Zinc deficient diet consequences for pregnancy andoffsprings of Wistar rats

Zinc deficient diet consequences for pregnancy andoffsprings of Wistar rats

Autor Solé, Dirceu Autor UNIFESP Google Scholar
Rieckmann, Brigitte Autor UNIFESP Google Scholar
Lippelt, Raquel Mattos Costa Autor UNIFESP Google Scholar
Lippelt, Ronaldo Tadeu Tucci Autor UNIFESP Google Scholar
Amancio, Olga Maria Silverio Autor UNIFESP Google Scholar
Queiroz, Suzana de Souza Autor UNIFESP Google Scholar
Naspitz, Charles Kirov Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Resumo Adult female Wistar rats (90 days old; weight 180 to 220 grams) were submitted to different zinc deficient diets (Zn; severe = 2.6 ppm; mild = 9.0 ppm and normal diet = 81.6 ppm), during 6 weeks. After this time they were coupled with normal male Wistar rats. No differences regarding fecundity and sterility were observed between the groups. During pregnancy, part of the animals from severe and mild Zn deficient groups received the same diet and the others received normal diet. The animals from the group receiving normal diet, were divided into other 3: the first received severe, the second mild Zn deficient diet and the third normal diet. During the study we observed that animals submitted to a Zn deficient diet (acute or chronic) had tendency to lower weight gain, lower weight of the offspring, lower serum levels of Zn in maternal and newborn (pool) blood. A significant reduction in the number of alive newborns was observed in the group of animals submitted to severe Zn deficiency. These data reinforces that Zn is a very important trace element overall during pregnancy.

OBJETIVO: Avaliar os efeitos da carência nutricional de zinco na gestação e prole de ratas Wistar. MATERIAL E MÉTODOS: Submetemos ratas Wistar adultas (90 dias) com peso entre 180 e 220 gramas a diferentes tipos de carência nutricional de zinco (Zn; grave: 2,6 ppm; moderada: 9,0 ppm e sem carência 81,6 ppm) durante 6 semanas. Após esse período foram acasaladas com machos normais e não observamos diferenças quanto fertilidade e esterilidade entre os animais carentes. Durante a gestação, parte dos animais continuaram recebendo o mesmo tipo de ração e parte recebeu ração sem carência. Com relação ao grupo sem carência três outros grupos foram formados: um que passou a receber dieta com carência grave, outro moderada e o terceiro continuou sem carência. RESULTADOS E CONCLUSÃO: Observamos entre os animais submetidos à carência aguda ou crônica tendência a menor ganho ponderal durante a gestação, menor peso da ninhada, níveis séricos de Zn materno e de pool de RN mais baixos. Observamos de modo significante, menor número de RN vivos entre os animais submetidos à carência grave reforçando o papel do Zn durante a gestação.
Palavra-chave Zinc
Pregnancy
Offspring
Deficiency
Malformations
Idioma Inglês
Data de publicação 1995-02-01
Publicado em São Paulo Medical Journal. Associação Paulista de Medicina - APM, v. 113, n. 1, p. 681-686, 1995.
ISSN 1516-3180 (Sherpa/Romeo)
Publicador Associação Paulista de Medicina - APM
Extensão 681-686
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1516-31801995000100003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S1516-31801995000100003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/366

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1516-31801995000100003.pdf
Tamanho: 1.171MB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta