Significados dos problemas mentais na infância: quem olha? O que se olha? Como se olha?

Show simple item record

dc.contributor.advisor Nakamura, Eunice Nakamura [UNIFESP] pt
dc.contributor.author Esper, Marcos Venicio [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2018-07-27T15:50:15Z
dc.date.available 2018-07-27T15:50:15Z
dc.date.issued 1905-07-08
dc.identifier https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3658948 pt
dc.identifier.citation ESPER, Marcos Venicio. Significados dos problemas mentais na infância: quem olha? O que se olha? Como se olha?. 2016. 93 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2016.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46452
dc.description.abstract This essay addressed the different discourses of professionals in family health strategy (FHS) to analyze and reflect about the meanings of mental health problems in childhood, highlighting who sees it, what is seen and how they look to these problems, starting at the Ethnographic research in the city of Passos - MG. Taking as a reference the theoretical and methodological concepts of culture and meanings, closely linked, the qualitative research, based on the ethnography, allowed the approach and understanding of particular experiences related to mental problems in childhood. There is a consensus among the professionals that the topic is relevant, although the professionals feels unprepared to act with the population of children with mental problems. The routine of the professionals is full of situations requiring close observation of the context, always aiming the decision complex-making process technique. It was verified that the directional attention of the professionals to the children with mental problems, was built with base of daily experiences, however, with some variations. Along this search, it was noticed the family and school participation in the child life, although it was revealed by itself as inequalities between the "who" and "how" care the child. Through the speeches of professionals, they observed a difference between the daily practice facing a child with mental problems and what think about the topic. In the deciding, which way a child will walk in treatment is imperative and essential the engagement between the team of professionals and the study of each case in its specificity, without generalizations. It is required new studies, which address the issue of mental health in childhood, providing an overview of the existing scientific production. It is expected through this work, to provoke new further discussions and new perspectives about the importance of the theme in national studies. en
dc.description.abstract Esta dissertação abordou diferentes discursos de profissionais da estratégia de saúde da família (ESF) para analisar e refletir sobre os significados dos problemas mentais na infância, destacando-se quem olha, o que se olha e como se olham esses problemas, a partir de pesquisa qualitativa, de inspiração etnográfica, na cidade de Passos-MG. Tomando como referencial teórico-metodológico os conceitos de cultura e significados, estreitamente vinculados, a pesquisa etnográfica possibilitou a aproximação e a compreensão de experiências particulares em relação aos problemas mentais na infância. Há um consenso entre os profissionais de que o tema é relevante, porém os profissionais sentem-se despreparados para atuar com a população de crianças com problemas mentais. A prática dos profissionais está repleta de situações que exigem uma observação atenta do contexto visando sempre o processo complexo de tomada de decisão técnica. Verificou-se que os olhares dos profissionais direcionados às crianças com problemas mentais são construídos com base nas experiências do dia a dia, porém, com algumas variações. Ao longo dessa pesquisa, observou-se a participação da família e da escola na vida da criança, porém evidenciaram-se as desigualdades entre o ―quem‖ e ―como‖ cuidar da criança. Através dos discursos dos profissionais, observou-se uma diferença entre a prática diária diante de uma criança com problema mental e o que ele pensa sobre o tema. Na decisão sobre que caminho uma criança irá trilhar no tratamento é imperativo e primordial o envolvimento entre os profissionais da equipe e o estudo de cada caso em sua especificidade, sem generalizações. Necessitam-se novos estudos que contemplem o tema da saúde mental na infância e que ofereçam um panorama da produção científica existente. Espera-se que, através desse trabalho, sejam provocadas novas discussões e novos olhares sobre a importância do tema em estudos nacionais. pt
dc.format.extent 93 p.
dc.language.iso por
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.rights Acesso restrito
dc.subject child en
dc.subject mental health problems en
dc.subject social and cultural problems en
dc.subject meanings en
dc.subject qualitative research en
dc.subject criança pt
dc.subject problemas mentais pt
dc.subject sociocultural pt
dc.subject significados pt
dc.subject pesquisa qualitativa pt
dc.title Significados dos problemas mentais na infância: quem olha? O que se olha? Como se olha? pt
dc.type Dissertação de mestrado
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.identifier.file 2016-0516.pdf
dc.description.source Dados abertos - Sucupira - Teses e dissertações (2013 a 2016)
unifesp.campus Santos, Instituto de Saúde e Sociedade (ISS) pt
unifesp.graduateProgram Interdisciplinar em Ciências da Saúde pt
unifesp.knowledgeArea Multidisciplinar pt
unifesp.researchArea Interdisciplinar pt



File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account