Adiponectin gene and cardiovascular risk in type 2 diabetic patients: a review of evidences

Adiponectin gene and cardiovascular risk in type 2 diabetic patients: a review of evidences

Título alternativo O gene da adiponectina e o risco cardiovascular em pacientes com diabetes tipo 2: uma revisão das evidiencias
Autor Ferrarezi, Daniela Andraus de Figueiredo Google Scholar
Cheurfa, Nadir Google Scholar
Reis, André Fernandes Autor UNIFESP Google Scholar
Fumeron, Frédéric Google Scholar
Velho, Gilberto Autor UNIFESP Google Scholar
Instituição São Paulo University Laboratory of Cellular and Molecular Endocrinology
Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP)
Fleury Institute
INSERM
Université Paris 7
Resumo Diabetic patients have a 3-fold higher risk of developing atherosclerosis and its clinical complications as compared to non-diabetic individuals. Part of the cardiovascular risk associated with diabetes is probably due to genetic determinants influencing both glucose homeostasis and the development of atherosclerosis. However, type 2 diabetes frequently coexists with other cardiovascular risk factors like arterial hypertension, central obesity and dyslipidemia. Genetic variability affecting many areas such as lipid and energy metabolisms, hypertension and haemodynamic mechanisms, blood clotting homeostasis, inflammation, and matrix turnover in the vascular wall will have an impact on the development of macrovascular complications in diabetic patients. Adiponectin is abundantly secreted by adipocytes. It plays important roles in lipid and glucose metabolisms and has direct anti-inflammatory and anti-atherogenic effects. In this review, we summarize recent data from the literature suggesting an implication of allelic variations of the adiponectin gene (ADIPOQ) in the genetic determinants of cardiovascular disease in diabetic subjects.

Os pacientes com diabetes apresentam risco três vezes maior de desenvolverem aterosclerose e suas complicações quando comparados a indivíduos sem hiperglicemia. Parte desse risco associado ao diabetes é provavelmente relacionado a determinantes genéticos que influenciam tanto a homeostase glicídica quanto o desenvolvimento da aterosclerose. Entretanto, o diabetes tipo 2 freqüentemente coexiste com outros fatores de risco cardiovascular, tais como hipertensão arterial, obesidade central e dislipidemia. A variabilidade genética interfere em várias áreas tais como o metabolismo lipídico, o metabolismo energético, hipertensão, mecanismos hemodinâmicos, mecanismos de coagulação, inflamação e na formação da matriz na parede vascular, que podem estar envolvidos nas complicações macrovasculares dos pacientes com diabetes. A adiponectina é secretada com abundância pelos adipócitos. Apresenta importante papel no metabolismo lipídico e glicídico, tendo ação direta tanto antiinflamatória quanto anti-aterogênica. Na atual revisão, nós resumimos os dados recentes da literatura que sugerem uma implicação de variantes alélicas do gene da adiponectina (ADIPOQ) que podem estar envolvidos na determinação genética da doença cardiovascular em indivíduos com diabetes.
Palavra-chave Genetics
Adiponectin
Macrovascular disease
Genética
Adiponectina
Doença macrovascular
Idioma Inglês
Data de publicação 2007-03-01
Publicado em Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia. Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, v. 51, n. 2, p. 153-159, 2007.
ISSN 0004-2730 (Sherpa/Romeo)
Publicador Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia
Extensão 153-159
Fonte http://dx.doi.org/10.1590/S0004-27302007000200003
Direito de acesso Acesso aberto Open Access
Tipo Artigo
SciELO S0004-27302007000200003 (estatísticas na SciELO)
Endereço permanente http://repositorio.unifesp.br/handle/11600/3581

Exibir registro completo




Arquivo

Nome: S0004-27302007000200003.pdf
Tamanho: 304.8KB
Formato: PDF
Descrição:
Abrir arquivo

Este item está nas seguintes coleções

Buscar


Navegar

Minha conta