Ensaio clínico para a avaliação da eficácia da psicoeducação na adesão ao tratamento do transtorno de estresse pós traumático

Ensaio clínico para a avaliação da eficácia da psicoeducação na adesão ao tratamento do transtorno de estresse pós traumático

Author Serafim, Paula Maria Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Mello, Marcelo Feijo de Mello Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Psiquiatria e Psicologia Médica
Abstract The Post Traumatic Stress Disorder was accepted at the beginning of the 1980, in the third edition of the Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM- III). Individuals who have experienced extreme situations of violence can develop the diagnosis, which is characterized by symptoms of revivals, avoidance and autonomic hyperarousal. This disorder affects up to 5 % of the total population in certain localities. For patients who develop chronic PTSD, a long or indefinite treatment may be necessary and during periods of worsening of symptoms, patients with PTSD can easily be discouraged from continuing it. In clinical practice, it is clear that some early interventions influence and help deconstruct the idea of insecurity and loss of confidence in the other. Some strategies have been used with the aim of solving this problem. Educational programs designed to promote awareness and patient insight regarding their disease and treatment adherence have been described as an intervention that is added to all the others. as the main factor for its stabilization and improved quality of life. This study aims to evaluate the effectiveness of psychoeducation in adherence to treatment of PTSD. The study has a sample of 74 patients with current PTSD in outpatient treatment in the Care and Research Program in Violência- PROVE , from the Federal University of São Paulo UNIFESP , aged 18 and 63, so both sexes , and these divided into two groups:Group Psychoeducation (PE ), which has 40 patients , who participated in the intervention psychoeducation group , and control group that includes 34 patients who went through the common treatment program except the systematized psychoeducation group . The Psychoeducational Program consists of two weekly meetings, lasting 90 minutes each and counting an average of 5 patients. Are closed groups, with semi-structured sessions and predefined themes that address the following issues : information about the PROVE , the consequences of violence on the health of victims , information about the diagnosis, treatment possibilities : psychotherapy , medications , stigma. To assess the severity of PTSD symptoms was applied to CAPS. To evaluate adherence to treatment was made an analysis of the records after 12 months of treatment in order to verify the continuity of monitoring.Regarding the results the sample was homogeneous in terms of sociodemographic and clinical characteristics. There was no difference in treatment adherence among patients who took part in the psychoeducation (Group A) and those who have done common treatment (Group B) (p = 0.793).The analysis of other variables that could be related to the accession was held, it was possible to compare the proportion of faults in relation to interventions that patients spent in addition to psychoeducation. Patients who did Drug Treatment combined with group behavioral therapy showed a significant difference in compliance profile compared to patients who took part in other interventions: in this group the patient comes to miss twice as compared to others (p = 0.048).Other interesting facts are related to faults: The treatment time in PROVE, and the severity of symptoms of PTSD. As the treatment time increases in TASTE is expected to decrease the proportion of individuals of faults for each month of treatment is expected a reduction of 3% in the absence (1-.97 = 0.03). Individuals with moderate CAPS showed 3.6 times (OR = 3.6) more chances of missing compared to patients with CAPS in the category Light. The same is true for patients who are in the category Record (OR = 2.6), which have approximately 2.6 more likely to be lacking in relation to individuals who are in Take CAPS. This study showed that the groups ( psychoeducation ) and B ( common treatment without systematic psychoeducational intervention ) have a membership profile to treatment quite similar . In this case it was not possible to verify that the psychoeducational intervention is effective in treatment adherence of patients with PTSD. So it was possible observer other important issues that are related to accession. The severity of PTSD must be understood as something that exceeds a psychopathological condition of difficult clinical management. Adherence to treatment for these patients should be discussed with greater coverage. The patient should be observed and followed from their admission to discharge in order to understand the complexity of his experience : the difficulty of leaving home, the third-party dependency for everyday activities , the fear that paralyzes , among other difficulties ultimately define continuity of care .

