Se essa rua fosse minha: sexualidade e apropriação do espaço na “rua gay” de São Paulo

Mostrar registro simples

dc.contributor.advisor Barbosa, Andréa Cláudia Miguel Marques [UNIFESP]
dc.contributor.author Puccinelli, Bruno [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2018-04-11T18:34:48Z
dc.date.available 2018-04-11T18:34:48Z
dc.date.issued 2013-02-22
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/11600/41749
dc.description.abstract Uma rua é feita de muitas coisas, inclusive de identidades. Uma rua não é só caminho para se chegar a outro lugar, espaço de acesso ao público ou coletivo ou lugar de interdição a quem quer evitar o perigo e a violência. Uma rua pode ser espaço para se estar e para se ser; ela em si pode estar e ser. A Rua Frei Caneca, localizada oficialmente no bairro da Consolação, imediações do Centro da cidade de São Paulo e próxima à Avenida Paulista, é o foco do presente trabalho, o qual traz à baila onde ela pode estar e o que ela pode ser. Pensar que a Frei Caneca pode se localizar em outro lugar que não o bairro ou a região oficialmente alocada pode parecer sem sentido. Mas, onde ela está afinal? E o que ela é além de uma rua? Paralela à Rua Augusta, esta conhecida outrora pela prostituição feminina, a Frei Caneca tem passado por diversas transformações imobiliárias que têm afetado sua constituição social e o entendimento de sua identidade. Sem querer sugerir uma proeminência do incremento em prédios e comércios na última década, aponto como isso tem ajudado a sedimentar a identidade da rua. Ao menos desde 2003 ela tem sido conhecida, e reconhecida, como a “rua gay” de São Paulo, após uma situação de conflito entre um casal gay e a administração do Shopping Frei Caneca, inaugurado em 2001. Em 2008 o projeto de oficializá-la como rua gay trouxe à tona uma série de atores cujos discursos buscam legitimidade ante a autorização de quem poderia falar sobre e pela rua. E há gays na rua? Mas há tantos assim? O que poderia significar ser gay na Frei Caneca? Esta dissertação é resultado da pesquisa que buscou entender o que diversos atores presentes na rua entendem por “rua gay”, por sua presença nela e como entendem a rua em si. Onde ela está, do que se aproxima e do que se afasta. Com foco privilegiado nos frequentadores que utilizam a rua como espaço de lazer noturno, ou caminho obrigatório antes de irem para o lugar de destino, a pesquisa busca demonstrar que uma rua e qualquer outro espaço citadino têm mobilidade: o concreto caminha, muda, se desfaz. pt
dc.description.abstract A street is made of many things, including identities. A street is not only way to get to another place, access to public space or public place or interdiction whoever avoid danger and violence. The Frei Caneca Street, officially located in the neighborhood of Consolação, surrounding the center of the city of São Paulo and close to Paulista Avenue, is the focus of this work, which brings up where she might be and what it can be. To think the Frei Caneca St. that may be located elsewhere than the district or region officially allocated may seem meaningless. But where is it anyway? And is it something beyond a street? Parallel to Augusta St., formerly known by this female prostitution, the Frei Caneca St. has undergone for several transformations that have affected your estate social constitution and understanding of their identity. Without wishing to suggest an increase in prominence of the buildings and businesses in the last decade, I point out how it has helped settle the identity of street. At least since 2003 it has been known and recognized as a "gay street" of São Paulo, after a conflict between a gay couple and the administration of Frei Caneca Mall, opened in 2001. In 2008 the project to becoming as a legal “gay street” as it brought to light a number of actors whose legitimacy discourses seek permission of who could talk about and the street. And are there gays in the street? But are there so much? What could it mean to be gay at Frei Caneca St.? This tesis is the result of research that sought to understand what various actors present on the street mean by "gay street" by this presence and understand how the street itself. Where it is, what it approaching and moving away. And focusing on the patrons who use the street as a space for nightly entertainment, or obligatory way before going to the place of destination, the research seeks to demonstrate that a street and any other space have mobility: the concrete walks, changes, dissolves. en
dc.description.sponsorship Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) pt
dc.language.iso por pt
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.rights Acesso aberto pt
dc.subject Espaço urbano pt
dc.subject Sexualidade pt
dc.subject Centralidades pt
dc.subject Relações de gênero pt
dc.subject Urban space en
dc.subject Sexuality en
dc.subject Centralities en
dc.subject Gender issues en
dc.title Se essa rua fosse minha: sexualidade e apropriação do espaço na “rua gay” de São Paulo pt
dc.title.alternative If this street was mine: sexuality and appropriation of space on São Paulo's “gay street” en
dc.type Dissertação de mestrado pt
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
unifesp.campus Guarulhos, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) pt
unifesp.graduateProgram Ciências Sociais - Guarulhos pt
unifesp.researchArea Corpo, sexualidade e práticas simbólicas pt



Arquivos deste item

Nome: PuccinelliBruno ... ao_SeEssaRuaFosseMinha.pdf
Tamanho: 77.58Mb
Formato: PDF
Descrição: Bruno Puccinelli
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples

Buscar DSpace


Navegar

Minha conta