Depressão e estresse: existe um endofenótipo?

Depressão e estresse: existe um endofenótipo?

Título alternativo Depression and stress: is there an endophenotype?
Autor Mello, Andrea Feijo Autor UNIFESP Google Scholar
Juruena, Mario Francisco Google Scholar
Pariante, Carmine M Google Scholar
Tyrka, Audrey R Google Scholar
Price, Lawrence H Google Scholar
Carpenter, Linda L Google Scholar
Porto, Jose Alberto Del Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Institute of Psychiatry Department of Psychological Medicine Section of Neurobiology of Mood Disorders
University of London King's College Stress, Psychiatry and Immunology Lab
Universidade Brown Hospital Butler Programa de Pesquisas em Transtornos do Humor
Resumo OBJECTIVE: To review the new findings about stress, hypothalamic-pituitary-adrenal axis and depression trying to explain a possible endophenotype prone to depression. METHOD: Nonsystematic review of the literature based on the endophenotype hypothesis. RESULTS: Depression is linked to hypercortisolemia in many patients, but not all patients present these hypothalamic-pituitary-adrenal axis dysfunction. The dexamethasone suppression test is not the most accurate test to measure the hypothalamic-pituitary-adrenal axis function, and its use in the first studies published probably jeopardized the results. Hypercortisolemia frequently occurs in patients with severe depression, melancholic, either psychotic or nonpsychotic type; it is linked to the presence of a polymorphism in the promoter of the serotonin transporter gene, with a history of childhood abuse or neglect, or other significant stressful experiences like the loss of a parent during childhood and temperament leading to alterations in the response to stress. CONCLUSIONS: The alterations of the hypothalamic-pituitary-adrenal axis depend on many factors like severity and type of depression, genotype, history of exposure to stress, temperament, and probably resilience. All these factors together result in an endophenotype thought to be prone to depression.

OBJETIVO: Revisar os achados recentes sobre a relação entre estresse, eixo hipotálamo-pituitária-adrenal e depressão, na tentativa de explicar um endofenótipo de vulnerabilidade para o desenvolvimento da depressão. MÉTODO: Revisão não sistemática da literatura baseada na hipótese de endofenótipo. RESULTADOS: A depressão está relacionada à hipercortisolemia em muitos pacientes; porém, nem todos os deprimidos apresentam esta alteração na função hipotálamo-pituitária-adrenal. Os primeiros estudos publicados observaram esta hiperativação do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal por meio do teste de supressão da dexametasona. Estes resultados não foram largamente replicados em grande parte devido à falta de acurácia desse teste. A hipercortisolemia ocorre freqüentemente em pacientes com depressão grave, do tipo melancólico, psicóticos ou não. Está relacionada a um polimorfismo específico do gene do transportador da serotonina; a história de abuso ou negligência durante a infância ou perda parental precoce; e ao temperamento que resulta em alterações na resposta ao estresse. CONCLUSÕES: As alterações do eixo hipotálamo-pituitária-adrenal dependem de diversos fatores, como gravidade e tipo de depressão, genótipo, história de trauma na infância, temperamento e, provavelmente, resiliência. Todas essas variáveis se relacionam a um endofenótipo vulnerável ao desenvolvimento de depressão.
Palavra-chave Depression
Corticotropin releasing hormone
Hypothalamus-hypophyseal system
Pituitary-adrenal system
Stress
Depressão
Fator de liberação de corticotrofina
Sistema hipotálamo hipofisário
Sistema hipófise supra-renal
Estresse
Idioma Português
Data de publicação 2007-05-01
Publicado em Revista Brasileira de Psiquiatria. Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP, v. 29, p. s13-s18, 2007.
ISSN 1516-4446 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Associação Brasileira de Psiquiatria - ABP
Extensão s13-s18
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-44462007000500004
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000246965200004
SciELO S1516-44462007000500004 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3683

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-44462007000500004.pdf
Tamanho: 242.3KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta