Michel foucalt e a constituição do corpo e da alma do sujeito moderno no curso os anormais

Michel foucalt e a constituição do corpo e da alma do sujeito moderno no curso os anormais

Author Portela, Jose Ricardo Autor UNIFESP Google Scholar
Advisor Silveira, Fernando de Almeida Silveira Autor UNIFESP Google Scholar
Institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Graduate program Interdisciplinar em Ciências da Saúde
Abstract Michel Foucault studies the body and soul of the modern subject, interpenetrating history, as key elements in the formation of large subjective processes and historical constitution of ourselves. Foucault tells as history events and milestones of this body and thus begins to track them through a detailed study, revealing the macro impact elements ? historical processes, appropriate for a complex series of strategic articulations of knowledge and power. This research studies conceptions of body and soul and in the course "The Freaks" at the Collège de France (1974-1975), researching the genealogy of the three figures that marked the record of abnormality notion in the period corresponding to section XVI to the XIX century in France: monster, the individual to be corrected and onanist. In this sense he attempted to make a mapping of body and soul categories in practical-discursive processes that formed the unusual notion. From these tools, we tried to reflect and discuss the impact of these discursive practices in contemporary times. It starts with the assumption that questions which contribution of body and soul elements on course for understanding the formation of the modern subject process. thus assumes a hypothetical prospect that such elements with its tangible-animistic properties have contributed to the production of abnormal individual. It was this research the soul body elements in its various manifestations for the constitution of the modern subject. In this sense it was registered the following elements: the subject, the examination, the monster, the onanist, the incorrigible and abnormal. The subjects of divisive practices with its various discursive demarcations that made possible the development of new technology of the soul and the reorganization of modern punitive mechanism. The examination stood out as a soul technology, key player in the production of these subjects and the establishment of a new mechanics of power to punish. In its different conformations constituted positive abnormal technology in the nineteenth century. The monster in its many forms and different embodiments that defied natural laws, divine and civilians. Yet at the same time offered new parameters to a punitive or mechanical control technology that took their monstrous representations as an investment object. The onanist target of tests of technologies with their regulation effects on the bodies of the witch, the possessed and the masturbatory child. The catalyst cross anti masturbation constitution of the nuclear family and the medical intervention on intra-family relations. The onanist body stood out as field clash power standards on sexuality. The incorrigible individual a universal figure who escapes family modulation. However awakens from the indocile body a set of techniques and docilely surrounding disciplinary institutions practices. Standing out even the incorrigible individual in connection with the technique of hospitalization. Finally the Freak ? Charles Jouy crossed by technical examination. The abnormal that from the permanent state of concept will integrate different embodiments stigmatized in the constitution of an abnormality. The abnormal that anchored in childhood will allow the generalization of psychiatry as a science of abnormal and technical public hygiene.

Michel Foucault estuda o corpo e alma do sujeito moderno, interpenetrados de história, enquanto elementos-chave na constituição de amplos processos de subjetivação e da constituição histórica de nós mesmos. Foucault releva como história os eventos e marcos deste corpo e assim, passa a rastreá-los, através de um estudo minucioso, revelando-os elementos de incidência de macroprocessos históricos, apropriados por uma complexa série de articulações estratégicas de saberes e de poderes. Esta pesquisa estuda as concepções de corpo e alma no curso ?Os Anormais? no Collège de France (1974-1975), pesquisando a genealogia das três figuras que marcaram o registro da noção de anormalidade no período correspondente ao século XVI ao século XIX na França: monstro, o indivíduo a ser corrigido e o onanista. Nesse sentido, buscou-se fazer uma cartografia das categorias de corpo e alma nos processos práticodiscursivos que constituíram a noção de anormal. A partir dessas ferramentas, procurou-se refletir e problematizar sobre o impacto dessas práticas discursivas na contemporaneidade. Parte-se da hipótese que interroga qual contribuição dos elementos de corpo e alma no curso para compreensão do processo de constituição do sujeito moderno. Assume assim uma perspectiva hipotética que tais elementos com suas propriedades corpóreo-anímicos tenham contribuído para produção do indivíduo anormal. Verificou-se nessa investigação os elementos de corpo alma em suas diferentes manifestações para constituição do sujeito moderno. Nesse sentido foram relevados os seguintes elementos: o sujeito, o exame, o monstro, o onanista, o incorrigível e o anormal. Os sujeitos das práticas divisoras com suas diferentes demarcações discursivas que possibilitaram o desenvolvimento de nova tecnologia da alma e a reorganização do mecanismo punitivo moderno. O exame destacou-se como uma tecnologia da alma, peça fundamental na produção desses sujeitos e na instauração de uma nova mecânica do poder de punir. Em suas diferentes conformações constituiu-se a tecnologia positiva do anormal no século XIX. O monstro, em suas múltiplas formas e diferentes corporificações que desafiaram as leis naturais, divinas e civis. Contudo, ao mesmo tempo ofereceu novos parâmetros para uma mecânica punitiva ou tecnologia de controle que tomou suas representações monstruosas como objeto de investimento. O onanista, alvo das tecnologias dos exames com seus efeitos de normatização sobre os corpos da bruxa, da possuída e da criança masturbadora. A cruzada antimasturbação catalizadora da constituição da família nuclear e da ingerência da medicina sobre as relações intrafamiliares. O corpo do onanista destacou-se como campo de embate do poder de normalização sobre a sexualidade. O indivíduo incorrigível enquanto figura universal que escapa modulação familiar. Contudo, desperta a partir do corpo indócil um conjunto de técnicas e práticas docilizadoras em torno de instituições disciplinadoras. Destacando-se ainda o indivíduo incorrigível em correlação com a técnica do internamento. E, por fim, o Anormal ? Charles Jouy, atravessado pela técnica do exame. O anormal que, a partir da noção de estado permanente, vai integrar diferentes corporificações estigmatizadas na constituição de uma anormalidade. O anormal que, ancorado na infância, possibilitará a generalização da psiquiatria como ciência do anormal e técnica da higiene pública.
Keywords body-soul
foucault
subject
abnormal
the examination
corpo-alma
foucault
sujeito
anormal
exame
Language Portuguese
Date 2016-05-23
Published in PORTELA, Jose Ricardo. Michel foucalt e a constituição do corpo e da alma do sujeito moderno no curso os anormais. 2016. 202 f. Dissertação (Mestrado) - Instituto de Saúde e Sociedade, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Santos, 2016.
Research area Interdisciplinar
Knowledge area Multidisciplinar
Publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extent 202 p.
Origin https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.jsf?popup=true&id_trabalho=3699642
Access rights Closed access
Type Dissertation
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/46336

Show full item record




File

File Size Format View

There are no files associated with this item.

This item appears in the following Collection(s)

Search


Browse

Statistics

My Account