O Transtorno de Estresse Pós Traumático foi aceito no início da década de 1980 na terceira edição do Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM- III). Indivíduos que experienciaram situações extremas de violência podem desenvolver este diagnóstico, que é caracterizado por sintomas de revivescências, evitação e hiperestimulação autonômica. Este transtorno atinge até 5% da população total em determinadas localidades. Para os pacientes que desenvolvem TEPT crônico, pode ser necessário um período longo ou indefinido de tratamento, e durante períodos de piora de sintomas, os pacientes com TEPT podem ser facilmente desencorajados a continua-lo. Na prática clínica, percebe-se que algumas intervenções iniciais influenciam e ajudam a desconstruir a ideia de insegurança e perda de confiança no outro. Algumas estratégias já foram utilizadas com o objetivo de solucionar este problema. Programas educacionais, desenvolvidos para promover uma melhor percepção e insight do paciente em relação à sua doença e adesão ao tratamento têm sido descritos como uma intervenção que se soma à todas as outras como fator principal para sua estabilização e melhor qualidade de vida. O presente estudo tem por objetivo avaliar a eficácia da psicoeducação na adesão ao tratamento do TEPT. O estudo conta com uma amostra de 74 pacientes com TEPT atual, em tratamento ambulatorial no Programa de Atendimento e Pesquisa em Violência- PROVE, da Universidade Federal de São Paulo- UNIFESP, com idades entre 18 e 63 anos, ambos so sexos, sendo estes divididos entre dois grupos: Grupo de Psicoeducação (PE), que conta com 40 pacientes, que participaram da intervenção de psicoeducacão em grupo, e Grupo Controle que conta com 34 pacientes que passaram pelo tratamento comum do programa exceto da psicoeducação sistematizada em grupo. O Programa de Psicoeducação consiste em 2 encontros semanais, com duração de 90 minutos cada e contando em média com 5 pacientes. São grupos fechados, com sessões semiestruturadas e temas pré-definidos que abordam os seguintes assuntos: informações sobre o PROVE, as consequências da violência na saúde das vítimas, informações acerca do x diagnóstico, busca de ajuda, possibilidades de tratamento: psicoterapias, medicações utilizadas e estigma. Para a avaliação da gravidade dos sintomas de TEPT foi aplicada a CAPS, e para avaliar a adesão ao tratamento foi feita uma análise dos prontuários após 12 meses de tratamento com o objetivo de verificar a continuidade do acompanhamento e perfil de faltas. Em relação aos resultados a amostra mostrou-se homogênea em relação às características sociodemográficas e clínicas. Não houve diferença na adesão ao tratamento entre os pacientes que participaram da psicoeducacão (Grupo A) e os que fizeram o tratamento comum (Grupo B) (p= 0,793). A análise de outras variáveis que pudessem estar relacionadas com a adesão foi realizada, e foi possível comparar a proporção de faltas em relação às intervenções que os pacientes passaram, além da psicoeducação. Os pacientes que fizeram Tratamento Medicamentoso combinado com Terapia Comportamental de Grupo mostraram uma diferença significativa no perfil de adesão em relação aos pacientes que participaram das outras intervenções: neste grupo o paciente chega a faltar duas vezes mais em relação aos outros (p= 0,043).Outros dados interessantes estão relacionados às faltas: o tempo de tratamento no PROVE, e a gravidade dos sintomas do TEPT. À medida que o tempo de tratamento no PROVE aumenta é esperado um decréscimo na proporção de faltas dos indivíduos, para cada mês de tratamento é esperado uma redução de 3% nas faltas (1-0,97=0,03). Os indivíduos com CAPS moderado mostraram 3,6 vezes (O.R.=3,6) mais chances de faltarem se comparados com pacientes que apresentavam CAPS na categoria Leve. O mesmo ocorre para pacientes que estão na categoria Grave (O.R.=2,6), que possuem aproximadamente, 2,6 mais chances de faltar em relação aos indivíduos que pontuam Leve na CAPS. O presente estudo demonstrou que os grupos A (psicoeducação) e B (tratamento comum sem intervenção psicoeducativa sistematizada), possuem um perfil de adesão ao tratamento bastante semelhante. Neste caso não foi possível constatar que a intervenção psicoeducativa é eficaz na adesão ao tratamento dos pacientes com TEPT. Portanto, foi possível observar outras questões importantes que estão relacionadas com a adesão. A gravidade do TEPT deve ser compreendida como algo que ultrapassa um quadro psicopatológico de difícil manejo clínico. xi A adesão ao tratamento para estes pacientes deve ser discutida com maior abrangência. O paciente deve ser observado e acompanhado desde sua admissão até a alta de modo a compreender toda a complexidade de sua vivência: a dificuldade de sair de casa, a dependência de terceiros para atividades cotidianas, o medo que os paralisa, entre tantas outras dificuldades que acabam por definir a continuidade do tratamento.
Keywords ptsd
psychoeducation
compliance
violence
tept
psicoeducação
adesão ao tratamento
violência
Language Portuguese
Date 2015-11-23
Published in SERAFIM, Paula Maria. Ensaio clínico para a avaliação da eficácia da psicoeducação na adesão ao tratamento do transtorno de estresse pós traumático. 2015. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=2984957
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47645

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account