Please use this identifier to cite or link to this item: http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/45814
Title: Manipuladores de alimentos atuantes em um abrigo institucional: discutindo o processo de educação permanente
Other Titles: Working food handlers in an institutional house: discussing the process of permanent education
Authors: Batista, Sylvia Helena Souza da Silva
Silva, Angela Lima da
http://lattes.cnpq.br/9873169386023810
http://lattes.cnpq.br/7402359906381953
Keywords: Nutrição do lactente
Alimentação infantil
Hábitos alimentares
Educação permanente. Abrigos
Infant nutrition
Child Nutrition
Food habits
Continuing education
Shelter
Issue Date: 2017
Publisher: Universidade Federal de São Paulo
Citation: SILVA, Angela Lima da. Manipuladores de alimentos atuantes em um abrigo institucional: discutindo o processo de educação permanente. 2017. 135f. Dissertação (Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde) – Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, 2017.
Abstract: Children's feeding practices include various factors such as food consumption, availability, cultural and media influences, but are mainly influenced by the knowledge, experiences and experiences of the mother and / or caregiver. In the case of children received by the State, these depend on the care of several people, who bring their cultural and educational influences throughout their lives into their professional practice, which often does not comply with appropriate feeding practices, and may have a negative impact on the Children's health. Based on this scenario, the aim of this study was to discuss the demands and expectations of professionals involved with infant feeding from an institutional sheltering service that serves children from 0 to 3 years old, in order for the education process. In this research, we chose a qualitative research, in the case study modality, having as food handlers participants and social protection agents (caregivers) acting in an institutional reception service. The data were produced through a semi-structured interview and participant observation, analyzed according to the content analysis technique, thematic type, allowing the construction of four thematic nucleo, which revealed the profile of the professionals involved in infant feeding, as well as the knowledge and the conceptions brought from their professional practice, the understanding of their role in the development and growth of the children, the facilities, difficulties and limitations of the professional performance, and finally, showed how the training process occurs for them to work with infant feeding. Thus, the food practices and care of the adopted children in the daily life of the professionals studied are guided by the knowledge and conceptions based on sociocultural influences and the personal experience lived with motherhood, going against the current nutritional and food recommendations. It can be observed that caregivers have difficulty distinguishing their professional role as their mother, unlike the food handlers, who perceive themselves as educators, acting actively in the formation of the eating habits. It was revealed the difficulty that the professionals have to see the potentialities of their work, as well as to identify that some activities are part of the caregiver assignment. The presence of menu was considered as potentiality and the absence of work material and extensive workload as a hindrance to professional performance. The training process of these professionals is based on the perspective of traditional teaching, with occasional actions outside the work environment, focused on the transmission of information and technical procedures, using traditional teaching methodologies. Thus, it was identified the need of the training process of these professionals to be constructed according to the particularities of the service, considering their knowledge and perceptions, enabling the critical reflection on professional practice and the autonomy of the subject in the construction of their knowledge and citizenship.
As práticas alimentares infantis compreendem diversos fatores como os alimentos consumidos, sua disponibilidade, influências culturais e midiáticas, mas principalmente são influenciadas pelo conhecimento, vivências e experiências da mãe e/ou cuidador. Tratando-se de crianças acolhidas pelo Estado, estas dependem dos cuidados de diversas pessoas, que trazem em sua prática profissional suas influências culturais e educacionais construídas ao longo da vida, que muitas vezes, não condiz com práticas alimentares adequadas, podendo repercutir negativamente sobre a saúde infantil. Diante deste cenário, o objetivo deste estudo foi discutir demandas e expectativas de profissionais envolvidos com a alimentação infantil de um serviço de acolhimento institucional (abrigo) que atende crianças de 0 a 3 anos, para processos de educação permanente. Nesta investigação, optou-se por uma pesquisa qualitativa, na modalidade estudo de caso, tendo como participantes manipuladoras de alimentos e agentes de proteção social (cuidadoras) atuantes em um serviço de acolhimento institucional. A produção de dados ocorreu por meio de entrevista semiestruturada e observação participante, analisados segundo a técnica de análise de conteúdo, do tipo temática, permitindo a construção de quatro núcleos temáticos, que revelou o perfil dos profissionais envolvidos na alimentação infantil, bem como os saberes e concepções trazidos em sua prática profissional, a compreensão do seu papel no desenvolvimento e crescimento das crianças, as facilidades, dificuldades e limitações da atuação profissional, e por fim, mostrou como ocorre o processo de formação para atuarem com alimentação infantil. Deste modo, as práticas alimentares e de cuidado às crianças adotadas no cotidiano dos profissionais pesquisados são guiadas pelos saberes e concepções pautados em influências socioculturais e na experiência pessoal vivida com a maternidade, caminhando, muitas vezes, na contramão das recomendações nutricionais e alimentares vigentes. Pode-se apreender que as cuidadoras tem dificuldade para diferenciar seu papel profissional com o de mãe, diferentemente das manipuladoras de alimentos, que se percebem como educadoras, atuando ativamente na formação dos hábitos alimentares. Revelou-se a dificuldade que os profissionais tem para enxergar as potencialidades de seu trabalho, assim como identificar que algumas atividades fazem parte da atribuição de cuidador. A presença de cardápio foi considerada como potencialidade e a ausência de material de trabalho e carga horária extensa como dificultadores da atuação profissional. O processo de formação destes profissionais é pautado na perspectiva do ensino tradicional, com ações pontuais fora do ambiente de trabalho, focado na transmissão de informações e procedimentos técnicos, utilizando metodologias de ensino tradicionais. Identificou-se a necessidade do processo formativo destes profissionais ser construído de acordo com as particularidades do serviço, considerando seus saberes e percepções, possibilitando a reflexão crítica sobre a prática profissional e a autonomia do sujeito na construção do seu conhecimento e cidadania.
URI: http://repositorio.unifesp.br/11600/45814
Other Identifiers: http://www2.unifesp.br/centros/cedess/mestrado/teses/tese_211_angela_lima.pdf
Appears in Collections:Dissertação de mestrado

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.