Adesão ao tratamento fonoaudiológico segundo a visão de ortodontistas e odontopediatras

Adesão ao tratamento fonoaudiológico segundo a visão de ortodontistas e odontopediatras

Título alternativo Adhesion to speech therapy according to the view of orthodontists and pediatric dentists
Autor Varandas, Cibele Pires De Moraes Google Scholar
Campos, Leniana Guerra Google Scholar
Motta, Andréa Rodrigues Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Associação de Proteção ao Excepcional
Prefeitura Municipal de Itabira
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade Federal de Minas Gerais Departamento de Fonoaudiologia
Resumo ABSTRACT PURPOSE: To verify the perception of orthodontists and pediatric dentists from Belo Horizonte and Itabira concerning adhesion to speech therapy. METHODS: A transversal study was carried out by using a questionnaire with 30 orthodontists and 30 pediatric dentists, half from each city. Statistical analysis used the Chi-square test. RESULTS: The entire group of professional considered speech therapy important and reported to frequently refer their patients to this practice. From the sample, 58.3% of the professionals reported that their patients sometimes need speech therapy; 46.7% informed that sometimes patients also look for a speech therapist, and 70.0% have a trustworthy speech therapist to whom they usually refer patients to. It was verified that 85% of the sample informed that they do not work with speech therapists in the same work environment, and 85% believe that sharing the same space would increase the adhesion to therapy. To 75%, the patients' referral is usually carried out after the evaluation, and 83.3% informed that patients do not look for treatment due to lack of time, although 86.7% affirmed that patients with good financial condition usually do adhere to speech therapy. The referrals are usually made for the same reason, except in cases regarding malocclusions. In the other questions, no differences were found between pediatric dentists and orthodontists or between cities. CONCLUSION: The professionals interviewed deal with a trustworthy speech therapist and judge that sharing the same work environment is important to increase patients' adhesion to treatment. The patients' referrals are usually made right after the odontological evaluation, and lack of time is the main reason why they do not look for a speech therapist, although patients with good financial situation easily adhere to treatment. Referrals are usually made because of the same reasons.

OBJETIVO: Verificar a percepção de ortodontistas e odontopediatras de Belo Horizonte e Itabira sobre a adesão à fonoterapia. MÉTODOS: Estudo transversal realizado, por meio de aplicação de questionário, com 30 ortodontistas e 30 odontopediatras, metade de cada cidade. Na análise estatística empregou-se o Teste Qui-quadrado. RESULTADOS: Todos dos profissionais consideram importante a atuação fonoaudiológica e encaminham com freqüência seus pacientes para tratamento, sendo que 58,3% relataram que os pacientes necessitam de fonoterapia algumas vezes; 46,7%, que os pacientes procuram o fonoaudiólogo também algumas vezes e 70,0%, informaram que possuem um fonoaudiólogo de confiança. Verificou-se que 85,0% informaram não haver fonoaudiólogos em seu local de trabalho e 85,0% acreditam que trabalhar no mesmo espaço aumentaria a adesão ao tratamento. Para 75,0%, o encaminhamento é realizado após a avaliação e 83,3% informaram que o paciente não procura atendimento alegando falta de tempo; entretanto, 86,7% afirmaram que pacientes com condições financeiras favoráveis costumam aderir à fonoterapia. Os encaminhamentos são realizados geralmente pelo mesmo motivo, exceto nos casos de más oclusões, não tendo sido observadas diferenças entre os profissionais ou entre as cidades em que estes atendem nas demais questões. CONCLUSÃO: A amostra, equilibradamente, trabalha com um fonoaudiólogo de confiança e julga importante para adesão ao tratamento atuar no mesmo espaço físico. As indicações são realizadas logo após a avaliação odontológica, sendo a falta de tempo o maior motivo apresentado para não buscarem o tratamento, apesar de pacientes com condições financeiras favoráveis aderirem facilmente à fonoterapia. Os encaminhamentos são realizados geralmente pelas mesmas razões.
Palavra-chave Speech therapy
Job market
Orthodontics
Pediatric dentistry
Questionnaires
Fonoterapia
Mercado de trabalho
Ortodontia
Odontopediatria
Questionários
Idioma Português
Data de publicação 2008-01-01
Publicado em Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, v. 13, n. 3, p. 233-239, 2008.
ISSN 1516-8034 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia
Extensão 233-239
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-80342008000300006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-80342008000300006 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4189

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-80342008000300006.pdf
Tamanho: 525.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta