Avaliação de protocolos adicionais visando otimização do tratamento cirúrgico do hiperparatiroidismo associado à doença renal crônica

Avaliação de protocolos adicionais visando otimização do tratamento cirúrgico do hiperparatiroidismo associado à doença renal crônica

Author Ohe, Monique Nakayama Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Vieira, Jose Gilberto Henriques Vieira Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Medicina (Endocrinologia Clínica)
Abstract O decaimento dos níveis de PTH-IO em 80% ou mais com relação ao valor basal antes da paratiroidectomia foi preditor de cura cirúrgica em todos os pacientes portadores de hiperparatiroidismo associado à DRC durante o seguimento do estudo. 2 – A queda do PTH-IO abaixo de 70% com relação ao basal é sugestiva de presença de paratiroide supra-numerária ou não reconhecida durante o ato cirúrgico, sendo preditor de falha cirúrgica em 66,6% dos casos. 3 – A queda “marginal” do PTH-IO entre 70-79% com relação ao basal delega ao cirurgião a decisão de continuar ou não a exploração cirúrgica. 4 – O uso da estereomicroscopia como método auxiliar na escolha de tecido paratiroideano no tratamento cirúrgico do hiperparatiroidismo associado à DRC pode proporcionar uma padronização na técnica de seleção deste tecido a ser usado no autoimplante, objetivando índice potencialmente menor de recorrência do hiperparatiroidismo no enxerto. 5 – A doença mais severa observada nos pacientes em tratamento dialítico no grupo com estereomicroscopia pode ser uma explicação para o encontro de recorrência de hiperparatiroidismo no autoimplante similar entre os dois grupos. 6 – A contínua exposição do enxerto paratiroideano ao ambiente urêmico pode ser o principal indutor da recorrência do hiperparatiroidismo no autoimplante nos pacientes em tratamento dialítico há longo tempo. PERSPECTIVAS: Os protocolos adicionais aqui estudados representam apenas algumas das respostas às intermináveis perguntas que o estudo do hiperparatiroidismo na doença renal crônica nos apresentam. Este trabalho surge como uma continuidade do esforço realizado ao longo de anos, por diversas equipes e serviços, em busca do melhor tratamento, ou quando muito, do melhor tratamento possível da DRC e de suas comorbidades, no caso, o hiperparatiroidismo. E todos têm o grande mérito de conviver com esta busca. Há, entretanto, ao meu ver uma peculiaridade da condição do cirurgião: ele inicia o trabalho, quando todos estão no fim. Esgotadas as possibilidades de um transplante de rim imediatamente à falência renal, o que minimizaria o risco do desenvolvimento do hiperparatiroidismo, esgotadas as expectativas com as diversas modalidades de terapia de substituição renal, esgotados os recursos de tratamento clínico do hiperparatiroidismo, frente a uma piora clara e progressiva, então o paciente segue para a cirurgia. Mas, apesar do quadro difícil, é onde todos, pacientes e médicos adquirem uma nova perspectiva. A busca pelo sucesso cirúrgico é o maior objetivo neste momento, onde se renovam as esperanças de proporcionar uma melhor qualidade de vida ao indivíduo. E este é o intuito dos protocolos adicionais aqui estudados: em última análise, dar um suporte a mais a esta tarefa tão árdua, em uma doença que ainda compreendemos tão pouco, no paciente que consegue sobreviver à falência renal, mas que convive com as limitações das diversas comorbidades. Portanto, novos estudos nesta área são muito bem-vindos, e na realidade, necessários. Seriam de grande interesse: - desenvolvimento de metodologias futuras que contemplem melhorar ainda mais a segurança do autoimplante, através da pesquisa molecular do tecido paratiroideano, selecionando áreas livres de mutação monoclonal para o autoimplante; - possibilitar aumento na quantidade de tecido paratiroideano, livre de mutação monoclonal, a ser implantado, diminuindo o risco de níveis de PTH insuficientes para manutenção de turnover ósseo adequado nos pacientes com DRC; - desenvolvimento de técnicas de cultura de célula paratiroideana para autoimplante, ou de técnica de microencapsulamento de tecido paratiroideano exógeno para autoimplante. Todas estas perspectivas são instigantes, uma vez que a pergunta persiste: - “Há algo mais que se possa fazer?”. Possivelmente, a finalização desta dissertação de Doutorado signifique apenas uma resposta parcial a diversas perguntas que ainda surgirão, pois: “Most people believe ignorance precedes knowledge, but in science, ignorance follows knowledge.” (Firestein S,)
Keywords hiperparatiroidismo
hiperparatiroidismo
Language Portuguese
Date 2013-08-30
Published in OHE, Monique Nakayama. Avaliação de protocolos adicionais visando otimização do tratamento cirúrgico do hiperparatiroidismo associado à doença renal crônica. 2013. 124 f. Tese (Doutorado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2013.
Research area Medicina
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 124 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=117900
Access rights Closed access
Type Thesis
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46967

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account