantitativa. Ambos os estudos foram conduzidos no Ambulatório Médico de Especialidade em Psiquiatria (AME Psiquiatria). O primeiro teve como amostra todos os pacientes atendidos no Programa de Álcool e Drogas no período de agosto de 2010 a maio de 2011, n de 306. Foram coletados os dados do questionário padrão do Programa dos prontuários e o tempo de permanência em dias de tratamento de cada paciente. Para o segundo artigo, aprimorou-se o questionário padrão, adicionando escalas de avaliação validadas (ASSIST, Fargeström, DUSI, CRAFFT e MINI) a fim de conhecer melhor o perfil da população adolescente e jovem adulta com relação a sua adesão ao tratamento. Participaram desta pesquisa 37 pacientes com idade entre 12 e 25 anos que estava em tratamento entre setembro de 2012 a dezembro de 2013. Resultados: No artigo 1, obteve-se as características sociodemográficas, similares a de outras pesquisas apresentadas pela literatura e ao perfil epidemiológico do uso de substâncias psicoativas do brasileiro, e uma taxa de adesão de 60,8%, com uma média de sete meses de tratamento. No artigo 2, além dos dados sociodemográficos encontrados, a taxa significativa de abandono entre adolescentes foi de 75%, e em jovens adultos de 60% de adesão. Identificou-se uma correlação entre variáveis estatisticamente relevantes com a adesão: comorbidades e problemas relacionados ao uso/abuso de álcool e drogas. Conclusão: Com o uso de um instrumento mais sofisticado, é possível identificar as principais variáveis que influenciam diretamente na adesão dos adolescentes e jovens adultos, permitindo um melhor diagnóstico e uma decisão mais assertiva no tratamento a ser recomendado ao paciente.
Assunto adesão do paciente
tratamento ambulatorial
transtornos relacionados ao uso de substâncias
questionários
Idioma Português
Data 2015-05-25
Publicado em MARINHO, Juliana de Almeida Castro. Avaliação do perfil do paciente na adesão ao tratamento ambulatorial especializado em dependência química. 2015. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.
Linha de pesquisa Medicina
Área de concentração Ciências da saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=2413780
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/48114

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)