Sentinel lymph node biopsy in cutaneous melanoma

Sentinel lymph node biopsy in cutaneous melanoma

Título alternativo Biópsia do linfonodo sentinela no melanoma cutâneo
Autor Oliveira, Andrea Fernandes de Autor UNIFESP Google Scholar
Santos, Ivan Dunshee de Abranches Oliveira Autor UNIFESP Google Scholar
Tucunduva, Thaís Cardoso de Mello Autor UNIFESP Google Scholar
Sanches, Luciana Garbelini Autor UNIFESP Google Scholar
Oliveira Filho, Renato Santos de Autor UNIFESP Google Scholar
Enokihara, Mílvia Maria Simões e Silva Autor UNIFESP Google Scholar
Ferreira, Lydia Masako Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To assess the importance of sentinel lymph node biopsy in patients with cutaneous melanoma. METHODS: Ninety consecutive non-randomized patients with stages I and II melanoma who underwent sentinel lymph node biopsy were followed up prospectively for six years. RESULTS: Patients were followed up for a mean period of 30 months. Their mean age was 53.3 years, ranging from 12 to 83 years. Thirty patients were male (37.5%) and 50, female (62.5%). Sentinel lymph node was positive in 32.5% and negative in 67.5%. It was found that the thicker the tumor, the greater the incidence of positive sentinel lymph nodes. In the group of patients with positive sentinel lymph nodes, recurrence occurred in 43.5%, but in those with negative sentinel lymph nodes, in only 7%, what points out to the association of tumor recurrence and positive sentinel lymph nodes. There were no major postoperative complications. CONCLUSION: Sentinel lymph node biopsy was demonstrated to be a safe method for selecting patients who need therapeutic lymphadenectomy.

OBJETIVO: Avaliar a importância da biópsia do linfonodo sentinela em pacientes com melanoma cutâneo MÉTODOS: Noventa pacientes com estadiamento I e II foram acompanhados prospectivamente no período de seis anos, de forma consecutiva e não randomizada e submetidos a biópsia do linfonodo sentinela. RESULTADOS: Os pacientes foram acompanhados durante tempo médio de 30 meses. A média de idade dos pacientes foi de 53,3 anos, variando de 12 a 83. Quanto ao sexo, foram avaliados 30 pacientes do sexo masculino (37,5%) e 50 do sexo feminino (62,5%).32,5% dos pacientes apresentaram linfonodo sentinela positivo e 67,5% linfonodo sentinela negativos. Comparando-se a espessura tumoral com a positividade do LS, verificou-se que quanto maior a espessura, maior a incidência de positividade do linfonodo sentinela. No grupo de pacientes com LS positivo a recorrência surgiu em 43,5% dos casos, mostrando a relação entre a recorrência e a positividade do LS. Não houve complicações no pós-operatório. CONCLUSÃO: A biópsia do linfonodo sentinela mostrou-se um método seguro para selecionar os pacientes que necessitam de linfadenectomia terapêutica.
Palavra-chave Melanoma
Lymph Nodes
Lymphatic Vessels
Diagnosis
Melanoma
Linfonodos
Vasos Linfáticos
Diagnóstico
Idioma Inglês
Data de publicação 2007-10-01
Publicado em Acta Cirurgica Brasileira. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia, v. 22, n. 5, p. 332-336, 2007.
ISSN 0102-8650 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia
Extensão 332-336
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502007000500002
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000258573400003
SciELO S0102-86502007000500002 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3964

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0102-86502007000500002.pdf
Tamanho: 529.5KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta