Public perception of alcohol dependence

Public perception of alcohol dependence

Título alternativo A percepção popular sobre a dependência alcoólica
Autor Peluso, Érica de Toledo Piza Autor UNIFESP Google Scholar
Blay, Sergio Luis Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To describe how the population of the city of São Paulo identifies alcohol dependence, which causes they attribute to this disorder and what is reported regarding stigma perception, risk of violence and emotional reactions. METHOD: Cross sectional study involving a probabilistic sample of 500 individuals in São Paulo aged 18 to 65 years. A structured questionnaire was used and started with a vignette describing an individual with alcohol dependence according to the DSM-IV and ICD-10, followed by a questionnaire divided into various sections examining the causes, stigma, risk of violence and emotional reactions to the case presented in the vignette. RESULTS: Less than 20% of the subjects reported to believe this was a mental illness. The causes considered most relevant were psychosocial ones, followed by moral causes. Alcohol dependence was associated with a high risk of violence and stigma by the part of others. In contrast, reactions declared by the subjects about their probable attitude were mostly positive. CONCLUSION: Alcohol dependence is seen as a psychosocial and moral problem. Negative images predominate regarding individuals with this disorder.

OBJETIVO: Descrever como a população da cidade de São Paulo identifica a dependência alcoólica, quais causas atribui para explicar esse transtorno, e avaliar o que é percebido em relação ao estigma, risco de violência e as reações emocionais. MÉTODO: Foi realizado estudo de corte transversal com uma amostra probabilística de 500 indivíduos residentes em São Paulo, com idade entre 18 e 65 anos. Utilizou-se um questionário estruturado que se iniciava com a apresentação de uma vinheta descrevendo um indivíduo com dependência alcoólica (segundo o DSM-IV e a CID 10), seguido de um questionário dividido em várias seções examinando as causas, estigma, risco de violência e as reações emocionais ao caso apresentado na vinheta. RESULTADOS: Menos de 20% dos entrevistados disseram acreditar se tratar de uma doença mental. As causas consideradas mais relevantes foram de natureza psicossocial, seguidas por causas de natureza moral. A dependência alcoólica foi associada a elevado risco de violência e a estigma por parte de outros indivíduos. Em contraste, as reações declaradas pelos próprios entrevistados sobre as suas atitudes foram principalmente de natureza positiva. CONCLUSÕES: A dependência alcoólica é vista como um problema de natureza psicossocial e moral. Predominam imagens negativas em relação aos indivíduos com este transtorno.
Palavra-chave Attitude to health
Alcoholism
Public opinion
Public health
Alcohol-related disorders
Atitude frente à saúde
Alcoolismo
Opinião pública
Saúde pública
Transtornos relacionados ao uso de álcool
Idioma Inglês
Data de publicação 2008-03-01
Publicado em Revista Brasileira de Psiquiatria. Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP, v. 30, n. 1, p. 19-24, 2008.
ISSN 1516-4446 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Extensão 19-24
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462008000100004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000254195000004
SciELO S1516-44462008000100004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4295

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-44462008000100004.pdf
Tamanho: 1.194MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta