Ansiedade, estresse e depressão de familiares de pacientes com insuficiência cardíaca em tratamento ambulatorial

Ansiedade, estresse e depressão de familiares de pacientes com insuficiência cardíaca em tratamento ambulatorial

Autor Lacerda, Marianna Sobral Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Lopes, Juliana de Lima Lopes Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Enfermagem
Resumo To analyze the level of anxiety and stress as well as the symptoms of depression in relatives accompanying patients with Heart Failure under outpatient treatment; to describe the sociodemographic and clinical characteristics of relatives accompanying patients with HF under outpatient treatment, and also those related to the way of life and burden; to verify whether there is correlation among the scores of scales of anxiety, depression and stress and verify whether there are differences in the scores of scales of anxiety, depression and stress according to sociodemographic and clinical characteristics, as well as those related to the way of life and burden of relatives and the degree of independence with regard to activities of daily living of patients. Method: This is a cross-sectional and descriptive study, which was performed between April 2014 and February 2015 in the Cardiomyopathy Outpatient Clinic of the São Paulo Hospital. The sample was composed by 100 relatives of patients with Heart Failure. The anxiety, the depression and the stress were evaluated by means of Beck Anxiety Inventory, Beck Depression Inventory and Perceived Stress Scale - 10, respectively. The other variables were obtained by means of an instrument containing the sociodemographic and clinical variables, the self-rated health, the Index of Independence in Activities of Daily Living and Caregiver Burden Scale. Results: The average age of surveyed subjects was 45.43±13.53 years, most were female (81%), white (63%) and married (61%). The score of depression showed an average of 8.24±7.14, the anxiety was 7.95±7.61 and the stress scale was 17.43±7.15, thereby demonstrating the lack of these symptoms in most relatives of patients with HF. As for the degree of independence, 82% of patients were independent for all activities of daily living, and there was no burden of caregiver (17,9±14,21). The correlation coefficient among the scales was 0.53 between depression and anxiety, and between depression and stress, and 0.66 between anxiety and stress. Female gender (p=0.002; p=0.031), smoking (p=0.05; p=0.011), sedentariness (p=0.023; p=0.001) and regular/bad selfrated health (p=0.012; p=0.013) showed a relationship with anxiety and stress. The family income less than 5 minimum wages (p=0.012) and the regular/bad health selfassessment (p=0.001) were associated with depression. Conclusion: Relatives did not show high levels of stress, anxiety and depression. The scales showed correlation with each other, but the scales of stress and anxiety showed greater correlation strength. Self-rated health, physical activity, smoking and gender were the factors that showed a relationship with stress and anxiety, and family income and self-rated health were factors related to symptoms of depression.

Analisar o nível de ansiedade e de estresse e os sintomas de depressão de familiares acompanhantes de pacientes com Insuficiência Cardíaca em tratamento ambulatorial; descrever as características sociodemográficas, clínicas, do estilo de vida e de sobrecarga de familiares acompanhantes de pacientes com Insuficiência Cardíaca em tratamento ambulatorial; verificar se há correlação entre os escores das escalas de ansiedade, depressão e estresse e verificar se há diferenças nos escores das escalas de ansiedade, depressão e estresse de acordo com as características sociodemográficas, clínicas, de estilo de vida e de sobrecarga de familiares e do grau de independência das atividades de vida diária dos pacientes. Método: Estudo de caráter descritivo transversal, realizado entre abril de 2014 e fevereiro de 2015 no Ambulatório de Miocardiopatias do Hospital São Paulo. A amostra foi composta por 100 familiares de pacientes com Insuficiência Cardíaca. A ansiedade, a depressão e o estresse foram avaliados por meio do Inventário de Ansiedade de Beck, Inventário de Depressão de Beck e Escala de Estresse Percebido - 10, respectivamente. As outras variáveis foram obtidas por meio de um instrumento contendo as variáveis sociodemográficas e clínicas, da auto avaliação da saúde, do Index de Independência nas Atividades da Vida Diária e Escala de Sobrecarga do Cuidador. Resultados: A média de idade dos sujeitos avaliados foi de 45,43±13,53 anos, a maioria era do sexo feminino (81%), branca (63%) e casada (61%). O escore de depressão apresentou média de 8,24±7,14, o de ansiedade 7,95±7,61 e a escala de estresse 17,43±7,15, demonstrando a ausência desses sintomas na maioria dos familiares de pacientes com IC. Quanto ao grau de independência, 82% dos pacientes eram independentes para todas as atividades de vida diária, não sendo observada sobrecarga do cuidador (17,9±14,21). O coeficiente de correlação entre as escalas foi de 0,53 entre depressão e ansiedade, e entre depressão e estresse e de 0,66 entre ansiedade e estresse. Sexo feminino (p=0,002; p=0,031), tabagismo (p=0,05; p=0,011), sedentarismo (p=0,023; p=0,001) e auto avaliação da saúde regular/ruim (p=0,012; p=0,013) apresentaram relação com ansiedade e estresse. A renda familiar menor que 5 salários mínimos (p=0,012) e a auto avaliação da saúde regular/ruim (p=0,001) apresentaram relação com a depressão. Conclusão: Os familiares não apresentaram níveis elevados de estresse, ansiedade e depressão. As escalas apresentaram correlação entre si, porém as escalas de estresse e ansiedade apresentaram maior força de correlação. Auto avaliação da saúde, atividade física, tabagismo e sexo foram os fatores que se relacionaram com o estresse e ansiedade e renda familiar e auto avaliação de saúde foram os fatores relacionados com os sintomas de depressão.
Assunto heart failure
family
anxiety
stress phychological
depression
insuficiência cardíaca
família
ansiedade
estresse psicológico
depressão
Idioma Português
Data 2015-12-23
Publicado em LACERDA, Marianna Sobral. Ansiedade, estresse e depressão de familiares de pacientes com insuficiência cardíaca em tratamento ambulatorial. 2015. 105 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2015.
Linha de pesquisa Enfermagem
Área de concentração Ciências da saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 105 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3045942
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46945

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)