Habitus, prática e percepção de risco de doenças transmitidas por alimentos: trajetórias de trabalhadores do comércio ambulante por um olhar etnográfico

Habitus, prática e percepção de risco de doenças transmitidas por alimentos: trajetórias de trabalhadores do comércio ambulante por um olhar etnográfico

Author Andrade, Samantha Jesica Sales Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Stedefeldt, Elke Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Alimentos, Nutrição e Saúde
Abstract INTRODUCTION: The relationship between the food handler and the environment is intrinsic to the work process, and this professional may be responsible for outbreaks of foodborne illness. Knowing the habitus of the handlers and the way this influences their perception of risk can have a positive impact on health hygienic quality of food. OBJECTIVE: Identify how the habitus of workers of street food trade influences the practice of food handling and the understanding about the foodborne diseases. METHOD: It is an empirical research, qualitative-quantitative, which through triangulation methods using techniques of ethnography, combined with the application of risk perception scale, allowed to build a study based on individual trajectories of food handlers, analyzed before the Bourdieusian perspective. The research setting was the city of Santos from April to December 2015 and as interlocutores six handlers. RESULTS AND DISCUSSION: The sample was characterized by five male workers and one female, aged 43-67 years old. Regarding schooling three had incomplete primary education and only one completed higher education. It was found that only two workers were trained with the theme good manufacturing practices. It was found that the agents use the cultural and symbolic capital for building your space, and these funds were predictors of the observed practices. The global analysis of the responses of workers showed that the perception of risk related to "practice in which he is involved" was low for three of the street. The perception of risk is strongly influenced by the primary habitus of the agents. Social trajectories demonstrate the lack of school ascension opportunity, inclusion in work activities early on and not have placement opportunities in the formal labor market. CONCLUSION: Workers perpetuated the living conditions of their parents and grandparents regarding the cultural capital, the descendants amounted regarding this capital. The analysis of food handling practices revealed that the lack of adaptation to current legislation can be explained by the difficulties in the understanding of these practices by the street and that several inadequacies are derived from own routine demanded by the job. The perception of workers DTA risk is influenced by the level of education, for their beliefs, religion and the family habitus. Workers were more likely to optimistic bias about the situations that concern the risk of FBD caused by him and related to their family and friends. The practices of these hawkers are related to those seized with their families. The school emerged in the field as one reason for the continuation of these distinctions. The social conditions of each agent, as well as their career choice and how food handlers are strongly influenced by habitus

Introdução: A relação entre o manipulador de alimentos e o ambiente é intrínseca ao processo de trabalho, e este profissional pode ser responsável pelos surtos de doenças transmitidas por alimentos. Conhecer o habitus dos manipuladores e a maneira pela qual este influencia a sua percepção de risco pode ter um impacto positivo na qualidade higiênico sanitária dos alimentos. Objetivo: Identificar como o habitus dos trabalhadores do comércio ambulante de alimentos influencia a prática de manipulação de alimentos e o entendimento sobre as doenças transmitidas por alimentos. MÉTODO: Trata-se de uma pesquisa empírica, qualiquantitativa, que por meio da triangulação de métodos utilizando técnicas da etnografia, aliada à aplicação de escala de percepção de risco, possibilitaram construir um estudo baseado nas trajetórias individuais dos manipuladores de alimentos, analisadas diante da perspectiva Bourdiesiana. O cenário de investigação foi a cidade de Santos de abril a dezembro de 2015 e como interlocutores, seis manipuladores. Resultados E DISCUSSÃO: A amostra caracterizou-se por cinco trabalhadores do gênero masculino e um do feminino, com idade entre 43 a 67 anos de idade. Com relação a escolaridade três possuíam o ensino fundamental incompleto e apenas um concluiu o ensino superior. Verificou-se que apenas dois dos trabalhadores realizaram treinamento com o tema boas práticas de manipulação. Verificou-se que os agentes utilizam os capitais cultural e simbólico para construção de seu espaço, bem como estes capitais foram preditores das práticas observadas. A análise global das respostas dos trabalhadores mostrou que a percepção de risco relacionada à ?prática em que ele está envolvido? foi baixa para três dos ambulantes. A percepção de risco é fortemente influenciada pelo habitus primário dos agentes. As trajetórias sociais demonstram a falta de oportunidade de ascensão escolar, inserção em atividades laborais de forma precoce e não ter oportunidade de colocação no mercado formal de trabalho. Conclusão: Os trabalhadores perpetuaram as condições de vida de seus pais e avós no que diz respeito ao capital cultural, os descendentes ascenderam com relação a este capital. A análise das práticas de manipulação de alimentos revelou que a falta de adequação à legislação vigente pode ser explicada pelas dificuldades no entendimento dessas práticas por parte dos ambulantes e que diversas inadequações são derivadas da rotina própria exigida pelo trabalho. A percepção de risco de DTA dos trabalhadores é influenciada pelo nível de escolaridade, por suas crenças, religiosidade e pelo habitus familiar. Os trabalhadores apresentaram uma maior tendência ao viés otimista sobre as situações que tangem ao risco de DTA ocasionado por ele e relacionado aos seus familiares e amigos. As práticas desses ambulantes estão relacionadas àquelas apreendidas com seus familiares. A instituição escolar emergiu no campo como uma das responsáveis pela continuidade dessas distinções. As condições sociais de cada agente, bem como a sua escolha profissional e a maneira como manipulam os alimentos são fortemente influenciadas pelo habitus.
Keywords foodborne disease
street food
risk assessment
food hygiene
observation
beliefs
doenças transmitidas por alimentos
alimentos de rua
medição de risco
higiene dos alimentos
observação
crenças
Language Portuguese
Date 2016-04-29
Published in ANDRADE, Samantha Jesica Sales. Habitus, prática e percepção de risco de doenças transmitidas por alimentos: trajetórias de trabalhadores do comércio ambulante por um olhar etnográfico. 2016. 119 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2016.
Research area Nutrição
Knowledge area Ciências da saúde
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 119 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=4015961
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46850

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account