A medida do êxtase: entre a aniquilação e a patologia onírica da vida em O Nascimento da Tragédia

A medida do êxtase: entre a aniquilação e a patologia onírica da vida em O Nascimento da Tragédia

Título alternativo The measure of ecstasy: between annihilation and pathology dream of life in The Birth of Tragedy
Autor Sabatini Ribeiro, Marco Antonio Autor UNIFESP Google Scholar
Orientador Burnett Junior, Henry Martin Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Pós-graduação Filosofia - Guarulhos
Resumo Para Nietzsche, os gregos pré-homéricos estariam próximo da aniquilação de suas vidas devido à efetivação desmesurada de seus impulsos e os gregos apolíneos recairiam em um excesso de medida contraditória aos próprios preceitos délficos. Enquanto os impulsos dionisíacos permitiriam a afirmação plena dos desejos de cada pessoa impossibilitando assim a convivência em sociedade, os impulsos apolíneos criariam as representações sociais e estatais mas inibiriam a consumação imediata de prazer e sofrimento do grego antigo. A problemática se evidencia em como seria possível afirmar plenamente a vida sem que ela se inibisse ou se aniquilasse. A partir das análises de Nietzsche sobre a Antiguidade Grega, a hipótese que permeia este trabalho é a de que a tragédia resulta dessa problemática como uma sutil medida de êxtase advinda do período pré-homérico e do período homérico que, em O Nascimento da Tragédia, são elucidados a partir das interpretações nietzschianas da tradição mítica de Apolo e Dioniso.

For Nietzsche, pre-Homeric Greeks were near annihilation of their lives due to the realization of their unmeasured impulses and the Apollonian Greeks would fall into excess measure contradictory to their own Delphic precepts. While the Dionysian impulses allow the full expression of the desires of each person thereby precluding living together in society, the Apollonian impulses would create social representations and state but inhibited the immediate consummation of pleasure and suffering of ancient Greek. The problem is evidenced in how it would be possible to affirm the full life without it would inhibit or annihilate. From the analysis of Nietzsche about Greek antiquity, the hypothesis that permeates this work is that the tragedy result of this problematic as a subtle measure of ecstasy arising from pre-Homeric and Homeric period that are elucidated from interpretations of Nietzschean the mythic tradition of Apollo and Dionysus in the Birth of Tragedy.
Assunto Vida
Mitologia
Tragédia
Life
Mythology
Tragedy
Idioma Português
Data 2013-06-26
Publicado em SABATINI RIBEIRO, Marco Antonio. A medida do êxtase: entre a aniquilação e a patologia onírica da vida em O Nascimento da Tragédia. 2013. 109 f. Dissertação (Mestrado em Filosofia) – Escola de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), Guarulhos, 2013.
Área de concentração Filosofia
Editor Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Extensão 109 f.
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Dissertação de mestrado
URI http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/39327

Mostrar registro completo




Arquivos deste item

Nome: Publico-39327.pdf
Tamanho: 1.034Mb
Formato: PDF
Descrição:
Visualizar/Abrir

Este item aparece na(s) seguinte(s) coleção(s)