Sclera-Specific and non-sclera-specific autoantibodies in the serum of patients with non-infectious anterior scleritis

Sclera-Specific and non-sclera-specific autoantibodies in the serum of patients with non-infectious anterior scleritis

Título alternativo Auto-anticorpos contra antígenos específicos e não-específicos da esclera no soro de pacientes com esclerite anterior não-infecciosa
Autor Aragaki, Wagner Koji Autor UNIFESP Google Scholar
Sousa, Luciene Barbosa de Autor UNIFESP Google Scholar
Trevisani, Virgínia Fernandes Moça Autor UNIFESP Google Scholar
Fuzzi, Hellen Autor UNIFESP Google Scholar
Andrade, Luiz Eduardo Coelho Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Universidade Federal do Pará
Resumo OBJECTIVES: to study the frequency and specificity of sclera-specific and non-sclera-specific autoantibodies in the sera of patients with anterior non-infectious scleritis. METHODS: prospective study involving 25 patients examined at the sector of Cornea and External Disease of the Department of Ophthalmology and Immuno-Rheumatology Laboratory at Federal University of São Paulo/Paulista Medicine School, during one year. The diagnosis of scleritis was according to Watson and Hayreh's (1976) classification criteria. The exclusion criterion was infectious scleritis. All the patients underwent a full clinical and ophthalmologic evaluation, including serological tests for syphilis and tuberculosis investigation. The following autoantibodies were tested: rheumatoid factor, antinuclear antibodies, anticardiolipin antibodies, ANCA (anti-neutrophil cytoplasmic antibodies), anti-SS-A/Ro, anti-SS-B/La, anti-Sm, anti-DNA and anti-APF (antiperinuclear factor). For sclera-specific autoantibodies, sera of all patients were subjected to indirect immunofluorescence and Western blot assays, using human sclera from eye banks as a substrate. Sera from 25 healthy individuals were used as a normal control in the immunologic assays. RESULTS: as non-sclera-specific autoantibodies we detected one patient with positive rheumatoid factor, two patients with positive antinuclear antibodies, two patients with positive anticardiolipin antibody and two patients with positive anti-APF. Sclera-specific autoantibodies were detected by Western blot and immunofluorescence in the serum of two patients with scleritis. The two patients with sclera-specific autoantibodies did not show non-sclera-specific autoantibodies and also presented no evidence of autoimmune rheumatic disease. Normal controls were negative for all tested autoantibodies. CONCLUSIONS: Sclera-specific autoantibodies were detected solely in the serum of patients with isolated non-infectious anterior scleritis. Non-sclera-specific autoantibodies were observed in patients with scleritis associated with autoimmune rheumatic disease and in patients with isolated scleritis.

OBJETIVOS: estudar a freqüência e especificidade de auto-anticorpos contra antígenos específicos e não específicos da esclera no soro de pacientes com esclerite anterior não infecciosa. MÉTODOS: foi realizado estudo prospectivo envolvendo 25 pacientes examinados no Setor de Córnea e Doenças Externas do Departamento de Oftalmologia da UNIFESP-EPM e no Laboratório de Imuno-Reumatologia da UNIFESP-EPM, durante um ano. Os critérios de esclerite foram estabelecidos conforme a classificação de Watson e Hayreh (1976). Os critérios de exclusão foram as esclerites infecciosas. Todos os pacientes tiveram avaliações clínica e oftalmológica completas, incluindo exames laboratoriais para afastar doenças infecciosas como a sífilis e a tuberculose. Os seguintes auto-anticorpos foram testados: fator reumatóide, anticorpos antinucleares, anticorpos anticardiolipina, ANCA (anticorpos anticitoplasmáticos de neutrófilos), anti-SS-A/Ro, anti-SS-B/La, anti-Sm, anti-DNA e anti-APF (anticorpos antifator perinuclear). Para a pesquisa de auto-anticorpos contra antígenos específicos da esclera, o soro dos pacientes foi submetido à técnica de imunofluorescência indireta e Western-blot utilizando esclera humana obtida em banco de olhos, como substrato. Os soros de 25 pacientes hígidos foram utilizados como grupo controle nos testes imunológicos. RESULTADOS: auto-anticorpos contra antígenos não específicos da esclera foram detectados: um paciente com fator reumatóide positivo, dois pacientes com fator antinúcleo positivos, dois pacientes com anticorpos anticardiolipina positivos e dois pacientes com anti-APF. Auto-anticorpos contra antígenos específicos da esclera pela técnica de imunofluorescência indireta e Western-blot foram detectados no soro de dois pacientes com esclerite. Os dois pacientes com auto-anticorpos contra antígenos específicos da esclera não apresentavam auto-anticorpos contra antígenos não específicos da esclera nem tinham doença reumática auto-imune. Os controles normais foram negativos para todos os auto-anticorpos testados. CONCLUSÕES: Auto-anticorpos contra antígenos específicos da esclera foram detectados única e isoladamente no soro de pacientes com esclerite anterior não infecciosa. A presença de auto-anticorpos contra antígenos não específicos da esclera foi observada em pacientes com doença reumática auto-imune e em pacientes com esclerite isolada.
Palavra-chave autoantibodies
scleritis
autoimmunity
autoantigens
auto-anticorpos
esclerites
auto-imunidade
auto-antígenos
Idioma Inglês
Data de publicação 2007-06-01
Publicado em Revista Brasileira de Reumatologia. Sociedade Brasileira de Reumatologia, v. 47, n. 3, p. 173-179, 2007.
ISSN 0482-5004 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Reumatologia
Extensão 173-179
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0482-50042007000300006
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0482-50042007000300006 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3698

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0482-50042007000300006.pdf
Tamanho: 234.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta