Expression of aggregative adherence to hela cells by Escherichia coli strains isolated from sick horses

Expression of aggregative adherence to hela cells by Escherichia coli strains isolated from sick horses

Título alternativo Expressão de aderência agregativa em células HeLa por amostras de E. coli isoladas de eqüinos doentes
Autor Liberatore, Ana Maria Alvim Autor UNIFESP Google Scholar
Tomita, Sandra Kimie Autor UNIFESP Google Scholar
Vieira, Mônica Aparecida Midolli Autor UNIFESP Google Scholar
Toti Junior, Cyro Google Scholar
Heckmaier, João Google Scholar
Gomes, Tania Aparecida Tardelli Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Jockey Club de São Paulo
Laboratório Clínico-Experimental de Gastroenterologia Pediátrica
Resumo The virulence attributes of 56 Escherichia coli strains isolated from sick horses (secretions of uterine cervices; gastrointestinal and lung fragments of necropsy; diarrheic feces, and tracheal washings) was examined by determining their adherence pattern to HeLa cells and searching for the presence of virulence genes of the various E. coli pathotypes. Two non-adherent strains presented astA, which encodes the enteroaggregative E. coli heat-stable toxin. Twenty-seven strains (48.2%) adhered to HeLa cells, 21 (77.8%) of which presented the aggregative adherence pattern (AA) that characterize the Enteroaggregative E. coli pathotype (EAEC). Nine of the strains presenting AA were isolated from secretions of uterine cervix, including one carrying virulence genes of the EAEC pathotype (aggR,aap,irp2, and pic). This is the first description of the AA phenotype amongst E. coli strains from sick horses. Such strains should be further evaluated regarding their potential role in the pathogenesis of diverse equine diseases and as reservoirs of human infections.

Características de virulência de 56 amostras de Escherichia coli isoladas de eqüinos doentes (secreção de colo uterino, fragmentos de necrópsia do trato gastrointestinal e de pulmões, fezes diarréicas e lavado traqueal) foram examinadas para determinar o padrão de aderência em células HeLa e pesquisar a presença de genes de virulência de vários patotipos de E. coli. Duas amostras não aderentes apresentaram astA, gene que codifica a toxina termo-estável de E. coli enteroagregativa. Das vinte e sete amostras (48,2%) que aderiram a células HeLa, 21 (77,8%) apresentaram o padrão de aderência agregativa (AA) que caracteriza o patotipo de E. coli Enteroagregativa (EAEC). Nove destas amostras que apresentaram AA foram isoladas de secreção de colo uterino, incluindo uma que apresentava genes de virulência de patotipos de EAEC (aggR,aap,irp2 e pic). Esta é a primeira descrição do fenótipo AA em amostras de cavalos doentes. Estas amostras deverão ser melhor avaliadas em relação a sua potencial função na patogênese de diferentes doenças eqüinas, bem como à possibilidade destes animais representarem um reservatório de infecções humanas causadas por esta bactéria.
Palavra-chave horse
Escherichia coli
aggregative adherence
virulence
eqüino
Escherichia coli
adesão agregativa
virulência
Idioma Inglês
Data de publicação 2007-03-01
Publicado em Brazilian Journal of Microbiology. Sociedade Brasileira de Microbiologia, v. 38, n. 1, p. 9-13, 2007.
ISSN 1517-8382 (Sherpa/Romeo, fator de impacto)
Publicador Sociedade Brasileira de Microbiologia
Extensão 9-13
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S1517-83822007000100003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
Web of Science WOS:000246576400003
SciELO S1517-83822007000100003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3596

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S1517-83822007000100003.pdf
Tamanho: 43.64KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta