Testagem da categoria diagnóstica de depressão ansiosa da décimo primeira edição da classificação internacional das doenças em saúde mental para atenção primária à saúde: cid-11-ap

Testagem da categoria diagnóstica de depressão ansiosa da décimo primeira edição da classificação internacional das doenças em saúde mental para atenção primária à saúde: cid-11-ap

Author Jorquera, Carolina Andrea Ziebold Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Mari, Jair de Jesus Mari Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Psiquiatria e Psicologia Médica
Abstract Introduction: Anxious Depression (AD) is a new category that it has been revised to be included in the new version of the International Classification of Diseases for Primary Health Care, ICD-11-PHC. The diagnosis involves criteria consisting of a combination of depression and anxiety symptoms, and shortening the ICD-10 duration of anxiety symptoms criterion from several months (3 or 6) to 2 weeks. Objective: To test the utility of this new category of AD in PHC settings in five countries, assessing the implications for rates, impairment and comorbidity of change the requirements of anxiety duration for the new classification, ICD-11-PHC. Methodology: To evaluate this new diagnosis, Primary Care Physicians (PCPs) in five countries referred patients they suspected to have depressive or anxiety or somatoform symptoms to be interviewed by a research assistant using a computerized version of the Clinical Interview Schedule-Revised (CIS-R) and a measure of disability (12-WHODAS 2.0). Results: 2.279 patients completed the study. The most frequent ICD-11-PHC diagnosis assigned by the CIS-R was AD (47,7%). Using ICD-10 criteria, 98% of patients with Depression received a second diagnosis of anxiety disorder. AD patients presented similar pattern of symptoms assessed by CIS-R across cultures, having higher scores than other ICD-11-PHC diagnoses in all the symptoms, including suicide risk and impairment. There were no significant differences on disability scores and suicide risk between AD patients with anxiety for less than three or six months and those with longer anxiety duration. Conclusion: Co-occurrence of anxiety and depression is common in PHC and AD category proved to be a useful entity to diagnose common mental disorders in PHC. To short the duration period of Anxiety assessment to two weeks did not change severity and suicide risk, when compared to previous definition in ICD-10, and the new definition favors an early diagnosis of this common disorder in PHC.

Introdução: Depressão Ansiosa (DA) é uma nova categoria que está sendo revisada para ser incluída na nova versão da Classificação Internacional de Doenças para à Atenção Primaria à Saúde, CID-11-AP, consistindo em juntar Transtornos Depressivos e Ansiosos, reduzindo o requerimento de duração para ansiedade da CID-10 desde vários meses (entre 3 e 6) a, pelo menos, duas semanas. Objetivo: Testar a utilidade da nova categoria de DA em serviços de atenção primaria, avaliando as implicações nas taxas, prejuízo funcional e comorbidade de mudar os requerimentos de duração de ansiedade para a nova classificação, CID-11-AP. Metodologia: Foram analisados os dados coletados nos estudos de campo da CID-11-AP realizados em cinco países para avaliar esse novo diagnostico. Clínicos gerais atuando na atenção primaria encaminharam pacientes dos quais suspeitavam a presença de sintomas depressivos ou ansiosos ou de somatização para ter uma entrevista psiquiátrica padronizada por um assistente de pesquisa usando uma versão eletrônica da Clinical Interview Schedule-Revised (CIS-R) e uma medida de deficiência (12-WHODAS 2.0). Resultados: 2.279 pacientes completaram o estudo. O diagnóstico da CID-11-AP mais frequentemente assignado foi DA (47,7%). Usando os critérios da CID-10, 98% dos pacientes com depressão receberam um segundo diagnostico de transtornos ansiosos. Os pacientes com DA apresentaram um perfil similar de sintomas avaliados pela CIS-R através dos países, tendo maiores escores que os pacientes com outros diagnósticos da CID-11-AP em todos os sintomas, incluindo risco suicida e prejuízo funcional. Não houve diferença significativa nos escores de prejuízo funcional e risco suicida entre os pacientes com DA que apresentavam ansiedade desde pelo menos duas semanas com aqueles que tinham ansiedade desde três ou seis meses. Conclusão: A co-ocorrência de depressão e ansiedade é comum na AP e a categoria de DA provou ser uma entidade útil para diagnosticar transtornos mentais comuns na AP. A redução para duas semanas da duração de ansiedade não reduz a gravidade e o risco suicida comparado com a prévia definição da CID-10, e a nova definição favorece um diagnóstico precoce deste transtorno comum na AP.
Keywords mental disorders
depression
icd
anxiety
transtornos mentais/classificação
atenção primaria à saúde
depressão
ansiedade
classificação internacional de doenças
Language Portuguese
Date 2016-11-21
Published in JORQUERA, Carolina Andrea Ziebold. Testagem da categoria diagnóstica de depressão ansiosa da décimo primeira edição da classificação internacional das doenças em saúde mental para atenção primária à saúde: cid-11-ap. 2016. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4429800
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47271

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account