Uma análise fracionada da auto-regulação em fumantes de diferentes contextos socioeconômicos

Uma análise fracionada da auto-regulação em fumantes de diferentes contextos socioeconômicos

Author Antonio, Raquel de Luna Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Pompeia, Sabine Pompeia Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Psicobiologia
Abstract Both smoking and low socioeconomic status (SES) worsen self-regulation, or the ability to control behavior. This study aimed to determine whether people of lower socioeconomic status are more susceptible to the deleterious effects of smoking on self-regulation. In a cross-sectional study including 80 healthy young adults, the performance of smokers (n=40) and non-smokers (n=40) from different socioeconomic backgrounds were compared in terms of hot self-regulation skills, which involve emotional regulation and social behavior, and cold self-regulation, related to activities such as logical reasoning, with less socio-emotional salience. The self-regulatory domains tested here included inhibition, shifting, updating, dual tasking, planning, and access to long-term memory (cold skills); self-reported impulsivity, intertemporal monetary choice and risky behavior (hot skills). Other cognitive domains related to self-regulation investigated here were simple and sustained attention, state stability and working memory capacity. Nicotine withdrawal symptoms and its acute effects were controlled, as well as sex effects, age, body mass index, number of symptoms indicative of psychiatric problems and years of education of the participants. Regardless of socioeconomic status, smokers had worse hot self-regulation, i.e., referred higher impulsivity and discounted monetary rewards more steeply. Exposure to cigarettes, evaluated through the estimated number of cigarettes smoked, exhaled carbon monoxide, cotinine and a measure of nicotine dependence did not mediate the effects of smoking in self-regulation. Differently, socioeconomic level, measured by parents? average years of schooling, negatively impacted solely cold self-regulatory measures (inhibition, shifting, updating and planning), and was related to worse performance in general knowledge, working memory capacity and greater state instability. Socioeconomic status and smoking interacted only regarding attentional lapses. The observed double dissociation, that smoking impairs hot functions, and that socioeconomic status only effects cold functions, strengthens the understanding that hot and cold self-regulation are a distinguishable sets of skills. This dissociative effect on self-regulation explains the absence of summations of the negative effects of smoking and low socioeconomic status. It is noteworthy that both the socioeconomic status and smoking were negatively associated with attentional problems, and that this impairment was independent of the effects on self-regulation. In sum, smoking and socioeconomic status differently impacts self-regulation.

Fumantes apresentam pior habilidade de controlar o comportamento ? autorregulação ?, assim como populações mais desprivilegiadas socioeconomicamente. O presente estudo teve por objetivo determinar se pessoas de menor nível socioeconômico são mais susceptíveis aos efeitos deletérios do tabagismo na autorregulação. Em um estudo de desenho transversal incluindo 80 adultos jovens saudáveis, o desempenho de fumantes (n=40) e não fumantes (n=40) de diferentes contextos socioeconômicos foram comparados em termos de diversas habilidades de autorregulação, tanto quentes, que envolvem a regulação emocional e do comportamento social, quanto frias, relacionadas a atividades com menor saliência socioemocional, como raciocínio lógico. Os domínios de autorregulação aqui testados incluíram inibição, alternância, atualização, habilidade de realizar duas tarefas ao mesmo tempo, planejamento, e acesso à memória de longo prazo (habilidades frias); impulsividade autorreferida, escolha monetária intertemporal e o comportamento de risco (habilidades quentes). Domínios cognitivos relacionados à autorregulação, também estudados, incluíram atenção simples, sustentada e estabilidade do alerta, bem como a capacidade de memória operacional. A abstinência à nicotina e seus efeitos agudos foram controladas, assim como efeitos de sexo, idade, índice de massa corpórea, número de sintomas indicativos de problemas psiquiátricos e anos de escolaridade dos participantes. Independentemente do nível socioeconômico, os fumantes tiveram pior autorregulação quente, isto é, referiram mais impulsividade e apresentaram aversão à espera por recompensas monetárias de forma mais acentuada. A exposição ao cigarro, por meio do número estimado de cigarros fumados, monóxido de carbono exalado, cotinina, e uma medida de dependência à nicotina não mediaram os efeitos do tabagismo sobre a autorregulação. Diferentemente, o nivel socioeconômico, mensurado pela média dos anos de escolaridade dos pais, impactou negativamente somente medidas de autorregulação frias (inibição, alternância, atualização e planejamento), e também esteve relacionado a pior desempenho em capacidade de memória operacional, em conhecimentos gerais e maior instabilidade do alerta. O nível socioeconômico e o tabagismo interagiram somente quanto a lapsos atencionais. A dupla dissociação entre efeitos negativos do tabagismo em funções quentes, e do nível socioeconômico em funções frias, fortalece a perspectiva de que os domínios de autorregulação quentes e frios são conjuntos de habilidades distinguíveis. Esta dissociação de efeitos na autorregulação explica a ausência de efeitos negativos somatórios do tabagismo e baixo nível socioeconômico. Ressalta-se que ambos o nível socioeconômico e tabagismo foram negativamente associados a problemas atencionais, e que estes foram independentes dos efeitos na autorregulação. Em suma, tabagismo e nível socioeconômico impactam diferentemente a autorregulação.
Keywords self-regulation
smoking
socioeconomic status
atention
executive function
impulsivity
tabagismo
nível socioeconômico
atenção
funções executivas
impulsividade
autorregulação
Language Portuguese
Date 2016-05-31
Published in ANTONIO, Raquel de Luna. Uma análise fracionada da auto-regulação em fumantes de diferentes contextos socioeconômicos. 2016. 215 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 215 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3629599
Access rights Closed access
Type Thesis
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47774

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account