Aids em área rural de Minas Gerais: abordagem cultural

Aids em área rural de Minas Gerais: abordagem cultural

Título alternativo AIDS in rural Minas Gerais state (Southeastern Brazil): a cultural approach
Autor Guimarães, Patricia Neves Autor UNIFESP Google Scholar
Martin, Denise Autor UNIFESP Google Scholar
Quirino, José Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Estadual de Montes Claros Departamento de Saúde Mental e Saúde Coletiva
Universidade Católica de Santos Programa de Mestrado em Saúde Coletiva
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo OBJECTIVE: To describe behaviors facilitating HIV/AIDS exposure in rural population. METHODS: A qualitative study was conducted comprising 52 patients who attended a STD/AIDS outpatient clinic in 2002 and 2003. In-depth open and semi-structured interviews were carried out with subjects (30 males, 22 females) at the clinic or at home in rural municipalities in the northern area of Minas Gerais state, Southeastern Brazil. Interviews were transcribed and analyzed considering categories such as disease, work, social life, prior HIV/AIDS knowledge, and lifestyle. Content analysis was used for result interpretation. RESULTS: Interviewees perceived AIDS as a big city disease, an outsider's disease, dissociated from local culture. They were all infected through either heterosexual or homosexual sex. Rural-urban migration is a major factor for HIV infection in the area as people migrate to search for jobs. CONCLUSIONS: Popular beliefs about HIV/AIDS disease contributes to HIV vulnerability of this population. There is a need to apprehend their cultural beliefs to better understand their ways of thinking and to focus on these local beliefs when disseminating HIV/AIDS information.

OBJETIVO: Descrever comportamentos facilitadores à exposição ao HIV/Aids em população rural. MÉTODOS: Pesquisa qualitativa realizada com 52 pacientes atendidos em ambulatório de DST/Aids, em 2002-2003. Foram feitas entrevistas abertas e semi-estruturadas em profundidade com os participantes (30 homens e 22 mulheres), conduzidas no ambulatório ou em suas residências, em municípios rurais da região norte de Minas Gerais. As entrevistas foram transcritas, analisadas em categorias: concepções da doença, trabalho, sociabilidade, informações prévias sobre a doença, modo de vida. A interpretação dos resultados baseou-se na análise de conteúdo. RESULTADOS: Na percepção dos entrevistados, a Aids era doença de cidade grande e de forasteiro, desvinculada da cultura local. Todos os entrevistados se infectaram através de atividades heterossexuais ou homossexuais. A migração rural-urbana é aspecto relevante da infecção do HIV na região devido ao deslocamento em busca de trabalho. CONCLUSÕES: As noções populares de doença contribuem para vulnerabilidade à infecção pelo HIV. É necessário apreender noções culturais locais para melhor entender as categorias de pensamento dessa população, enfocando essas noções ao divulgar informações sobre a doença.
Palavra-chave Acquired Immunodeficiency Syndrome
Rural population
Health knowledge
Qualitative research
Síndrome de imunodeficiência adquirida
População rural
Conhecimentos
Pesquisa qualitativa
Idioma Português
Data de publicação 2007-06-01
Publicado em Revista de Saúde Pública. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, v. 41, n. 3, p. 412-418, 2007.
ISSN 0034-8910 (Sherpa/Romeo)
Publicador Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo
Extensão 412-418
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006005000019
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0034-89102007000300013 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3733

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0034-89102007000300013.pdf
Tamanho: 178.2KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta