Interrupções de atividades realizadas por enfermeiros de um hospital universitário: implicações para a segurança do paciente

Show simple item record

dc.contributor.advisor Pedreira, Mavilde da Luz Goncalves Pedreira [UNIFESP] pt
dc.contributor.author Monteiro, Cintia [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2018-07-30T11:44:27Z
dc.date.available 2018-07-30T11:44:27Z
dc.date.issued 2013-08-28
dc.identifier https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=555355 pt
dc.identifier.citation MONTEIRO, Cintia. Interrupções de atividades realizadas por enfermeiros de um hospital universitário: implicações para a segurança do paciente. 2013. 143 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47410
dc.description.abstract Exploratory and observational study that aimed to classify nursing activities, verify the occurrence and factors that associated with interruptions and also identify nurses walking distance. The sample was composed of 25 nurses from the day-shift, and pediatric and adult, surgical and intensive care units, of a university hospital in São Paulo. Data collection occurred between 15th March 2012 and 18th February 2013, after approval by the committee of ethics in research (0732/11). During 150 hours of observation, there were 2,295 activities classified, being 885 (38.6%) indirect care, 516 (22.5%) direct care, 421 (18.3%) care management, 244 (10.6%) personal activity and 229 (10.0%) unit management. The time spent according to the type of activity performed by the nurses was higher during the direct care (36.2%). There were 719 (31.3%) interrupted activities, however an average of 1.6 interruptions was observed in the same activity, resulting in 1,180 occurrences (7.9 interruptions per hour). The number of interruptions was higher during the indirect care (44.7%), and the most frequent sources were nursing staff (43.3%) and physicians and medical residents (16.5%), requiring more time for resolution of interruptions originated by the nursing staff (36.2%) and lack of supplies (16.4%). After interruptions, nurses did not return to the interrupted activity in 13.2% of the situations and, it was necessary to perform from one to ten activities before returning to the primary activity. From among the factors that correlated with interruption occurrence, it was noticed that professionals with less than five years of professional practice and work in the unit, as well as, without post graduation in the same area of practice, were more interrupted, without significant differences. The number of people present in the unit (p=0.002), the proportion of surgical patients of high dependency and semi-intensive care (p=0.017), the number of caregivers (p=0.003) and other health care professionals (p=0.001), had linear influences over the occurrence of interruptions. By analyzing data from pediatric sites (PS) and adult sites (AS), a greater number of interruptions could be noticed in the first group (p=0.009). On surgical care (SC) and intensive care (IC) sites, the interruptions higher in the SC (p=0.078). The number of patients (p=0.002), the total number of people in unit (p=0.002), the rate of patients per nurse (p=0.001), the rate per nursing assistants and technicians (p=0.003), and a higher number of caregivers (p<0.001), influenced the occurrence of interruptions in PS. In AS was observed a higher number of interruptions related with the presence of a higher number of other health care professionals in the unit (p=0.002). Regarding displacement, nurses walked 260.2 m/h and had to go out the unit in 2.1% of the activities observed, being the main reason the lack of supplies (55.1%). Besides, the highest the distance walked was associated with the greater the number of activities performed (p<0.001), without correlation with the number of interruptions (p=0.508). In conclusion interruptions were observed in all types of activities performed by investigated nurses, even those characterized as interventions more related to direct care, which can compromise patient safety. en
