Comparação entre treinamento cardiovascular versus treinamento de exercício resistido na melhora da qualidade de vida e capacidade funcional em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico: ensaio clínico randomizado

Comparação entre treinamento cardiovascular versus treinamento de exercício resistido na melhora da qualidade de vida e capacidade funcional em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico: ensaio clínico randomizado

Author Abrahao, Marcelo Ismael Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Trevisani, Virginia Fernandes Moca Trevisani Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Saúde Baseada em Evidências
Abstract Systemic lupus erythematosus (SLE) is an inflammatory, chronic, autoimmune disease that negatively impacts the patient’s quality of life. This double-blind randomized controlled trial compared the efficacy of cardiovascular training (CT) with resistance training (RT) in improving the health-related quality of life (HRQoL) and physical function of SLE patients. Sixty-three patients of both sexes, aged 42.9  14.4 years with a mean body mass index of 28.7  10.6 kg/m2, disease duration of 3.8  3.3 years, and not physically active participated in the study. The participants were randomly allocated to either the CT group (n = 20), RT group (n = 22), or control group (n = 21). HRQoL was assessed using the Medical Outcomes Study 36-Item Short Form Health Survey (SF-36), severity of depression was measured with the Beck Depression Inventory, disease activity by the SLE Disease Activity Index (SLEDAI), and aerobic capacity by a 12-minute walk test (T12). The weight, height, and amount and type of medication used by the participants were also recorded. CT was superior to RT in improving HRQoL. There was no significant difference in physical function between intervention groups, except in aerobic capacity. Both training programs were not associated with changes in disease activity.

Introdução O lúpus eritematoso sistêmico (LES) é uma doença inflamatória crônica, auto–imune que afeta diretamente a qualidade de vida dos pacientes. Objetivo Avaliar a eficácia do TR e TC na melhora do aspecto físico da qualidade de vida em pacientes com LES. Método foi desenvolvido um ensaio clínico randomizado controlado no ambulatório de especialidades Interlagos com 63 pacientes de ambos os sexos não praticantes de atividade física com média de idade 42,9 anos, índice de massa corporal média 28,7, duração da doença média 3,8 anos com diagnóstico de LES. Os mesmos foram alocado em três grupos treinamento cardiovascular (TC n=20), treinamento resistido (TR n= 22) e um grupo controle (GC n= 21) com intervenção de 12 semanas. Os desfechos avaliados foram à qualidade de vida pelo Medical Outcomes Study 36 (SF – 36), índice de depressão pelo Beck Depression Inventory (BDI), índice de atividade da doença pelo Systemic Lupus Erythematosus Disease Activity Inventory (SLEDAI),intensidade da dor pela escala analógica visual (EVA), capacidade aeróbica pelo teste de Cooper de 12 minutos de correr ou caminhar, quantidade de medicamentos pelo inventário de medicamentos, força muscular dos extensores de joelho pela dinamometria analógica e a atividade elétrica muscular pela eletromiografia de superfície. Resultados Sessenta e um pacientes concluíram o estudo. Após o estudo foram verificadas diferenças estatisticamente significantes na melhora da qualidade de vida em todos os domínios nos grupos TR e TC, exceto no domínio vitalidade onde apenas o grupo TC apresentou melhora após a intervenção de acordo com inventário SF – 36. Em relação às capacidades funcionais foram verificadas alterações estatisticamente significantes na melhora da capacidade aeróbica, aumento da força muscular em ambos os grupos TR e TC e diminuição da atividade elétrica apenas no TC. Já o grupo GC apresentou necessidade de aumento na quantidade de medicamentos. Conclusão O estudo realizado permite concluir que em pacientes com LES, ambos os programas TC e TR são eficazes para melhora da qualidade de vida e das capacidades funcionais, sendo TC mais eficaz na melhora do domínio do aspecto físico da qualidade de vida em relação aos outros grupos TR e GC
Keywords lupus erythematosus
systemic
physical activity
clinical trial
training
resistance training
quality of life
lupus eritematoso sistêmico
atividade física
treino de resistência
qualidade de vida ensaio clínico
Language Portuguese
Date 2013-02-27
Published in ABRAHAO, Marcelo Ismael. Comparação entre treinamento cardiovascular versus treinamento de exercício resistido na melhora da qualidade de vida e capacidade funcional em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico: ensaio clínico randomizado. 2013. 95 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 95 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1226148
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/47212

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account