Análise por tomografia computadorizada do teto etmoidal: importante área de risco em cirurgia endoscópica nasal

Análise por tomografia computadorizada do teto etmoidal: importante área de risco em cirurgia endoscópica nasal

Título alternativo Computed tomography assessment of the ethmoid roof: a relevant region at risk in endoscopic sinus surgery
Autor Souza, Soraia Ale Autor UNIFESP Google Scholar
Souza, Marcia Maria Ale de Autor UNIFESP Google Scholar
Idagawa, Marcos Autor UNIFESP Google Scholar
Wolosker, Ângela Maria Borri Autor UNIFESP Google Scholar
Ajzen, Sergio Aron Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To evaluate the olfactory fossae depth according to the Keros' classification and determine the incidence and degree of asymmetry in the height and contour of the ethmoid roof. MATERIALS AND METHODS: Retrospective analysis of 200 coronal computed tomography studies of paranasal sinuses performed in the period between August and December, 2006. RESULTS: According to the Keros' classification, olfactory fossae type II was most frequently found in 73.3% of cases followed by type I in 26.3% and type III in 0.5% of cases. Asymmetry in the ethmoid roof height was found in 12% of cases (24 computed tomography studies), and contour asymmetry was found in 48.5% (97 computed tomography studies), with flattening of the ethmoid roof on one of the sides. CONCLUSION: As regards the olfactory fossae depth, the Keros' type II was most frequently found. In most of cases, the ethmoid roof asymmetry was related to angulation of the lateral lamella of the cribriform plate.

OBJETIVO: Avaliar a profundidade das fossas olfatórias e a freqüência de assimetria na altura e na inclinação lateral do contorno do teto etmoidal. MATERIAIS E MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 200 tomografias computadorizadas dos seios da face no plano coronal realizadas no período de agosto a dezembro de 2006. As profundidades das fossas olfatórias foram classificadas segundo Keros. O teto etmoidal foi avaliado quanto à simetria entre os lados. RESULTADOS: O tipo de Keros mais encontrado foi o tipo II (73,3%), seguido do tipo I (26,3%) e do tipo III (0,5%). Em 12% (24 exames) havia assimetria entre os lados quanto à altura do teto etmoidal, e em 48,5% (97 exames) observou-se assimetria do contorno do teto, com inclinação lateral da lâmina crivosa de um dos lados. CONCLUSÃO: Em relação à profundidade das fossas olfatórias, o tipo II de Keros foi o mais freqüente. Verificou-se que a assimetria do teto do seio etmoidal, na maioria dos casos, estava relacionada com a inclinação lateral da lamela lateral da lâmina crivosa.
Palavra-chave Anatomy
Nose
Nasal cavity
Computed tomography
Fovea ethmoidalis
Olfactory fossa
Anatomia
Nariz
Cavidade nasal
Tomografia computadorizada
Fóvea etmoidal
Fossa olfatória
Idioma Português
Data de publicação 2008-06-01
Publicado em Radiologia Brasileira. Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem, v. 41, n. 3, p. 143-147, 2008.
ISSN 0100-3984 (Sherpa/Romeo)
Publicador Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem
Extensão 143-147
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0100-39842008000300003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0100-39842008000300003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4452

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0100-39842008000300003.pdf
Tamanho: 219.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta