Fatores perinatais associados ao óbito precoce em prematuros nascidos nos centros da Rede Brasileira de Pesquisas Neonatais

Fatores perinatais associados ao óbito precoce em prematuros nascidos nos centros da Rede Brasileira de Pesquisas Neonatais

Título alternativo Perinatal factors associated with early deaths of preterm infants born in Brazilian Network on Neonatal Research centers
Autor Almeida, Maria Fernanda Branco de Autor UNIFESP Google Scholar
Guinsburg, Ruth Autor UNIFESP Google Scholar
Martinez, Francisco Eulogio Google Scholar
Procianoy, Renato Soibelmann Google Scholar
Leone, Cléa Rodrigues Google Scholar
Marba, Sérgio Tadeu Martins Google Scholar
Rugolo, Lígia Maria Sousa Suppo Google Scholar
Luz, Jorge Hecker Google Scholar
Lopes, José Maria de Andrade Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade de São Paulo (USP)
Universidade de Federal do Rio Grande do Sul Faculdade de Medicina Departamento de Pediatria
Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP)
Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Resumo OBJECTIVE:To evaluate perinatal factors associated with early neonatal death in preterm infants with birth weights (BW) of 400-1,500 g. METHODS: A multicenter prospective cohort study of all infants with BW of 400-1,500 g and 23-33 weeks of gestational age (GA), without malformations, who were born alive at eight public university tertiary hospitals in Brazil between June of 2004 and May of 2005. Infants who died within their first 6 days of life were compared with those who did not regarding maternal and neonatal characteristics and morbidity during the first 72 hours of life. Variables associated with the early deaths were identified by stepwise logistic regression. RESULTS: A total of 579 live births met the inclusion criteria. Early deaths occurred in 92 (16%) cases, varying between centers from 5 to 31%, and these differences persisted after controlling for newborn illness severity and mortality risk score (SNAPPE-II). According to the multivariate analysis, the following factors were associated with early intrahospital neonatal deaths: gestational age of 23-27 weeks (odds ratio - OR = 5.0; 95%CI 2.7-9.4), absence of maternal hypertension (OR = 1.9; 95%CI 1.0-3.7), 5th minute Apgar 0-6 (OR = 2.8; 95%CI 1.4-5.4), presence of respiratory distress syndrome (OR = 3.1; 95%CI 1.4-6.6), and network center of birth. CONCLUSION: Important perinatal factors that are associated with early neonatal deaths in very low birth weight preterm infants can be modified by interventions such as improving fetal vitality at birth and reducing the incidence and severity of respiratory distress syndrome. The heterogeneity of early neonatal rates across the different centers studied indicates that best clinical practices should be identified and disseminated throughout the country.

OBJETIVO: Avaliar os fatores perinatais associados ao óbito neonatal precoce em prematuros com peso ao nascer entre 400 e 1.500 g. MÉTODOS: Coorte prospectiva e multicêntrica dos nascidos vivos com idade gestacional de 23 a 33 semanas e peso de 400-1.500 g, sem malformações em oito maternidades públicas terciárias universitárias entre junho de 2004 e maio de 2005. As características maternas e neonatais e a morbidade nas primeiras 72 horas de vida foram comparadas entre os prematuros que morreram ou sobreviveram até o sexto dia de vida. As variáveis perinatais associadas ao óbito neonatal precoce foram determinadas por regressão logística. RESULTADOS: No período, 579 recém-nascidos preencheram os critérios de inclusão. O óbito precoce ocorreu em 92 (16%) neonatos, variando entre as unidades de 5 a 31%, e tal diferença persistiu controlando-se por um escore de gravidade clínica (SNAPPE-II). A análise multivariada para o desfecho óbito neonatal intra-hospitalar precoce mostrou associação com: idade gestacional de 23-27 semanas (odds ratio - OR = 5,0; IC95% 2,7-9,4), ausência de hipertensão materna (OR = 1,9; IC95% 1,0-3,7), Apgar 0-6 no 5º minuto (OR = 2,8; IC95% 1,4-5,4), presença de síndrome do desconforto respiratório (OR = 3,1; IC95% 1,4-6,6) e centro em que o paciente nasceu. CONCLUSÃO: Importantes fatores associados ao óbito neonatal precoce em prematuros de muito baixo peso são passíveis de intervenção, como a melhora da vitalidade fetal ao nascer e a diminuição da incidência e gravidade da síndrome do desconforto respiratório. As diferenças de mortalidade encontradas entre os centros apontam para a necessidade de identificar as melhores práticas e adotá-las de maneira uniforme em nosso meio.
Palavra-chave Neonatal mortality
infant, newborn
infant, preterm
infant, very low birth weight
Mortalidade neonatal
recém-nascido
prematuro
recém-nascido de muito baixo peso
Idioma Português
Data de publicação 2008-08-01
Publicado em Jornal de Pediatria. Sociedade Brasileira de Pediatria, v. 84, n. 4, p. 300-307, 2008.
ISSN 0021-7557 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Pediatria
Extensão 300-307
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0021-75572008000400004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000259170300004
SciELO S0021-75572008000400004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4476

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0021-75572008000400004.pdf
Tamanho: 98.15KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta