Variação na forma da cabeça em populações continentais e insulares no complexo bothrops jararaca (serpentes: viperidae) Diadema/SP 2014

Variação na forma da cabeça em populações continentais e insulares no complexo bothrops jararaca (serpentes: viperidae) Diadema/SP 2014

Autor Gusmao, Rodrigo Blanques de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Sawaya, Ricardo Jannini Sawaya Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Ecologia e Evolução
Resumo The beginning of morphological studies merges with the beginning of the biological studies, and was a central key in the proposition of the evolution by the means of natural selection by Charles Darwin. Islands are good models for evolutionary studies because they have known history. Bothrops jararaca species complex includes three insular endemic species and one species that occurs in continental areas and in some islands. The species complex is divided in two genetic clades occurring in allopatry, with a break in southern São Paulo. All described insular species to the group are related to the northern clade of continental populations of B. jararaca. Present work focus on the analysis of the head shape to verify the presence of a geographical structure and inter-specific divergences of B. jararaca complex. We have included populations from continental areas, Búzios Island, SP (B. sp.1) and Franceses island, ES (B. sp.2), besides B. insularis and B. otavioi. The head shape analysis was carried out on lateral view of the head using 15 landmarks analyzed after a procrustes superimposition. The Principal Component Analisys (PCA) and Discriminant Analysis showed that continental B. jararaca is the only species with significant sexual dimorphism for head shape. Mantel's correlations and Moran's index shows no spatial autocorrelation in males and only Moran's Index shows spatial autocorrelation in females. PCA shows relevant inter-specific divergence for head shape, which was significant by Canonical Variate Analysis (CVA) and discriminant analysis. Using a model that compares B matrix(between species) variance with W Matrix (within species) variances, we could find that natural selection might have played a central role in the head shape diversification in B. jararaca species complex, which was probably linked to diet differences between species. Our results show that the populations analyzed could be considered as distinct evolutionary entities.

O estudo da morfologia se confunde com o início do estudo da biologia, e foi fundamental para a proposição da teoria de evolução por seleção natural de Charles Darwin. As ilhas se mostram excelentes modelos para o estudo da evolução, por sua história facilmente reconhecida. O complexo de espécies Bothrops jararaca é formado por três espécies endêmicas de ilhas e uma espécie que ocorre no continente mas possui populações em ilhas. O complexo é dividido em dois clados que ocorrem em alopatria, cuja barreira se encontra no sul do estado de São Paulo. As espécies insulares conhecidas estão relacionadas às populações continentais de B. jararaca do clado norte. O presente trabalho teve como objetivos investigar a variação na forma da cabeça neste complexo para verificar se há estrutura geográfica e divergência interespecífica na forma da cabeça. Analisamos populações continentais de B. jararaca do clado norte, e populações da Ilha de Búzios (B. sp.1) no estado de São Paulo, Ilha dos Franceses (B. sp.2) no estado do Espírito Santo, B. insularis e B. otavioi. A forma da cabeça foi analisada em vista lateral através de 15 marcos anatômicos, após uma sobreposição de procrustes. Análises de Componentes Principais (PCA) e a Análise Discriminante apontaram dimorfismo sexual para a forma da cabeça apenas para B. jararaca continental. A correlação de Mantel e o índice de Moran não mostraram autocorrelação espacial da forma da cabeça nos machos, mas sim autocorrelação para fêmeas, apenas em realção ao índice de Moran. A PCA revelou divergência relevante entre as espécies, que foi confirmada com a Análise de Variáveis Canônicas e discriminante. Adotando um modelo que compara as variâncias entre espécies, sugerimos que a seleção natural foi a principal força na diversificação das espécies, o que possivelmente está relacionado a às diferenças na dieta. Nossos resultados demonstram que as espécies insulares do grupo podem ser consideradas entidades evolutivas distintas umas das outras, e distintas em relação às populações do continente .
Assunto geometric morphometrics
island
head shape
natural selction
evolution
morfometria geométrica
ilha
forma da cabeça
seleção natural
evolução
Idioma Português
Data 2014-04-29
Publicado em GUSMAO, Rodrigo Blanques de. Variação na forma da cabeça em populações continentais e insulares no complexo bothrops jararaca (serpentes: viperidae) Diadema/SP 2014. 2014. 47 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Diadema, 2014.
Linha de pesquisa Ecologia
Área de concentração Ciências biológicas
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 47 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=1894235
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46878

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)