Assistência à mulher em processo de abortamento provocado: discurso de profissionais de enfermagem

Assistência à mulher em processo de abortamento provocado: discurso de profissionais de enfermagem

Título alternativo Healthcare for women in process of induced abortion: statements of nursing professionals
Asistencia a la mujer en proceso de aborto provocado: discurso de profesionales de enfermería
Autor Gesteira, Solange Maria dos Anjos Google Scholar
Diniz, Normélia Maria Freire Google Scholar
Oliveira, Eleonora Menicucci de Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal da Bahia Escola de Enfermagem
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To analyze the statements of nursing professionals regarding healthcare provided to women in process of induced abortion. METHODS: Case study with qualitative approach, performed at a public maternity hospital in Salvador BA; data were obtained with the focus group technique, using content analysis. RESULTS: The nursing team professionals perceive abortion as a crime, a sin, and healthcare as discriminatory. The woman's right to speech is denied, with silence being observed along the abortion process. CONCLUSION: The absence of dialogue at the healthcare services makes the possibility of humanized care delivery more distant, turning the implantation of healthcare humanization policies for women in the process of induced abortion a challenge.

OBJETIVO: Analizar el discurso de profesionales de enfermería con relación a la asistencia prestada a las mujeres en proceso de aborto provocado. MÉTODOS: Estudio de caso, con abordaje cualitativo; realizado en una maternidad pública de Salvador - BA; los datos fueron obtenidos por medio de la técnica del Grupo Focal utilizando la técnica del análisis de contenido. RESULTADOS: Las profesionales del equipo de enfermería perciben el aborto como crimen, pecado, y la asistencia, como discriminante. A la mujer le es negado el derecho a hablar, por lo que el silencio es observado a lo largo del proceso de aborto. CONCLUSIÓN: La ausencia de diálogo en los servicios de atención vuelve más distante la posibilidad de asistencia humanizada, haciendo que la implantación de la política de humanización de la asistencia a las mujeres en proceso de aborto provocado sea un reto.

OBJETIVO: Analisar o discurso de profissionais de enfermagem com relação à assistência prestada às mulheres em processo de abortamento provocado. MÉTODOS: Estudo de caso, com abordagem qualitativa; realizado em uma maternidadepública de Salvador - BA; os dados foram obtidos por meio da técnica do Grupo Focal utilizando a técnica da análise de conteúdo. RESULTADOS: As profissionais da equipe de enfermagem percebem o abortamento como crime, pecado, e a assistência, como discriminatória. À mulher é negado o direito à fala, de onde o silêncio observado ao longo do processo do aborto. CONCLUSÃO: A ausência de diálogo nos serviços de atendimento torna mais distante a possibilidade de assistência humanizada, fazendo da implantação da política de humanização da assistência às mulheres em processo de aborto provocado, um desafio.
Palavra-chave Abortion
Abortion, criminal
Nurses care
Women's health
Aborto
Aborto criminoso
Cuidados de enfermagem
Saúde da mulher
Idioma Português
Data de publicação 2008-01-01
Publicado em Acta Paulista de Enfermagem. Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), v. 21, n. 3, p. 449-453, 2008.
ISSN 0103-2100 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Escola Paulista de Enfermagem, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 449-453
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002008000300011
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000269669700011
SciELO S0103-21002008000300011 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4130

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0103-21002008000300011.pdf
Tamanho: 352.7KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta