Estudo do envolvimento da metalo-peptidase phex em processos tumorais

Estudo do envolvimento da metalo-peptidase phex em processos tumorais

Author Neves, Raquel Leao Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Barros, Nilana Meza Tenorio de Barros Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Biologia Química
Abstract A PHEX é uma metalo-peptidase codificada pelo gene PHEX (phosphate-regulating gene with homologies to endopeptidase on the X chromosome), identificado em 1995 como sendo o gene mutado em pacientes com uma forma prevalente (1:20.000) de raquitismo humano hereditário denominada Hipofosfatemia Ligada ao Cromossomo X (XLH). A XLH é caracterizada por retardo no crescimento, osteomalácia, hipofosfatemia, defeitos renais de reabsorção de fosfato e no metabolismo da vitamina D. Desde a identificação de PHEX (1995), a função da peptidase tem sido majoritariamente estudada e relacionada a ossos e dentes. Recentemente, a identificação pelo nosso grupo da osteopontina como substrato desta protease, permitiu que ampliássemos o estudo da PHEX para outros tumores, e não apenas ósseos. Os resultados obtidos no presente trabalho mostram o aumento na expressão de PHEX no carcinoma espinocelular (SCC) e ainda, um fragmento prevalente de OPN endógeno de SCC é degradado após a adição de PHEX exógena, indicando que esta peptidase pode participar da regulação da OPN tumoral, assim como ocorre no osso. No estudo de localização da PHEX, as análises de microscopia confocal mostraram que no período de 48h de cultivo, a PHEX não está localizada na membrana. No entanto, a curva de tempo realizada por citometria de fluxo mostrou que a peptidase é encontrada na membrana nos tempos iniciais de 1h e 4h de cultivo celular, porém nos períodos de 12h e 48h, a PHEX não é mais detectada na membrana, e apenas é localizada intracelularmente. A curva de tempo mostrou ainda que a ausência da PHEX na membrana não está relacionada à retenção da proteína dentro da célula. Nossos resultados também mostram que a ausência da PHEX na membrana pode ser resultado do processamento proteolítico de cisteíno proteases, visto que a PHEX exógena é hidrolisada pelas catepsinas B, L e S, e esta hidrólise resulta na inativação enzimática da PHEX, Os resultados aqui obtidos poderão esclarecer a possível participação da PHEX na regulação/modulação tumoral e poderão contribuir para melhor entendimento do papel desta protease nos diferentes tecidos.
Keywords metalo-peptidase
phex
tumor
crcinoma espinoelular
osteopenia
metalo-peptidase
phex
tumor
crcinoma espinoelular
osteopenia
Language Portuguese
Date 2013-03-28
Published in NEVES, Raquel Leao. Estudo do envolvimento da metalo-peptidase phex em processos tumorais. 2013. 71 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Diadema, 2013.
Research area Biologia geral
Knowledge area Ciências biológicas
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 71 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=152623
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47286

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account