Análise comparativa entre a refração clínica subjetiva e a automatizada obtida por sensor de frentes de onda

Análise comparativa entre a refração clínica subjetiva e a automatizada obtida por sensor de frentes de onda

Título alternativo Comparative analyses between clinical refraction and automatic refraction obtained through a wave front sensor
Autor Freitas, Wilson de Autor UNIFESP Google Scholar
Melo Júnior, Luiz Alberto Soares Autor UNIFESP Google Scholar
Schor, Paulo Autor UNIFESP Google Scholar
Campos, Mauro Silveira de Queiroz Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo PURPOSE: To evaluate and compare refractive errors obtained through clinical subjective and automatized wavefront refraction analyses in eyes under cycloplegia. METHODS: Prospective study of 147 patients, 279 eyes, undergoing preoperative examination for refractive surgery. Clinical subjective refraction was performed first followed by wavefront refraction. Results on astigmatism obtained from refraction were decomposed in power vectors for statistical analyses. Data were first analyzed in one eye and then in both eyes. RESULTS: The mean difference between clinical subjective refraction and automatized wavefront refraction on cycloplegic eyes was of -0.19 SD combined with -0.06 CD in the 15º axis for data in one eye, and -0.17 SD combined with -0.05 CD in the 3º axis for data in both eyes of the same patient. CONCLUSION: In the present study clinical subjective refraction and automatized wavefront refraction under cycloplegia had similar numerical values.

OBJETIVO: Avaliar e comparar os resultados obtidos da refração estática clínica com a obtida por sensor de frentes de onda. MÉTODOS: Estudo prospectivo, não seqüencial, de 279 olhos de 147 pacientes. Todos os pacientes foram examinados sob cicloplegia. Primeiro realizamos a refração clínica e a seguir a automatizada por sensor de frentes de onda. Os dados refracionais obtidos foram decompostos para análise vetorial. Foram analisados separadamente os dados de um olho por paciente e dos dois olhos. RESULTADOS: A diferença entre a refração clínica e a automatizada foi de -0,19 DE combinada com -0,06 DC no eixo de 15º para os dados de um olho por paciente e -0,17 DE combinada com -0,05 DC no eixo de 3º para todos os olhos da amostra. CONCLUSÃO: Os dados da refração clínica são comparáveis com os da refração obtida por um sensor de frentes de onda.
Palavra-chave Refractive errors
Refraction, ocular
Optometry
Diagnostic techniques, ophthalmological
Comparative study
Erros de refração
Refração ocular
Optometria
Técnicas de diagnóstico oftalmológico
Estudo comparativo
Idioma Português
Data de publicação 2007-08-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Oftalmologia. Conselho Brasileiro de Oftalmologia, v. 70, n. 4, p. 677-682, 2007.
ISSN 0004-2749 (Sherpa/Romeo)
Publicador Conselho Brasileiro de Oftalmologia
Extensão 677-682
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27492007000400019
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27492007000400019 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3826

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27492007000400019.pdf
Tamanho: 439.1KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta