Are cutaneous hypersensitivity tests to inhalant allergens a severity marker for vernal keratoconjunctivitis?

Are cutaneous hypersensitivity tests to inhalant allergens a severity marker for vernal keratoconjunctivitis?

Título alternativo Os testes de hipersensibilidade cutânea contra alérgenos inalantes são marcadores de gravidade da ceratoconjuntivite vernal?
Autor Oliveira, Lauro Augusto de Autor UNIFESP Google Scholar
Mallozi, Marcia Carvalho Autor UNIFESP Google Scholar
Solé, Dirceu Autor UNIFESP Google Scholar
Freitas, Denise de Autor UNIFESP Google Scholar
Sousa, Luciene Barbosa De Autor UNIFESP Google Scholar
Mannis, Mark J. Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
University of California Department of Ophthalmology & Vision Science
Resumo PURPOSE: The purpose of this study was to analyze the cutaneous sensitivity to a variety of allergens in patients with vernal keratoconjunctivitis (VKC) and to demonstrate the relation between skin response and clinical aspects of the disease. METHODS: Twenty patients with vernal keratoconjunctivitis were randomly chosen from the External Disease and Cornea Sector. They were clinically evaluated, and a score ranging from 0 to 20 was applied based on signs and symptoms on ophthalmic examination. All subjects underwent a skin prick test against standardized allergens, such as house dust mites D. pteronyssinus, D. farinae, and Blomia tropicalis, as well as allergens from cat, dog, fungi and feather. RESULTS: Seventy-five per cent of patients were positive for at least one of the allergens tested. House dust mites were responsible for the majority of the cases (75%). There was a poor correlation between the clinical score and sensitivity to allergens (r= - 0.119 for fungi; r= - 0.174 for dog; r= - 0.243 for house dust mites; r= - 0.090 for feather). A significant correlation was found only for cat allergen extract (r = - 0.510; p=0.024). CONCLUSIONS: Our study demonstrated poor correlation between cutaneous hypersensitivity tests and clinical findings in patients with vernal keratoconjuntivitis. We concluded that skin response to inhalant allergens is not a useful test to identify clinical severity and chronicity of inflammatory process in this disease.

OBJETIVO: Avaliar o papel da sensibilização cutânea a diferentes aeroalérgenos em pacientes com ceratoconjuntivite vernal e a correlação entre esta e os aspectos clínicos da doença. MÉTODOS: Vinte pacientes do setor de doenças externas e córnea foram aleatoriamente convidados para participar deste estudo. Os pacientes foram avaliados e a eles foi atribuído um escore clínico variando de 0 a 20 de acordo com sinais e sintomas presentes no exame oftalmológico. Todos os pacientes foram submetidos a testes cutâneos de hipersensibilidade imediata contra aeroalérgenos padronizados como os ácaros domiciliares D. pteronyssinus, D. farinae e Blomia tropicalis, assim como também a alérgenos de epitélio de gato, epitélio de cão, mistura de fungos e mistura de penas. RESULTADOS: Setenta e cinco por cento dos pacientes tiveram teste de hipersensibilidade imediata positivo contra pelo menos um dos antígenos testados. Os ácaros domiciliares foram responsáveis pela maioria destes casos (75%). Houve uma pobre correlação entre o escore clínico e a hipersensibilidade cutânea aos alérgenos (r= -0,119 para fungos; r= -0,174 para epitélio de cão; r= -0,243 para ácaros domiciliares; r= -0,090 para mistura de penas). Houve correlação significativa apenas contra epitélio de gatos (r= -0,510; p=0,024). CONCLUSÃO: O estudo demonstrou uma pobre correlação entre os testes cutâneos de hipersensibilidade imediata e os achados clínicos nos pacientes com ceratoconjuntivite vernal. Os testes cutâneos de hipersensibilidade imediata contra aeroalérgenos não foi parâmetro eficaz na identificação dos casos de maior gravidade e cronicidade de ceratoconjuntivite vernal.
Palavra-chave Hypersensitivity
Conjunctivitis, allergic
Conjunctiva
Skin tests
Hipersensibilidade
Conjuntivite alérgica
Conjuntiva
Testes cutâneos
Idioma Inglês
Data de publicação 2007-12-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 70, n. 6, p. 991-995, 2007.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 991-995
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492007000600020
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27492007000600020 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/4057

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492007000600020.pdf
Tamanho: 462.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta