Alimentação popular em São Paulo (1920 a 1950): políticas públicas, discursos técnicos e práticas profissionais

Mostrar registro simples

dc.contributor.author Rodrigues, Jaime [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2015-06-14T13:37:16Z
dc.date.available 2015-06-14T13:37:16Z
dc.date.issued 2007-12-01
dc.identifier http://dx.doi.org/10.1590/S0101-47142007000200019
dc.identifier.citation Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material. Museu Paulista, Universidade de São Paulo, v. 15, n. 2, p. 221-255, 2007.
dc.identifier.issn 0101-4714
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4069
dc.description.abstract This article discusses how the concept of lower-class eating habits came about and developed in the intellectual circles of São Paulo during the first half of the 20th century. It starts by reconstructing the elements of the debate around the income and ignorance of the underprivileged as the main reasons behind their bad eating habits. Then, it looks at the focal points for interventions and public policies proposed by the government to deal with the problem thus identified, namely: training methods to produce sanitation counselors capable of offering dietary guidance as well; popular educational campaigns and new learning sites in addition to schools (e.g. healthcare centers and households); lunch and other means of offering food at schools; and diagnostic studies about food intake and eating habits among laborers. Because they were translated into technical and scientific language, the proposals and policies implemented in São Paulo left traces in a variety of supporting documents and media (photographs, primers, posters, inquiry notebooks, and academic literature). en
dc.description.abstract O artigo discute a construção da idéia de alimentação popular nos meios intelectuais em São Paulo, na primeira metade do século XX. Para isso, reconstitui, como motivos da má alimentação, elementos do debate em torno da renda e da ignorância dos mais pobres. Identificado o problema, as propostas de intervenção e as políticas públicas concentraram-se em alguns setores, abordados neste trabalho: métodos para a formação de educadores sanitários aptos a atuar também na educação alimentar; campanhas de instrução popular e criação de novos lugares de aprendizado (além das escolas, os centros de saúde e os lares); merenda escolar e outras alternativas de alimentação nas escolas; e diagnósticos referentes ao conteúdo e à forma da alimentação dos operários. Traduzidas em discurso técnico-científicos, as propostas e políticas implementadas na cidade deixaram indícios em documentação de suporte e tipologia variados (fotografias, cartilhas, cartazes, cadernetas de inquéritos e textos acadêmicos). pt
dc.format.extent 221-255
dc.language.iso por
dc.publisher Museu Paulista, Universidade de São Paulo
dc.relation.ispartof Anais do Museu Paulista: História e Cultura Material
dc.rights Acesso aberto
dc.subject Eating habits en
dc.subject Nutrition en
dc.subject Social History en
dc.subject Public Health en
dc.subject Alimentação pt
dc.subject História social pt
dc.subject Nutrição pt
dc.subject Saúde pública pt
dc.title Alimentação popular em São Paulo (1920 a 1950): políticas públicas, discursos técnicos e práticas profissionais pt
dc.type Artigo
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.description.affiliation Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
dc.description.affiliationUnifesp UNIFESP
dc.identifier.file S0101-47142007000200019.pdf
dc.identifier.scielo S0101-47142007000200019
dc.identifier.doi 10.1590/S0101-47142007000200019
dc.description.source SciELO



Arquivos deste item

Nome: S0101-47142007000200019.pdf
Tamanho: 15.43Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)

Mostrar registro simples