dc.description.abstract Estudo exploratório e observacional que objetivou classificar atividades realizadas por enfermeiros, verificar a ocorrência e os fatores que se correlacionam com interrupções, além de identificar a distância percorrida por estes profissionais durante a prática clínica. A amostra foi composta por 25 enfermeiros, do período diurno, de unidades de cuidados cirúrgicos e intensivos, pediátricas e de adultos, de um hospital universitário da cidade de São Paulo. A coleta de dados ocorreu entre 15 de março de 2012 e 18 de fevereiro de 2013, após aprovação do comitê de ética em pesquisa da instituição (0732/11). Durante as 150 horas de investigação, foram observadas 2.295 atividades, sendo 885 (38,6%) classificadas como de cuidado indireto ao paciente, 516 (22,5%) de cuidado direto ao paciente, 421 (18,3%) relacionadas à gestão da assistência, 244 (10,6%) pessoais e 229 (10,0%) de gestão da unidade. Quanto ao tempo despendido por tipo de atividade, constatou-se que estes profissionais gastaram mais tempo durante o cuidado direto (36,2%). Foram identificadas 719 (31,3%) atividades interrompidas, com média de 1,6 interrupções em uma mesma atividade, totalizando 1.180 ocorrências (7,9 interrupções por hora). Houve maior número de interrupções durante o cuidado indireto (44,7%), as principais fontes foram a equipe de enfermagem (43,3%) e médicos e residentes de medicina (16,5%), sendo necessário maior tempo para resolução das interrupções originadas pela equipe de enfermagem (36,2%) e falta de suprimento (16,4%). Após a ocorrência de interrupções, os enfermeiros não retornaram à atividade interrompida em 13,2% dos casos, sendo necessário realizar de uma a dez atividades antes de retornar à atividade primária. Dentre os fatores que se correlacionam com a ocorrência de interrupção, averiguou-se que profissionais com tempo de formação e trabalho na unidade menor do que cinco anos, assim como aqueles que não realizaram pós-graduação na área de atuação, foram mais interrompidos, sem diferença estatística significativa. O número de indivíduos presentes na unidade (p=0,002), a proporção de pacientes de unidades de atendimento cirúrgico que requeriam cuidados de alta dependência e semi-intensivo (p=0,017), o número de acompanhantes (p=0,003) e de outros profissionais (p=0,001) tiveram influência linear sobre a ocorrência de interrupções. Ao analisar os dados de locais de atendimento pediátrico (AP) e de atendimento de adultos (AA), notou-se maior número de interrupções no primeiro grupo (p=0,009). Em locais de cuidado cirúrgico (CC) e de cuidado intensivo (CI) identificou-se predomínio de interrupções em CC (p=0,078). Nos locais de AP foi evidenciado que o número de pacientes (p=0,002), o número total de indivíduos na unidade (p=0,002), a proporção de pacientes por enfermeiros (p=0,001) e por auxiliares e técnicos de enfermagem (p=0,003), bem como, maior número de acompanhantes (p<0,001), influenciaram a ocorrência de interrupções. Em AA notou-se maior número de interrupções por outros profissionais de saúde, quanto maior seu número na unidade (p=0,002). Em relação ao deslocamento, os enfermeiros percorreram 260,2 m/h e saíram com pequena frequência da unidade de origem (2,1%), sendo o principal motivo a falta de suprimento (55,1%). Identificou-se maior distância percorrida quanto maior o número de atividades realizadas (p<0,001), entretanto sem correlação desta variável com o número de interrupções (p=0,508). Conclui-se que houve presença de interrupções em todos os tipos de atividades realizadas pelos enfermeiros investigados, mesmo as que caracterizam como intervenções mais diretamente vinculadas ao cuidado, o que pode comprometer a segurança do paciente. pt
dc.format.extent 143 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject nursing en
dc.subject patient safety en
dc.subject human engineering en
dc.subject enfermagem pt
dc.subject segurança do paciente pt
dc.subject engenharia humana pt
dc.title Interrupções de atividades realizadas por enfermeiros de um hospital universitário: implicações para a segurança do paciente pt
dc.type Dissertação de mestrado
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.identifier.file 2013-0214.pdf
dc.description.source Dados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2013 a 2016)
unifesp.campus São Paulo, Escola Paulista de Enfermagem (EPE) pt
unifesp.graduateProgram Enfermagem pt
unifesp.knowledgeArea Ciências da saúde pt
unifesp.researchArea Enfermagem pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account