O papel dos exames complementares na confirmação diagnóstica e no diagnóstico diferencial das síndromes demenciais

O papel dos exames complementares na confirmação diagnóstica e no diagnóstico diferencial das síndromes demenciais

Autor Moraes, Fabiano Moulin de Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Bertolucci, Paulo Henrique Ferreira Bertolucci Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Neurologia - Neurociências
Resumo Objectives: To evaluate the role of supplementary exams (TSH, B12, VDRL, HIV, Brain CT or MRI, depression scale and when appropriate SPECT, Polysomnography, cerebrospinal fluid and electroencephalogram) on the final diagnostic confirmation and on the differential diagnosis in dementia syndromes after at least one year follow up. Methods: A retrospective observational study to estimate the contribution of the supplementary exams on the final diagnosis of the dementia syndromes established after the initial diagnosis. The collected data were sociodemographic, types of the patient and family complaints, family history, comorbidities, disability scale measured by the Clinical Dementia Rating (CDR), neurological physical examination, neuropsychological tests divided in cognitive domains and finally the results of the supplementary exams including a depression scale (geriatric depression scale ?GDS). Once an initial diagnosis was made, it was compared with the final diagnosis to asses which exams had any relevant impact in the stability or change whether degenerative or reversible syndromes. Besides the exams, the other clinical variables were evaluated to check for any relevant influence on the final diagnosis. Results: There were selected 432 patients from 1485 patients from a single university center. From this sample, 110 (25,4 %) patients have their diagnosis changed, most of them adding the vascular component to initial diagnosis as a significant contribution to the dementia syndrome. The clinical variables related to the diagnostic stability was the presence symmetric parkinsonism in neurological examination, initial diagnosis of vascular dementia, the presence of diabetes and systemic arterial hypertension, the presence of long term memory deficit in the neuropsychological evaluation and normal neuroimaging (brain CT or MRI). Regarding the reversibility of dementia, depression was the most important mimicker, responsible for 13 from the 16 patients (3,7% of the total sample) who had their severity reduced. The other three patients had normal pressure hydrocephalus (NPH) treated surgically. The clinical variables related to reversibility were follow up time, absence of the family complaint, sedentary, initial diagnosis of NPH, initial diagnosis of depression and normal brain image(CT or MRI). Conclusion: Regarding the supplementary exams, only the depression screening scale and the brain image were statistically relevant for the differential diagnosis of the dementia syndromes. Furthermore, every step of the clinical diagnosis including history, comorbidities, physical examination and neuropsychological battery were relevant as well.

Objetivos: Avaliar o papel dos exames complementares recomendados (TSH, B12, VDRL, HIV, Tomografia ou Ressonância de Crânio, triagem para depressão e quando prudente SPECT, Polissonografia, Líquor e Eletroencefalograma) na confirmação diagnóstica final e no diagnóstico diferencial das síndromes demenciais após pelo menos um ano de acompanhamento. Métodos: Estudo observacional retrospectivo que avaliou a contribuição dos exames complementares no diagnóstico final das síndromes demenciais após diagnóstico inicial estabelecido. Foram coletados dados sociodemográficos, tipos de queixas dos pacientes e dos familiares, história familiar, comorbidades, grau de incapacidade estabelecido pelo Clinical Dementia Rating (CDR), achados do exame físico neurológico e da bateria neuropsicológica dividida em domínios cognitivos além dos resultados dos exames complementares incluindo a triagem para depressão. Depois de estabelecido o diagnóstico inicial comparou-se com o diagnóstico final para avaliar quais exames tiveram impacto na mudança diagnóstica seja degenerativo ou reversível. Além disso, foram avaliadas quais outras variáveis, além dos exames complementares, tiveram influência na mudança diagnóstica ou na reversibilidade do quadro cognitivo. Resultados: Foram selecionados 432 pacientes dentro de uma amostra de 1485 pacientes dentro de um centro universitário único. Destes 110 (25,4%) pacientes apresentaram mudança diagnóstica, sendo a principal mudança o acréscimo do comprometimento vascular como doença comórbida ao prejuízo cognitivo. As variáveis clínicas relacionadas à estabilidade diagnóstica foram a queixa do acompanhante de linguagem, a presença de parkinsonismo simétrico no exame físico, diagnóstico inicial de demência vascular, a presença de hipertensão arterial sistêmica, de diabetes tipo II, o acometimento do domínio memória de longo prazo na avaliação neuropsicológico inicial e a TC/RM normais. Quanto à reversibilidade, a depressão foi a principal causa de comprometimento cognitivo reversível sendo responsável por 13 dos 16 pacientes (3,7%) sendo os outros 3 pacientes portados de Hidrocefalia de pressão normal (HPN) tratados cirurgicamente. As variáveis clínicas relacionadas à reversibilidade foram o tempo de acompanhamento, ausência de queixas pelo acompanhante, ser sedentário, possuir diagnóstico inicial de HPN, de depressão e apresentar TC/RM normais. Conclusão: Dos exames complementares, a triagem clínica para depressão e a neuroimagem foram estatisticamente relevantes para o diagnóstico diferencial das síndromes demenciais. Para além dos exames, todas as etapas necessárias ao diagnóstico, incluindo anamnese, comorbidades, exame físico, testagem neuropsicológica, também foram significativas.
Assunto dementia
diagnosis
alzheimer disease
demência
diagnóstico
exames complementares
alzheimer
Idioma Português
Data 2016-11-29
Publicado em MORAES, Fabiano Moulin de. O papel dos exames complementares na confirmação diagnóstica e no diagnóstico diferencial das síndromes demenciais. 2016. 134 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Paulista de Medicina, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), São Paulo, 2016.
Linha de pesquisa Medicina
Área de concentração Ciências da saúde
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 134 p.
Fonte https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3906372
Direito de acesso Acesso restrito
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46606

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Arquivos Tamanho Formato Visualização

Não existem arquivos associados a este item.

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)