Referência, necessidade e ciência: um estudo do essencialismo científico de Saul Kripke

Show simple item record

dc.contributor.advisor Smith, Plínio Junqueira [UNIFESP]
dc.contributor.author Silva, Daniel Soares da [UNIFESP]
dc.date.accessioned 2016-06-29T11:13:30Z
dc.date.available 2016-06-29T11:13:30Z
dc.date.issued 2012-11-09
dc.identifier.citation SILVA, Daniel Soares da. Referência, necessidade e ciência: um estudo do essencialismo científico de Saul Kripke. 2012. 103 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2012.
dc.identifier.uri http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/39341
dc.description.abstract Em janeiro de 1970, Saul Kripke proferiu três conferências na Universidade Princeton. A transcrição dessas conferências foi publicada em 1980 como Naming and Necessity. Nessa obra, Kripke critica o descritivismo, explicação então mais aceita para a função referencial dos nomes próprios, e apresenta a sua própria visão sobre o assunto. Em Naming and Necessity, Kripke também sustenta uma concepção que ficou conhecida como “essencialismo científico”, a qual afirma a existência de verdades necessárias a posteriori. Esta dissertação procura investigar de que maneira se relacionam as idéias sobre a referência e sobre o essencialismo científico no interior do pensamento kripkeano. Assim, no primeiro capítulo, procura-se apresentar as principais características do descritivismo. Em linhas gerais, a concepção descritivista, cujas origens remontam a certas idéias de Frege e Russell, estabelece que a explicação para a referência de um nome próprio passa pelas descrições associadas ao termo, as quais seriam satisfeitas univocamente pelo objeto designado. O segundo capítulo se ocupa dos argumentos kripkeanos contrários ao descritivismo. Esses argumentos são de três tipos: modal, epistêmico e semântico. A adequada compreensão desses argumentos, bem como do modelo explicativo alternativo proposto por Kripke, exige certos conceitos fundamentais, como o de mundos possíveis, a distinção entre modalidades epistêmicas e modalidades metafísicas, e o de designação rígida. Por isso, esse capítulo também busca expor tais noções. Finalmente, o terceiro capítulo é dedicado ao essencialismo científico desenvolvido por Kripke. Grosso modo, uma posição essencialista sustenta que os objetos possuem propriedades essenciais; isto é, propriedades que são exemplificadas em todos os mundos possíveis nos quais os objetos existem. O essencialismo científico afirma que cabe à ciência revelar essas propriedades essenciais, as quais seriam verdades necessárias a posteriori. O capítulo 3 examina o essencialismo quanto à origem biológica e aquele sobre a origem e composição material dos artefatos, além de outros aspectos relacionados ao tema discutidos por Kripke. pt
dc.description.abstract In January 1970, Saul Kripke delivered three lectures at Princeton University. A transcript of these lectures was published in 1980 as Naming and Necessity. In this work, Kripke criticizes descriptivism, then most accepted account for referential function of proper names, and presents his own view on the matter. In Naming and Necessity, Kripke also advocates a view that became known as “scientific essentialism”, which states that there are necessary a posteriori truths. This dissertation aims at understanding the relationship between Kripke’s view about reference and the scientific essentialism. Thus, in the first chapter, we expose the main features of descriptivism. In general, the descriptivist conception, whose origins go back to certain ideais of Frege and Russell, states that the explanation for the reference of a proper name is based on the descriptions associated with the name, which should be fulfilled only by designated object. The second chapter is concerned with Kripkean arguments against descriptivism. These arguments are of three types: modal, semantic and epistemic. A proper understanding of the arguments, as well as the alternative model proposed by Kripke, requires certain fundamental concepts, such as possible worlds, the distinction between epistemic modalities and metaphysical modalities, and the rigid designation. Therefore, the second chapter also intends to examine such notions. Finally, the third chapter turns to the scientific essentialism developed by Kripke. Roughly, an essentialist viewpoint holds that objects have essential properties. That is, properties that are exemplified in all possible worlds in which the objects exist. The scientific essentialism maintains that it is up to science to reveal the essential properties, which would be necessary a posteriori truths. The chapter 3 analyses the essentialism about biological origins and essentialism about the origin and composition of material artifacts, and other aspects related to the topic discussed by Kripke en
dc.format.extent 103 f.
dc.language.iso por pt
dc.publisher Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.rights Acesso aberto pt
dc.subject Kripke pt
dc.subject Descritivismo pt
dc.subject Referência pt
dc.subject Essencialismo pt
dc.subject Necessidade pt
dc.subject A posteriori pt
dc.subject Kripke en
dc.subject Descriptivism en
dc.subject Reference en
dc.subject Essentialism en
dc.subject Necessity en
dc.subject A posteriori en
dc.title Referência, necessidade e ciência: um estudo do essencialismo científico de Saul Kripke pt
dc.type Dissertação de mestrado pt
dc.contributor.institution Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) pt
dc.identifier.file Publico-39341.pdf
dc.description.source TEDE
unifesp.campus Guarulhos, Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (EFLCH) pt
unifesp.graduateProgram Filosofia - Guarulhos pt
unifesp.knowledgeArea Filosofia pt
unifesp.researchArea Metafísica e Linguagem pt



File

Name: Publico-39341.pdf
Size: 564.6Kb
Format: PDF
Description:
Open file

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search


Browse

Statistics

My Account