Exames subsidiários preditivos de crises epilépticas após acidente vascular cerebral isquêmico

Exames subsidiários preditivos de crises epilépticas após acidente vascular cerebral isquêmico

Título alternativo Epileptic seizures after ischemic stroke: are there any preditive laboratory test?
Autor Fukujima, Marcia Maiumi Autor UNIFESP Google Scholar
Cardeal, Jose Osmar Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo We studied subsidiary laboratorial tests such as serum glucose, red blood cell count, total cholesterol, HDL and LDL cholesterol and triglycerides, eletrocardiogram, eletroencephalogram (EEG), cerebrospinal fluid, and CT scan of 35 patients with cerebral infarction who developed epileptic seizures (group 1 or G1), and compared them to a group of 35 patients who had cerebral infarction but have not developed epileptic seizures (group 2 or G2). The EEG analysis showed significance in the comparison between the groups; focal lentification of the electrical cerebral activity was the most frequent abnormality found in G1. Extensive infarcts were also more frequent in G1. The association of abnormal EEG and extensive lesion on CT may be considered a preditive factor for occurrence of epileptic seizures after cerebral infarction. The analysis of the other tests showed no significance on the comparison between the groups.

Na tentativa de detectar fatores preditivos para ocorrência de crises epilépticas após acidente vascular cerebral isquêmico (AVCI), estudamos exames laboratoriais de glicemia, hematócrito, colesterol total e frações e triglicérides, além de eletrocardiograma, eletrencefalograma (EEG), líquido cefalorraquiano e tomografia computadorizada do crânio (TC) em 35 pacientes com AVCI que evoluíram com crises epilépticas após pelo menos 24 horas a partir da instalação do AVCI (grupo 1 ou G1), que foram comparados a 35 pacientes com AVCI que evoluíram sem crises epilépticas (grupo 2 ou G2). Encontramos significância na análise EEG na comparação dos grupos, sendo a alteração mais freqüente o alentecimento focai da atividade elétrica cerebral no G1. A presença de lesão extensa na TC também associou-se ao G1. A associação de EEG anormal e lesão extensa na TC pode ser considerado elemento preditivo para ocorrência de crises epilépticas após AVCI com coeficiente de concordância de 34%. Os demais exames estudados não mostraram significância na comparação entre os grupos G1 e G2.
Palavra-chave stroke
cerebral infarction
epilepsy
epileptic seizures
eletroencephalography
tomography
doença cerebrovascular
infarto cerebral
epilepsia
eletrencefalograma
tomografia
Idioma Português
Data de publicação 1997-01-01
Publicado em Arquivos de Neuro-Psiquiatria. Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO, v. 55, n. 1, p. 39-45, 1997.
ISSN 0004-282X (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Academia Brasileira de Neurologia - ABNEURO
Extensão 39-45
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-282X1997000100007
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:A1997WP86900007
SciELO S0004-282X1997000100007 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/458

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-282X1997000100007.pdf
Tamanho: 587.9KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta